fbpx

segunda, 25 de outubro de 2021

Reforma administrativa: veja o que muda para novos servidores

A Comissão Especial concluiu a votação da reforma administrativa na madrugada desta sexta (24). Mudanças valem para novos servidores, mas nenhuma delas afeta o Judiciário.

24 de setembro de 2021

Compartilhe

Texto foi aprovado por 28 votos a favor e 18 contra na Comissão Especial. Relatório sofreu resistência da oposição (Foto: Reprodução)

Após mais de 13 horas de reunião, com direito a momentos de tensão entre oposicionistas e governistas, o projeto de Reforma Administrativa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi aprovada na Comissão Especial da Câmara Federal por 28 votos a favor e 18 contra. Entre os pontos mais polêmicos, o texto aprovado manteve os instrumentos de cooperação com a iniciativa privada e preservou os benefícios de juízes e promotores, como as férias de 60 dias.

O deputado Arthur Oliveira Maia (DEM-BA) observou que seu relatório garantiu a estabilidade no emprego e os direitos adquiridos dos servidores atuais. “Todas expectativas de direitos foram preservadas. Esta PEC não atinge nenhum servidor da ativa”, afirmou.

Procurado pelo RealTime1, o deputado Marcelo Ramos (PL) declarou que não será tarefa fácil aprovar o texto.

”Eu acho muito difícil passar no plenário. Para passar na comissão, vários partidos tiveram que trocar os seus membros inclusive por membros outros partidos. O [partido] Novo que tinha direito a apenas uma vaga, teve sete deputados. No plenário, você não tem como trocar deputado, cada deputado é um voto, então eu acho muito difícil, vai haver um esforço muito grande, mas eu acho bem difícil conseguir 308 votos para essa matéria,” explicou o vice-líder da Casa parlamentar.

O deputado Bosco Saraiva (Solidariedade) seguiu no mesmo tom, afirmando que é contra a reforma e que o texto deverá sofrer resistências quando chegar para a apreciação do plenário da Câmara. ”O meu partido fechou questão contra e o que percebo é uma forte tendência de rejeição no plenário”, afirmou.

Entre as principais inovações mencionadas pelo relator estão a avaliação de desempenho de servidores e as regras para convênios com empresas privadas.

Apesar da obstrução dos deputados da oposição, o relator afirmou que seu parecer aproveitou as contribuições de vários parlamentares contrários à proposta. “Este texto não é do Poder Executivo, mas uma produção do Legislativo. Apesar das posições colocadas aqui de maneira tão virulenta, é uma construção coletiva”, disse o relator.

Temporários

Outro ponto polêmico foram as regras para contratações temporárias, com limite de até dez anos. O relator destacou que os contratos temporários terão processo seletivo impessoal, ainda que simplificado, e os contratados terão direitos trabalhistas. O processo seletivo simplificado só é dispensado em caso de urgência extrema.

Redução de jornada

O relator fez uma concessão no dispositivo que permite reduzir em até 25% a jornada e o salário de servidores. No novo texto, os cortes serão limitados apenas a períodos de crise fiscal.

Juízes e promotores

O texto aprovado mantém benefícios de juízes e promotores, como as férias de 60 dias. Os deputados ainda devem votar no Plenário destaque sobre a inclusão de membros do Judiciário e do Ministério Público na reforma administrativa.

Veja o que será extinto

De acordo com o texto, os seguintes benefícios para administração pública direta e indireta, nos níveis federal, estadual e municipal não farão parte da realidade de novos servidores públicos:

– férias superiores a 30 dias;

– adicionais por tempo de serviço;

– aumento de remuneração ou parcelas indenizatórias com efeitos retroativos;

– licença-prêmio, licença-assiduidade ou outra licença por tempo de serviço;

– aposentadoria compulsória como punição;

– adicional ou indenização por substituição;

– parcelas indenizatórias sem previsão de requisitos e critérios de cálculo definidos em lei;

– progressão ou promoção baseadas exclusivamente em tempo de serviço.

Desempenho

O relator procurou colocar dispositivos para evitar arbitrariedades na avaliação de servidores. “A avaliação de desempenho terá participação do usuário do serviço público e será feita em plataformas digitais”, explicou o relator.

Cargos obsoletos

O relatório acrescentou novos parâmetros para definir quem perderá a vaga caso haja uma extinção parcial de cargos obsoletos. “Não haverá espaço para o arbítrio e para atitudes indevidas”, apontou Maia.

Como primeiro critério, serão afastados servidores de acordo com a média do resultado das três últimas avaliações de desempenho. Se houver empate e não for possível discriminar os alcançados por este caminho, apura-se primeiro o tempo de exercício no cargo e, em seguida, a idade dos servidores. O substitutivo preserva os cargos ocupados por servidores estáveis admitidos até a data de publicação da emenda constitucional.

O texto agora segue para votação no Plenário da Câmara.

Texto: João Luiz Onety, com informações da Câmara dos Deputados

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Guedes diz confiar na aprovação das reformas administrativa e do IR

Guedes voltou a afirmar a jornalistas que a aprovação da proposta que altera as regras do serviço público civil nos três Poderes resultaria em uma economia de R$ 300 bilhões.

24 de outubro de 2021

Wilson destaca Auxílio Permanente e transporte gratuito para estudantes

O governador do Amazonas anunciou, neste domingo (24), no Aniversário de Manaus, investimentos de R$ 580 milhões na capital e transporte gratuito para estudantes.

24 de outubro de 2021

David exalta investimentos de Wilson em Manaus e alfineta a velha política

Durante solenidade de entrega do Parque Rio Negro, neste domingo (24), o prefeito de Manaus e o governador do amazonas anunciaram novos investimentos para Manaus.

24 de outubro de 2021

Debatedores querem prorrogar prazo de atualização da Lei do Fundeb

Eles defendem que é um processo muito complexo e não há tempo para resolver isso em dez dias, pois há ações de operacionalização do fundo que precisam de ajustes.

24 de outubro de 2021

CAE analisa na terça projetos sobre segurança viária e ajuste fiscal dos estados

Dois projetos, um sobre segurança no trânsito e outro sobre dívidas dos estados, constam da pauta de votação da Comissão de Assuntos Econômicos para esta terça-feira (26).

24 de outubro de 2021

Subcomissão discute rumos da educação após a pandemia na próxima segunda

Subcomissão Temporária para Acompanhamento da Educação na Pandemia vai se reunir todas as segundas-feiras, para discutir o que aconteceu no setor durante a pandemia.

24 de outubro de 2021

Senadores voltam a defender derrubada do veto à distribuição de absorventes

Senadora Simone Tebet (MDB-MS), cobrou a votação urgente do veto parcial ao projeto que garante distribuição gratuita de absorventes para estudantes de baixa renda e mulher.

24 de outubro de 2021

Reta final da CPI tem definição de indiciados, votação e encaminhamento de Relatório

Como não possui poder de punição, último ato da CPI será o encaminhamento do Relatório Final aprovado aos órgãos responsáveis por apresentarem denúncias.

23 de outubro de 2021