fbpx

quarta, 01 de dezembro de 2021

Lira espera ampliar apoio à PEC dos Precatórios em votação na próxima terça

Para o presidente da Câmara, a principal motivação da PEC dos Precatórios é garantir recursos para o programa social Auxílio Brasil.

5 de novembro de 2021

Compartilhe

(Foto: Reprodução)

Após a reunião de líderes desta quinta-feira (4), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), anunciou sessão deliberativa na segunda-feira (8) para votar a regulamentação do mercado de crédito de carbono (PL 528/21), medidas provisórias e o Fundo Geral de Turismo – Fungetur (PL 2380/21).

A votação da Proposta de Emenda à Constituição 23/21, que limita o pagamento de precatórios e muda o cálculo do teto de gastos, deve continuar na terça-feira (9), às 9 horas da manhã, para permitir a votação de nove destaques e o segundo turno. Arthur Lira espera que a votação de terça-feira amplie a margem de votos favoráveis à PEC, com um quórum maior de parlamentares. Na madrugada desta quinta-feira, o Plenário aprovou o texto-base da proposta com 312 votos entre 456 votantes.

Para ele, a principal motivação da PEC é garantir recursos para o programa social Auxílio Brasil, que substituiu o Bolsa Família. “Não acredito em mudanças partidárias bruscas. Todos os assuntos da PEC são claros e evidentes. Estamos tratando de auxílio de R$ 400 para famílias abaixo da pobreza, parcelamento de débitos previdenciários de 60 para 240 meses de municípios que fizeram a reforma da previdência. Estamos falando em alargamento do espaço fiscal do governo para conseguir manter a máquina pública funcionando”, citou.

O presidente da Câmara acusou os opositores da proposta de ter motivações eleitorais. “Especialistas, técnicos e economistas não vivem e não sabem da realidade de se construir um texto numa Casa de 513 parlamentares, nem a realidade de um brasileiro que passa fome com sua família, porque não tem sequer R$ 1 para comprar um pão, tem que se socorrer dos caminhões de lixo para se alimentar”, lamentou.

Mercado
Arthur Lira não acredita que a votação da PEC traga repercussões negativas no mercado. “Não sei se a Bolsa está caindo e o dólar subindo por causa disso. Tudo o que o mercado queria era uma definição. O que o mercado não precisa é de indefinição, de incerteza, de boatos, de versões.”

O presidente da Câmara ainda agradeceu pelo apoio de deputados do PDT à proposta. “Tudo o que o PDT pediu, tudo que estes líderes pediram foi em defesa da educação e de pautas que beneficiassem os professores.” Outros beneficiados pela proposta, segundo Lira, foram os governadores, especialmente pela prioridade dada ao pagamento de precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). “Ninguém foi mais beneficiado nestes texto do que governadores de estado. Não sobrará precatórios, não faremos fila”, espera.

Comorbidades
Arthur Lira anunciou que a Mesa Diretora deve reunir-se na terça-feira para analisar o caso de nove deputados que alegam comorbidade ou problemas de saúde e reivindicam o direito de votação virtual, sem registro de presença física na Câmara dos Deputados. Segundo Lira, os casos estão sujeitos a avaliação do Departamento Médico. “Se for comprovada a comorbidade ou dificuldade, estes deputados serão autorizados a votar também pelo Infoleg”, avalia.

O presidente da Câmara notou que, nesta quinta-feira, mais deputados votaram pelo sistema virtual contra a PEC do que a favor. “Isso nada contribuiu com o resultado, que foi conseguido na diplomacia das negociações claras com o objetivo de destravar o auxílio emergencial.”

O presidente voltou a defender a votação pelo Senado da reforma do Imposto de Renda (PL 2337/21), já aprovado pela Câmara, que poderia fornecer recursos para o programa social permanentemente e dentro do teto de gastos. “A Câmara soube contrariar os interesses de quem no Brasil não gosta de pagar imposto nenhum”, afirmou.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprova PEC dos Precatórios

A PEC do senador Fernando Bezerra, que já passou pela Câmara dos Deputados, libera espaço fiscal em 2022 para o pagamento do programa social Auxílio Brasil.

1 de dezembro de 2021

Prazo para apresentação de emendas impositivas à LOA encerra hoje

O Governo estima o orçamento para o próximo ano fiscal em pouco mais de R$ 24 bilhões. Os deputados podem dispor de 1,2% da receita corrente líquida para emendas individuais.

1 de dezembro de 2021

Comissão de Educação ignora pedidos do Sinteam e frustra educadores

Sindicato que representa a categoria dos profissionais da Educação diz que a comissão não deu retorno de ofícios protocolados ao longo do ano; reajuste é uma das pautas.

1 de dezembro de 2021

STF mantém foro de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas

A investigação que atinge o senador foi desidratada por decisões do STJ, que anulou a maior parte das provas colhidas em primeiro grau por considerar o juízo incompetente.

1 de dezembro de 2021

Deputados debatem prática de empinar moto como atividade desportiva

Deputada diz que o 'grau de moto' têm sido muitas vezes reprimido por agentes da polícia e por isso quer transformar a 'acrobacia' em esporte.

1 de dezembro de 2021

Destacando presença de deputados, Bolsonaro oficializa entrada no PL

Durante o evento, o presidente Jair Bolsonaro destacou que a cerimônia foi uma simples filiação ao partido e que não estava “lançando ninguém a cargo nenhum”.

30 de novembro de 2021

Plínio e Marcelo defendem emendas do relator e transparência na aplicação

Senador Plínio Valério e o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, defenderam o instrumento que possibilita liberação de recursos para o Estado e os municípios.

30 de novembro de 2021

Ministério Público do Amazonas vai investigar garimpagem no rio Madeira

MP-AM instalou inquérito civil público na última sexta-feira (26) para investigar "possíveis irregularidades" das balsas de garimpo que se amontoaram no Rio Madeira.

30 de novembro de 2021