fbpx

segunda, 04 de julho de 2022

‘Bolsonaro é um fanfarrão: fala uma coisa e faz outra’, dispara Ramos

Em entrevista à TV RealTime1 no final da tarde desta segunda-feira (19), o deputado culpou Bolsonaro e sua base aliada pela aprovação do Fundo Eleitoral.

20 de julho de 2021

Compartilhe

Marcelo Ramos pediu para analisar os pedidos de impeachment do presidente (Foto: Divulgação)

“Cuidar da saúde, gerar emprego e garantir comida na mesa do brasileiro não está nos planos de Bolsonaro”. A fala é do deputado federal Marcelo Ramos (PL), durante entrevista à TV RealTime1 nesta segunda-feira (19).

O vice-presidente da Câmara dos Deputados disse que o presidente da República trata muito mal o Amazonas e também destacou que, caso Bolsonaro não vete a LDO com Fundo Eleitoral com aumento para R$ 5,7 bilhões vai se confirmar o que sempre foi: “um fanfarrão”.

De acordo com Ramos, Bolsonaro aprova todas as matérias que quer dentro da Câmara dos Deputados. “Nada sai da Câmara se não passar pelo presidente da casa, líder do governo, pelos líderes do partido da base. Um presidente que tem maioria no parlamento, então se ele não quisesse o Fundo Eleitoral o parlamento teria aprovado? Isso soa estranho”, avalia Marcelo.

Ramos destaca que o presidente cedeu ao fundo eleitoral pela pressão dos partidos que dão sustentação a ele. “Hoje, Bolsonaro é muito refém dos partidos que dão sustentação a ele na Câmara e que têm interesse nessa matéria. É mais uma etapa do ‘toma lá, dá cá’ que tomou conta desse governo”, dispara o deputado federal.

Para Marcelo, Bolsonaro fala uma coisa e faz outra. “Se ele não vetar a LDO com o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões, vai confirmar o que ele sempre foi: um fanfarrão, que fala uma coisa e faz outra. Agora se ele vetar, eu não tenho dúvidas de que ele vai estremecer a relação dele com o Líra e com os líderes dos partidos que dão sustentação ao governo dele”, avalia o deputado federal pelo Amazonas.

Base de apoio a Bolsonaro aprovou

O vice-presidente da Câmara dos Deputados explica que é importante entender como houve a aprovação da LDO com um fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões. Para ele, tudo começou na comissão mista, onde estão deputados e senadores, que são da base de apoio ao governo Bolsonaro.

Além disso, Ramos destaca que um dos filhos de Bolsonaro, junto com todos os aliados do presidente da República, votou a favor da LDO sabendo que nela havia o aumento do valor do fundo eleitoral.

Marcelo explica, também, que quando houve possibilidade de uma votação de destaque do Partido Novo, apenas o Novo, Psol, Podemos, Cidadania e Rede caminharam contra o fundão. “Isso significa que todos os partidos da base do governo, inclusive o líder do governo, encaminharam favorável ao governo e contra o destaque do Novo“.

Pedidos de impeachment

Hoje, a Câmara dos Deputados tem protocolado 127 pedidos de reabertura de impeachment contra o presidente Bolsonaro. Em todos os pedidos nunca houve apreciação por parte do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

“Eu quero receber esses pedidos, fazer uma análise jurídica e verificar se há fundamento e indícios de crimes de responsabilidade. Por que pode acontecer de, na ausência do Arthur Lira, eu assumir a presidência da Câmara. Então, eu quero estar seguro se existe fundamentos ou não para esses pedidos de impeachment”, explicou Marcelo Ramos.

Mais cedo, Marcelo havia respondido a uma ofensiva de Bolsonaro declarando que havia solicitado à presidência da Câmara cópias de todos os pedidos de impeachment protocolados na Casa contra Jair Bolsonaro.

Confira a entrevista na íntegra:

Texto: Isac Sharlon

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Bolsonaro diz torcer para STF derrubar liminar que ampara ZFM

Presidente voltou a atribuir crise econômica no Brasil à manutenção dos incentivos para as empresas da Zona Franca de Manaus.

3 de julho de 2022

PT escolhe vereadora de Itacoatiara como suplente de Omar Aziz

Cheila Moreira é vice-presidente da Câmara Municipal de Itacoatiara e pessoa de confiança do deputado Sinésio Campos, presidente estadual do PT.

3 de julho de 2022

Reunião do PSol-AM acaba em briga e adia debate sobre disputa ao Governo

Partido reuniu filiados no último sábado no diretório regional, mas não conseguiu avançar na definição da disputa interna pela pré-candidatura ao Governo do AM.

3 de julho de 2022

Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer

Eles também não podem fazer pronunciamento oficial em cadeia de rádio de televisão, salvo em casos de questões urgentes e relevantes autorizados pela Justiça Eleitoral.

3 de julho de 2022

PT divulga nome de pré-candidatos a deputado federal e estadual no AM

Além dos pré-candidatos para a Aleam e Câmara Federal, os petistas homologaram o nome de Cheila Moreira para suplência do senador Omar Aziz (PSD).

2 de julho de 2022

Com apoio de Omar e Sidney, Manacapuru ganha escola construída sobre as águas

A escola municipal e a Quadra Poliesportiva Almir Batista da Silva, na comunidade Rainha dos Apóstolos, atenderão pelo menos 250 criança e jovens.

2 de julho de 2022

Datafolha: maioria diz que professor deve evitar falar de política

Pesquisa mostra que 54% dizem que pais têm o direito de proibir as escolas de ensinar temas que não achem adequados, mas apoiam discussão sobre pobreza e desigualdade social.

2 de julho de 2022

Com futuro incerto na disputa pelo Governo, PSol reúne filiados

Quatro nomes disputam internamente a preferência dos filiados, mas nenhum tem força suficiente para ser anunciado na briga pelo Governo sem ter que passar pelas prévias.

2 de julho de 2022