fbpx

domingo, 16 de maio de 2021

Apenas Mandetta deve ser ouvido nesta terça-feira na CPI da Covid

A CPI da Covid prevê ouvir todos os ex-ministros da Saúde, além do atual, Marcelo Queiroga. Amanhã, Teich deve sair da pauta e o dia deve ser dedicado às oitivas de Mandetta.

3 de maio de 2021

Compartilhe

Mandetta foi o primeiro ministro da Saúde no Governo Bolsonaro (Foto: Reprodução)

Abrindo oficialmente as oitivas da CPI da Covid no Senado Federal, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deve ser o único a falar nesta terça-feira (4) aos senadores que compõem a Comissão.

O cronograma, anteriormente divulgado em Brasília, previa que o também ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, faria seu depoimento no mesmo dia que Mandetta. Mas, os procedimentos da CPI, entre réplicas e tréplicas, podem exceder o tempo previsto de discussões e impedi-lo de falar sobre as suas ações à frente da pasta que é peça-chave para compreender as ações do Governo Federal em relação à crise sanitária que se instalou no país com a pandemia do coronavírus.

Além de Mandetta e Teich, o general Eduardo Pazuello, que também comandou o Ministério da Saúde, e Marcelo Queiroga, atual ministro da pasta, foram convocados para esta primeira semana de depoimentos.

Entenda o cronograma da CPI

>> 10h: O senador Omar Aziz (PSD) abre os trabalhos da Comissão com tempo de fala de até cinco minutos. Em seguida, Renan Calheiros (MDB/AL) tem 45 minutos para iniciar a discussão, dando ainda 10 minutos para que o depoente, no caso Mandetta nesta terça, falar;

>> 11h: Os nove senadores têm até cinco minutos, cada um, para fazerem uso da palavra. A partir daí, em três blocos, de 15 minutos cada, os membros da CPI podem interrogar o depoente que, em seguida, terá 45 minutos para responder ás perguntas feitas. Os nove senadores podem fazer uso da réplica, Neste caso, três minutos será dado para cada membro, totalizando até 30 minutos para arguir o que foi dito por Mandetta que, sequencialmente, terá o mesmo tempo para tréplica.

>> 13h50: A partir deste horário está previsto que os sete senadores suplentes da CPI da Covid, já inscritos, falem por até cinco minutos sobre o tema do dia. Logo após o uso da palavra dos sete senadores, novamente abre-se um questionamento entre eles e Mandetta, previsto para encerrar, no máximo, 16h10.

O horário de encerramento não deve exceder o prazo máximo devido à Ordem do Dia no Senado Federal onde, na Casa, os senadores têm de deliberar a votação das pautas em discussão.

Texto: Rosianne Couto

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

PSDB-AM lamenta morte de Bruno Covas: ‘é exemplo a ser seguido’

Arthur Neto e Luiz Alberto Carijó falaram dos ideais de Covas e destacaram que ele é um exemplo a ser seguido pela militância partidária.

16 de maio de 2021

Omar destaca erro na condução da pandemia e desinteresse por vacinas

O senador Omar Aziz preside a CPI da Covid e fez estas afirmações durante entrevista à GloboNews; Aziz diz que todos sabem que houve 'erro' na condução da pandemia.

16 de maio de 2021

Inspirado na Netflix, grupo lança ‘Bolsoflix’; assista a um dos vídeos

Desde a última sexta (14), um site foi ao ar, reunindo uma série de vídeos do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados do Governo Federal; confira o trailer.

16 de maio de 2021

Sem máscara, Bolsonaro pede aprovação do voto impresso e ataca Lula

O presidente Jair Bolsonaro compareceu hoje a atos pró-governo. Com queda na aprovação de seu governo, ele disse aos manifestates que mudanças não são imediatas.

15 de maio de 2021

Empate: população está dividida sobre impeachement de Bolsonaro

A pesquisa DataFolha divulgada hoje (15) indica um empate técnico entre as pessoas que aprovariam, ou não, um processo de impeachement ao presidente Jair Bolsonaro.

15 de maio de 2021

Bancada reage à permissão para Pazzuello ficar calado na CPI

Interrogado na próxima quarta-feira (19) o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazzuello, assegurou no Supremo Tribunal Federal uma liminar que garante o direito de ficar calado.

15 de maio de 2021

Fachin nega pedido da Polícia Federal e não vai investigar Dias Toffoli

Fachin determinou que é preciso aguardar o plenário da Corte se manifestar sobre o tema. O ministro enviou o processo para o plenário virtual do STF.

15 de maio de 2021

Saúde não teve mais recursos pois Governo não contava com segunda onda

Em ofício, o Ministério da Economia indicou que não destinou mais recursos para Saúde na LOA em 2021, pois o ministério não contava com o recrucidamento da pandemia.

15 de maio de 2021