terça-feira, 16 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Ipem será o primeiro órgão a depor na CPI da Amazonas Energia

Sessão de trabalho da CPI da Amazonas Energia, na Aleam, define calendário de depoentes com o Ipem-AM sendo o primeiro órgão a depor já nesta quarta-feira (20).
COMPARTILHE
CPI da Amazonas Energia

Os deputados estaduais, que integram a CPI da Amazonas Energia, aprovaram diversos requerimentos, na tarde desta terça-feira (19), na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), dentre eles o que convoca o Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem) como o primeiro órgão a ser ouvido já nesta quarta-feira (20). Durante a sessão, também houve a escolha dos suplentes de cada membro da comissão.

Os requerimentos aprovados convocam também para quinta-feira (21) o Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor (Procon-AM). Na terça-feira (26) da próxima semana, a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) abrirá a sessão de depoimento. Todos os órgãos de fiscalização e controle comparecerão à Aleam, na condição de convidados.

Primeira fase da CPI

Nessa primeira fase, além da escolha dos órgãos de fiscalização e controle também foram escolhidos os suplentes dos cinco parlamentares que constituem a CPI.

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) ficou como suplente do presidente da comissão, Sinésio Campos (PT); deputado João Luiz (Republicanos) como suplente do relator da comissão, Carlinhos Bessa (PV); deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) como suplente de Cabo Maciel (PL); deputado estadual Wiker Barreto (Podemos) como suplente de Dermilson Chagas (Podemos); deputado estadual Delegado Péricles (PSL) como suplente de Fausto Júnior (MDB).

Órgãos de fiscalização

O presidente da comissão, deputado estadual Sinésio Campos, afirmou, após a reunião, que é “imprescindível” ouvir os órgãos de fiscalização e controle, nessa primeira fase, posto que representam a voz da população do Amazonas. “Não ouviremos a empresa neste momento, mas sim a sociedade. E como ela será ouvida? Por meio das organizações que tratam dos interesses do povo”.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

“Nós queremos saber o motivo do descaso da Amazonas Energia diante da geração e distribuição de energia para a população do Estado”, afirmou o presidente da CPI, Sinésio Campos. “Deixo claro que estamos atrás de soluções, mas precisamos investigar o porquê de tanto problema ligado a essa empresa”, completou.

CPI da Amazonas Energia

A CPI da Amazonas Energia foi instaurada no dia 02 de setembro com o objetivo de investigar possíveis irregularidades na geração e distribuição de energia pela empresa Amazonas Energia, mas, em 4 de setembro, durante plantão judicial, o desembargador Airton Luís Corrêa Gentil, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), decidiu suspender a Comissão alegando que o requerimento que deu origem à comissão era genérico.

No dia 10 de setembro, a Procuradoria-Geral da Aleam protocolou recurso para derrubar a liminar. O recurso foi assinado pelos procuradores da Aleam Robert Wagner de Oliveira, Vander Góes e Gerson Viana. De acordo com o documento, a Casa Legislativa tem autonomia fiscalizatória de exercer a continuidade da CPI, visando investigar a precariedade do fato determinado de interesse social quanto ao serviço de energia, bem como o porquê dos constantes racionamentos, blecautes, apagões e a falta de manutenção da rede elétrica que ocasionam grandes transtornos aos consumidores do Amazonas.

Em 11 de outubro, o desembargador Paulo Lima, do TJ-AM, derrubou a decisão que impedia a instalação da CPI da Amazonas Energia na Aleam.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

COMPARTILHE