fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Setor de entretenimento mantém cautela para divulgar eventos

Associação aguardará os próximos 14 dias para verificar se as determinações estaduais permanecerão inalteradas para, posteriormente, prosseguir com as publicidades de shows.

14 de março de 2022

Compartilhe

Asseeam afirma que aguardará 14 dias para verificar o cenário, após o decreto (Foto: Reprodução)

O setor de eventos mantém cautela quanto a divulgação de eventos mesmo após o governo do Estado publicar o decreto que suspende as restrições e libera a realização de eventos, em geral. A Associação de Entretenimento do Estado do Amazonas (Asseeam) afirma que vai aguardar os próximos 14 dias para verificar se as determinações estaduais permanecerão inalteradas para, posteriormente, prosseguir com as publicidades de shows.

O presidente da Asseeam, Gerson Sampaio afirma que as empresas do setor conseguem visualizar novo momento, de retomada dos trabalhos. Porém, após alterações repentinas nas determinações anteriores determinadas pelo governo quanto às restrições para a retomada de atividades do setor, a associação optou por aguardar pelo prazo de 14 dias para seguir com as divulgações e trabalhos com maior celeridade.

“As empresas seguem com os trabalhos porque existe toda uma programação como o agendamento de artistas para verificar a logística e etc. Mas não temos segurança, neste momento, para realizar a venda de ingressos. Vamos aguardar para verificar como ficará o cenário e logo após dar continuidade aos trabalhos. Acreditamos que logo tudo será normalizado”, disse Sampaio.

O decreto nº45.288, de 11 de março de 2022 foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta segunda-feira (14).

Conforme a publicação, ficam suspensas as restrições de horário e de público, até então impostas ao funcionamento de atividades em todo o estado. Também fica permitida a realização de eventos de qualquer natureza, inclusive com venda de ingressos, e realizados em estádios e ginásios esportivos, em todos os municípios do estado.

Texto: Priscila Caldas

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Manejo florestal sustentável é aposta para diversificação econômica do AM

O Estado está preparando uma política de governo para o tema. O planejamento estratégico, orientado por Wilson Lima, vislumbra novos vetores que gerem emprego e renda.

27 de maio de 2022

‘Catastrófico’, cita Sefaz sobre projeto que unifica ICMS em 17%

Secretário da Sefaz afirma que caso projeto de unificação do ICMS em 17% seja sancionado, arrecadação estadual terá perda de R$ 1 bilhão ao ano, afetando serviços à população

27 de maio de 2022

Com R$ 195 bilhões, Receita bate recorde de arrecadação em abril

No quadrimestre (de janeiro a abril de 2022), a arrecadação da Receita Federal alcançou o valor de R$ 743,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 11,05% pelo IPCA.

26 de maio de 2022

Redução do ICMS: Bolsonaro sinaliza veto a compensação para estados

Bolsonaro disse que compensação, prevista em projeto aprovado na Câmara que limita ICMS da energia e de combustíveis, "não tem cabimento" e que poderá vetar o dispositivo.

26 de maio de 2022

Criticado até por bolsonarista, salário mínimo de R$ 1.212 é aprovado

Valor já está em vigor desde o primeiro dia do ano, quando Bolsonaro editou a medida provisória. A proposta, no entanto, precisava ser confirmada pelo Congresso Nacional.

26 de maio de 2022

Wilson Lima anuncia investimentos de quase R$ 25 milhões para CT&I

Por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapeam), os recursos serão aplicados em sete editais, sendo seis inéditos, de programas de apoio a pesquisas científicas.

26 de maio de 2022

Para economistas, ICMS em 17% terá pouco impacto na redução de preços

Economistas acreditam que projeto que estipula teto de 17% na cobrança de ICMS não resultará em redução expressiva no preço do combustível, com queda de até 5% nos preços.

26 de maio de 2022

Novamed anuncia expansão no PIM com investimento de R$ 50 milhões

Empresa pretende aumentar a produção de 1 bilhão e 100 milhões de comprimidos/mês para 1 bilhão e 400 milhões/mês, além da garantia de cerca de 900 postos de trabalho.

26 de maio de 2022