fbpx

quarta, 19 de janeiro de 2022

Entregadores perderão até 40% da renda por migração do Uber Eats

A partir de 8 de março os trabalhadores poderão seguir atuando nas entregas, mas relacionadas aos itens comercializados por supermercados, atacadistas e lojas especializadas.

7 de janeiro de 2022

Compartilhe

Entregadores perderão até 40% da renda por migração do Uber Eats (Foto: Reprodução)

Entregadores que operam pela plataforma Uber Eats, em Manaus, devem ter redução de até 40% nos ganhos mensais decorrente da desativação do serviço de entrega de comidas de restaurantes. A partir de 8 de março os trabalhadores poderão seguir atuando nas entregas, mas relacionadas aos itens comercializados por supermercados, atacadistas e lojas especializadas.

A assessoria da Uber não informou a quantidade de entregadores parceiros cadastrados pelo Uber Eats na capital, e esclareceu que os trabalhadores foram convidados para migrarem para os serviços de entrega que passam a compor a cartela de serviços da empresa, a partir de março.

De acordo com o presidente da Associação dos Motoristas e Entregadores por Aplicativo do Estado do Amazonas (Ameap–AM), Alexandre Matias, a alteração no serviço de entrega anunciado pela Uber gerará desemprego e redução de renda estimada entre 35% e 40%, mensal.

Matias explica que muitos entregadores operam somente por meio do Uber Eats por ser uma plataforma popular e que conta com a maior cartela de clientes. Quem trabalha comente com o Uber Eats precisará adotar outra alternativa de trabalho ou migrar para outra plataforma.

“A associação conta com aproximadamente 12 mil entregadores por aplicativo. Os trabalhadores terão perda de renda e a alternativa será migrar para as outras plataformas porque quem conduz uma motocicleta não terá condições de transportar produtos maiores como por exemplo, televisão. O transporte de alimentos é prático de ser feito por moto. Nem todos conseguirão migrar para esses outros serviços”, comentou.

Confira a nota da Uber:

“A Uber vai alterar sua estratégia de Delivery no Brasil, desativando o serviço de intermediação de entrega de comida de restaurantes. A partir de agora, a empresa vai trabalhar em duas frentes: com a Cornershop by Uber, para serviços de intermediação de entrega de compras de supermercados, atacadistas e lojas especializadas; e de entrega de pacotes pelo Uber Flash. 

O serviço de intermediação de entrega de comida continuará disponível até o dia 7 de março. Depois desta data, os usuários poderão usar o app do Uber Eats para aproveitar a melhor seleção de supermercados e atacadistas do Brasil, assim como itens de decoração, papelaria, bebidas e produtos para pets, entre outros. A Cornershop by Uber está disponível em mais de 100 cidades em todo o Brasil e, em 2021, quase triplicou o número de pedidos. 

A Uber também expandirá o Uber Direct, produto corporativo que permite que lojas façam entregas no mesmo dia para seus clientes. Esta modalidade cresceu cerca de 15 vezes em número de viagens ao longo dos últimos 12 meses, impulsionada pela demanda de grandes marcas que aderiram ao serviço. 

A Uber segue seu compromisso com seus mais de 1 milhão de motoristas parceiros que geram renda fazendo viagens e entregas pela plataforma – o volume de viagens no Brasil já é maior do que o registrado no período anterior à pandemia. A empresa seguirá expandindo produtos para outros meios de transporte, como motos e táxis. “A combinação única de nossa escala e tecnologia de ponta em mobilidade e entrega permitirá aos nossos usuários ir a qualquer lugar e conseguir o que quiserem”, disse o porta-voz da Uber”.

Texto: Priscila Caldas

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Santander renegocia dívidas com clientes do Amazonas até 31 de março

Santander lança campanha nacional para negociação de dívidas com prazos estendidos de parcelamento e descontos de mais de 90% tanto pessoa física quanto jurídica.

19 de janeiro de 2022

Greve da Receita Federal pode gerar desemprego no PIM, alerta Cieam

Greve dos auditores fiscais preocupa o presidente do Centro das Indústrias do Amazonas, que teme demissão de postos de trabalho caso empresas precisem se reprogramar.

19 de janeiro de 2022

App se posiciona a favor de motoboys, após encerramento da Uber Eats

Fui App se posiciona a favor de motoboys quee receberam notícia do fim das atividades da Uber Eats, após sanção de lei que amplia direitos de entregadores de refeições.

18 de janeiro de 2022

FGV recebe inscrições até sexta-feira para seleção do Censo 2022 do IBGE

FGV inscreve online para mais de 206 mil vagas para o recenseamento que deve visitar mais de 70 milhões de domicílios em todo o País, de acordo com projeção do IBGE.

18 de janeiro de 2022

Governo do Amazonas investe na piscicultura familiar de Iranduba

Fomento abrange desde entrega de alevinos e kits de análise de água a assistência técnica e compra de pescado. Ao todo, foram beneficiados 700 piscicultores do estado.

18 de janeiro de 2022

Com 70,9% das famílias devendo, país encerra 2021 com recorde de endividados

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), o nível de endividamento médio das famílias brasileiras em 2021 foi o maior em 11 anos.

18 de janeiro de 2022

Servidores federais realizam ato contra ‘congelamento salarial’

Protestos acontecem em frente ao edifício-sede do Banco Central, em Brasília. Mobilização de servidores federais pede reestruturação de carreiras e reajuste salariais.

18 de janeiro de 2022

Anac autoriza redução no número de comissários em voos da Gol e Azul

Decisão leva em consideração "o recente e ainda crescente surto da variante ômicron do coronavírus no Brasil e seus respectivos impactos na disponibilidade de tripulantes".

18 de janeiro de 2022