fbpx

quarta, 19 de janeiro de 2022

Caged: em 11 meses, AM abriu 37,6 mil novos postos de trabalho

Em 11 meses, foram 195.664 trabalhadores admitidos com carteira assinada no estado, enquanto as demissões formais somaram 157.973, segundo dados do Ministério do Trabalho.

23 de dezembro de 2021

Compartilhe

Serviços lideraram números de geração de novos postos, contratações e demissões (Foto: Reprodução)

De janeiro a novembro de 2021, o Amazonas abriu 37.691 novos postos formais de trabalho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Ministério do Trabalho e Previdência. Em 11 meses, foram 195.664 trabalhadores admitidos com carteira assinada no estado, enquanto as demissões formais somaram 157.973. De acordo com os resultados, todos os setores registram saldos positivos na geração de empregos em 2021.

Neste período, o setor de serviços liderou os números, tanto de geração de novos postos, como de contratações e demissões formais. No acumulado do ano, o segmento foi responsável por 88.434 contrações e 72.841 demissões, o que resultou em um saldo positivo de 15.613 novas vagas de empregos criadas.

A indústria aparece como a segunda atividade que mais abriu vagas entre janeiro e novembro no estado, com saldo de 9.664 postos formais de emprego criados (39.818 admissões e 30.154 demissões).

Mesmo contrando mais que a indústria, o setor comercial registrou um saldo mais baixo, já que também demitiu mais. Em 11 meses, o comércio contratou 49.007 trabalhadores formais e demitiu 40.521. Com isso, o saldo da geração de empregos no setor ficou em 8.486 novas vagas abertas.

Por fim, o setor da construção civil foi o que apresentou o menor índice de geração de empregos entre janeiro e novembro deste ano – ainda que positivo. Ao todo, foram 17.406 contratações formais, contra 14.011 demissões, com saldo de 3.395 postos criados.

Novembro

Considerando apenas os números referentes ao mês de novembro, o Amazonas registrou, no mês passado, a abertura de 4.817 novos postos de trabalho, com 17.825 admissões formais e 13.008 demissões.

Ao contrário do que foi registrado no acumulado do ano, em novembro o comércio foi o grande responsável pela abertura de novos postos de trabalho com carteira assinada, com saldo positivo de 2.489 vagas abertas (5.828 admissões e 3.339 demissões).

Em seguida aparecem os setores de serviços, com saldo de 1.256 vagas abertas (7.318 admissões e 6.062 demissões) e indústria, que abriu 1.097 vagas (3.269 admissões e 2.172 demissões). Já a construção civil, foi o único setor que fechou o mês de novembro com saldo negativo na geração de empregos, com a perda de 86 vagas, com 1.316 admissões formais e 1.402 demissões.

Texto: Lucas Raposo

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Santander renegocia dívidas com clientes do Amazonas até 31 de março

Santander lança campanha nacional para negociação de dívidas com prazos estendidos de parcelamento e descontos de mais de 90% tanto pessoa física quanto jurídica.

19 de janeiro de 2022

Greve da Receita Federal pode gerar desemprego no PIM, alerta Cieam

Greve dos auditores fiscais preocupa o presidente do Centro das Indústrias do Amazonas, que teme demissão de postos de trabalho caso empresas precisem se reprogramar.

19 de janeiro de 2022

App se posiciona a favor de motoboys, após encerramento da Uber Eats

Fui App se posiciona a favor de motoboys quee receberam notícia do fim das atividades da Uber Eats, após sanção de lei que amplia direitos de entregadores de refeições.

18 de janeiro de 2022

FGV recebe inscrições até sexta-feira para seleção do Censo 2022 do IBGE

FGV inscreve online para mais de 206 mil vagas para o recenseamento que deve visitar mais de 70 milhões de domicílios em todo o País, de acordo com projeção do IBGE.

18 de janeiro de 2022

Governo do Amazonas investe na piscicultura familiar de Iranduba

Fomento abrange desde entrega de alevinos e kits de análise de água a assistência técnica e compra de pescado. Ao todo, foram beneficiados 700 piscicultores do estado.

18 de janeiro de 2022

Com 70,9% das famílias devendo, país encerra 2021 com recorde de endividados

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), o nível de endividamento médio das famílias brasileiras em 2021 foi o maior em 11 anos.

18 de janeiro de 2022

Servidores federais realizam ato contra ‘congelamento salarial’

Protestos acontecem em frente ao edifício-sede do Banco Central, em Brasília. Mobilização de servidores federais pede reestruturação de carreiras e reajuste salariais.

18 de janeiro de 2022

Anac autoriza redução no número de comissários em voos da Gol e Azul

Decisão leva em consideração "o recente e ainda crescente surto da variante ômicron do coronavírus no Brasil e seus respectivos impactos na disponibilidade de tripulantes".

18 de janeiro de 2022