terça-feira, 16 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

De vereador a conselheiro do TCE, Josué acumula riqueza de mais de R$ 2 milhões

O deputado estadual Josué Neto se lançou como candidato pela 1ª vez em 2004, sem nenhum bem declarado. Hoje, a realidade é diferente.
COMPARTILHE
Josué

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Josué Neto (Patriotas), deixará o mundo da política partidária no início do próximo mês para assumir a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) – na vaga hoje ocupada pelo pai dele, Josué Filho – amealhando um patrimônio de mais de R$ 2,2 milhões em 16 anos atuando como vereador em Manaus, quando declarou não possuir bens, e deputado estadual.

A declaração de bens de Josué Neto apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por ocasião da eleição de 2018 aponta uma riqueza de exatos R$ 2.264.800,00, o que inclui três imóveis, dois veículos, além de embarcações e outros bens não discriminados.

Josué Neto não informa nessa declaração de 2018 se tem cotas societárias na rádio Difusora, de propriedade da família dele. É uma declaração diferente da feita em 2016, quando concorreu ao cargo de vice-prefeito na chapa de Marcelo Ramos (PL), que citava ter R$ 120 mil em cotas societárias da empresa de comunicação.

Conta zerada

Quando disputou a eleição municipal de 2014 para o cargo de vereador, há 17 anos, Josué não tinha nada registrado em seu nome. Já em 2010, quando foi reeleito após exercer o primeiro mandato como deputado estadual, o patrimônio do parlamentar saltou de zero para mais de meio milhão, exatos: R$ 561.781,21.

De lá até os dias atuais, o futuro conselheiro do Estado foi eleito deputado novamente em 2014 com quase R$ 1,5 milhão em bens e, em 2016, concorrendo ao cargo de vice-prefeito, declarou R$ 2.125.000,00 ao TSE.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Curiosidade sobre os bens de Josué Neto

Em 2010, os bens declarados por Josué ao TSE eram descritos de forma mais esclarecedora. Na lista, por exemplo, o bem com maior avaliação era um apartamento situado na cidade do Rio de Janeiro.

Já na última declaração, sem mais detalhes, o patrimônio melhor avaliado de Josué, em R$ 400 mil, é descrito apenas como “outros bens imóveis”.

As informações podem ser conferidas AQUI.

No novo cargo

Como conselheiro do TCE-AM, Josué Neto será responsável por avaliar a contabilidade do governo do estado, todas as prefeituras, câmaras municipais de órgãos da administração destes entes, bem como convênios firmados entre estes e entidades da sociedade civil. O cargo é vitalício e a aposentadoria compulsória só acontece aos 75 anos.

Texto: Rosianne Couto

Leia Mais:

COMPARTILHE