fbpx

quinta, 26 de maio de 2022

Vereadores usam CMM de trampolim e 16 já cogitam salto para Aleam ou Câmara

Levantamento feito pelo RealTime1 indica que, até agora, 16 parlamentares querem 'trocar de casa'. Número pode saltar ainda mais até o fim da janela partidária, dia 2/4.

23 de março de 2022

Compartilhe

Vereadores de primeiro mandato já pensam em abandonar a legislatura na CMM para ingressar em outra Casa (Foto: Divulgação)

A Câmara Municipal de Manaus é um conhecido trampolim para políticos que visam conquistar palcos maiores da política e, neste ano, aproximadamente 40% (16) dos 41 vereadores com vaga na Casa do Povo vão tentar dar este salto, sendo alguns para a Câmara Federal e outros para a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

O número de candidatos-vereadores, contudo, pode ainda aumentar até o fim da janela partidária, em 2 de abril.

Disputarão uma vaga na Aleam, por exemplo, três vereadores da bancada evangélica: João Carlos (Republicanos), da Igreja Universal do Reino de Deus; Raiff Matos (Democracia Cristã), da Nova Igreja Batista; e Joelson Silva (Patriota) ou Luiz Mitoso (PTB), da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas. Um quinto integrante desta bancada, o vereador Marcel Alexandre (Podemos), do Ministério Internacional da Restauração (MIR), tentará vaga na Câmara Federal.

Além de Marcel Alexandre, também tentarão uma vaga de deputado federal os vereadores Marcelo Serafim (PSB), Professora Jacqueline (Podemos), Diego Afonso (União Brasil) e Amon Mandel (sem partido).

Após a vida toda filiado ao PSB, cujo pai, o deputado Serafim Corrêa é a principal liderança no Amazonas, o vereador Marcelo Serafim vai se filiar ao Avante, partido do prefeito David Almeida, sigla pela qual acredita ter mais chances de retornar à Câmara Federal, onde cumpriu mandato entre 2007 e 2010.

A vereadora Professora Jacqueline deve ingressar também no Avante e compor a chapa de candidatos à Câmara Federal, integrando a cota destinada às mulheres. Eleita pelo Podemos, ela inicialmente iria para o União Brasil, partido que abrigaria os aliados do ex-governador Amazonino Mendes, mas essa alternativa não vingou.

Diego Afonso também buscará um mandato na Câmara Federal pelo União Brasil e ao mesmo tempo trabalhará para turbinar a candidatura reeleitoral do pai dele, o deputado estadual Adjuto Afonso, do PDT.

Considerado um dos favoritos a conquistar uma vaga na Câmara Federal, Amon Mandel faz um jogo de esconde-esconde antes definir seu futuro partidário. Inicialmente, ingressaria no União Brasil ao lado do ex-governador Amazonino Mendes, que perdeu o partido para o governador Wilson Lima.

Depois, o vereador foi especulado no Cidadania, o favorito do momento para receber Amazonino. Outra possibilidade aventada nesta semana foi o MDB, do senador Eduardo Braga, que também é candidato ao governo.

Parceiro de Amon nas principais pautas de oposição a David Almeida, o vereador Rodrigo Guedes seguirá essa união ao disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), como adiantou em entrevista a TV RealTime1.

Únicos representantes de partidos de esquerda na Casa, os vereadores Jaildo Oliveira (PCdoB) e Sassá da Construção Civil (PT) serão candidatos a deputado estadual. A candidatura de Jaildo foi confirmada pela ex-senadora Vanessa Grazziotin ao RealTime1 e pelo próprio Sassá, que acredita ter força suficiente para se garantir na Aleam ao lado de Sinésio Campos (PT) e Francisco Praciano.

O próprio presidente da Casa, David Reis (Avante), vai tentar uma vaga na Assembleia Legislativa, onde substituiria o próprio pai, Sabá Reis, que foi deputado por oito legislaturas e neste ano deverá ser indicado por David Almeida para ser o vice do governador Wilson Lima.

Lissandro Breval (Avante), Capitão Carpê (Republicanos), Jander Lobato (PTB) e Wallace Oliveira (Pros) completam o time de vereadores candidatos, mas acertos ainda estão sendo feitos para definir se à Câmara ou à Aleam. Em todos, o objetivo é um só: reforçar a votação de seus partidos e ajudar na obtenção do quociente eleitoral que vai permitir as agremiações eleger um ou mais nomes fortes.

Texto: Gerson Severo Dantas, com colaboração de Jefferson Ramos

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Pacheco quer ouvir governadores antes de votar projeto que limita ICMS

Temendo perdas de arrecadação, Estados prometem pressionar senadores e até mesmo ir ao STF para barrar a proposta que define teto de 17% para ICMS de combustíveis e energia.

26 de maio de 2022

‘Ele foi covarde e pequeno como sempre é’, diz Marcelo sobre Lira

Marcelo Ramos afirmou que sua saída do cargo de vice-presidente da Câmara foi uma questão política motivada pela ira de Bolsonaro e subserviência de Arthur Lira.

26 de maio de 2022

Bolsonaro planeja mais R$ 1,2 bi para trator e ignora famílias carentes

Ministério da Cidadania comprou 247 tratores e outras máquinas agrícolas usando recursos que deveriam ser direcionados para mitigar impacto da pandemia em comunidades pobres.

26 de maio de 2022

Roberto Jefferson usa estrutura do PTB para atacar STF, dizem ex-dirigentes

Parlamentares dizem que Roberto Jefferson utiliza pessoas da estrutura partidária "para proferir xingamentos a ministros e realizar manifestações em frente ao Supremo".

26 de maio de 2022

Senado aprova MP que altera incentivos para indústrias químicas

Aprovação da medida provisória teve a relatoria do senador Eduardo Braga (MDB-AM), que aperfeiçoou o regime tributário cobrando contrapartidas do setor.

26 de maio de 2022

‘Não desisti, mas está muito difícil’, diz Plínio sobre candidatura ao Governo

O senador Plínio Valério (PSDB) afirmou que nos próximos dias deve tomar a decisão final se premanece como pré-candidato ao Governo do Amazonas até as convenções partidárias.

26 de maio de 2022

TSE aprova federação entre PSDB e Cidadania; partidos ficam juntos por 4 anos

Criado para salvar partidos pequenos, a federação pode facilitar a eleição de quadros a cargos proporcionais, como é o caso dos deputados federais.

26 de maio de 2022

Câmara pode votar sobre venda direta de etanol aos postos de combustíveis

A Medida Provisória 1100/22 faz ajustes na tributação da comercialização de etanol para viabilizar a venda direta do combustível dos produtores ao varejo.

26 de maio de 2022