fbpx

domingo, 23 de janeiro de 2022

Servidores do BC descontentes com Bolsonaro anunciam greve

Servidores do BC acompanham colegas da Receita Federal, param e devem entregar os cargos em resposta ao reajuste de Jair Bolsonaro somente para os policiais federais.

3 de janeiro de 2022

Compartilhe

O salário dos servidores não é reajustado há três anos e o movimento pede aumento de 26,3%, entre outras equiparações (Foto: Divulgação/BC)

Em ação que acompanha os servidores da Receita Federal, no final do ano, os representantes da categoria do Banco Central anunciaram a paralisação das atividades na tarde desta segunda-feira (3) e conversam sobre uma possível entrega de cargos. A apuração do site UOL e rede Jovem Pan indica que a motivação é a insatisfação com a medida do presidente Jair Bolsonaro de anunciar reajuste apenas para a categoria dos policiais federais.

Em comunicado, os servidores do BC informaram ainda que integrarão a paralisação convocada por diversos setores do funcionalismo federal para o próximo dia 18. O objetivo é pressionar o governo federal a reajustar o salário dos 3,5 mil funcionários.

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) indica que 500 funcionários da autarquia em posições comissionadas devem entregar os cargos nos próximos dias. De acordo com o presidente do Sinal, Fabio Faiad, estes cargos são responsáveis por uma série de aprovações e publicações oficiais da autoridade monetária.

Segundo a entidade, o salário dos servidores não é reajustado há três anos e o movimento pede aumento de 26,3%, o equivalente ao acumulado pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro de 2019 até o fim de 2021, mais a previsão de 5,02% para a inflação em 2022.

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), que reúne 37 entidades associativas e sindicais e representa mais de 200 mil servidores públicos, aprovou no fim de dezembro uma série de mobilizações em janeiro e em fevereiro para pressionar o governo por reajustes salariais. O movimento foi deflagrado após a aprovação de R$ 1,7 bilhão para aumento salarial de servidores da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Com informações do UOL e Jovem Pan

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Prefeito de Manaus, David Almeida, testa positivo para Covid-19

Esta é a segunda vez que David Almeida (Avante) foi diagnosticado com Covid-19. A primeira foi em setembro de 2020, durante a pré-campanha para prefeito de Manaus.

22 de janeiro de 2022

Governo vai enviar doses pediátricas para estados com baixos estoques

Remessa emergencial de vacinas para crianças será enviada a estados com estoques abaixo das 40 mil doses. Segundo o Ministério da Saúde, doze estados estão nessa situação.

22 de janeiro de 2022

‘De novo’: Bolsonaro minimiza números de mortes de crianças por Covid

Bolsonaro voltou a citar remédios sem eficácia comprovada contra o coronavírus e disse que o número de mortes de crianças pela doença foram insignificantes.

22 de janeiro de 2022

Ministério da Saúde prorroga contrato do Programa Mais Médicos em Manaus

O contrato seria encerrado no final deste mês, mas foi prorrogado a pedido da Prefeitura por conta do aumento dos atendimentos por Covid-19 e outras síndromes respiratórias.

22 de janeiro de 2022

Em Manaus, Queiroga defende vacinação mas critica passaporte vacinal

Marcelo Queiroga pediu esforço dos estados para aumentar os níveis de vacinação, mas criticou a adoção do passaporte vacinal ao dizer que o documento não ampliaria os números

22 de janeiro de 2022

Ciro diz que falhas do PT são responsáveis pela vitória de Bolsonaro

Na sua avaliação, os presidentes do PT não diferem de Bolsonaro em suas agendas econômicas, criticadas por não estabelecer políticas de tributação de grandes fortunas.

22 de janeiro de 2022

Enchente 2022: Governo do Estado institui Grupo de Ações Coordenadas

As 27 instituições integrantes do Grupo de Ações Coordenadas utilizarão seus recursos e infraestrutura já existentes para atuação integrada aos demais membros.

22 de janeiro de 2022

Eduardo Bolsonaro e Mário Frias atacam publicamente os irmãos Weintraub

Eduardo Bolsonaro e Mário Frias trocaram farpas nas redes sociais com os irmãos Weintraub, agora ex-aliados do presidente Jair Bolsonaro e que estão de volta ao País.

22 de janeiro de 2022