fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

Servidores do BC descontentes com Bolsonaro anunciam greve

Servidores do BC acompanham colegas da Receita Federal, param e devem entregar os cargos em resposta ao reajuste de Jair Bolsonaro somente para os policiais federais.

3 de janeiro de 2022

Compartilhe

O salário dos servidores não é reajustado há três anos e o movimento pede aumento de 26,3%, entre outras equiparações (Foto: Divulgação/BC)

Em ação que acompanha os servidores da Receita Federal, no final do ano, os representantes da categoria do Banco Central anunciaram a paralisação das atividades na tarde desta segunda-feira (3) e conversam sobre uma possível entrega de cargos. A apuração do site UOL e rede Jovem Pan indica que a motivação é a insatisfação com a medida do presidente Jair Bolsonaro de anunciar reajuste apenas para a categoria dos policiais federais.

Em comunicado, os servidores do BC informaram ainda que integrarão a paralisação convocada por diversos setores do funcionalismo federal para o próximo dia 18. O objetivo é pressionar o governo federal a reajustar o salário dos 3,5 mil funcionários.

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) indica que 500 funcionários da autarquia em posições comissionadas devem entregar os cargos nos próximos dias. De acordo com o presidente do Sinal, Fabio Faiad, estes cargos são responsáveis por uma série de aprovações e publicações oficiais da autoridade monetária.

Segundo a entidade, o salário dos servidores não é reajustado há três anos e o movimento pede aumento de 26,3%, o equivalente ao acumulado pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro de 2019 até o fim de 2021, mais a previsão de 5,02% para a inflação em 2022.

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), que reúne 37 entidades associativas e sindicais e representa mais de 200 mil servidores públicos, aprovou no fim de dezembro uma série de mobilizações em janeiro e em fevereiro para pressionar o governo por reajustes salariais. O movimento foi deflagrado após a aprovação de R$ 1,7 bilhão para aumento salarial de servidores da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Com informações do UOL e Jovem Pan

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Wilson Lima se reúne com agricultores no Ramal do Brasileirinho

Governador conversou com cerca de 1 mil agricultores do ramal do Brasileirinho, na zona rural de Manaus, onde ouviu demandas do setor primário do Estado.

7 de agosto de 2022

Multidão invade ruas de Maués em apoio à comitiva do PSD e aliados

A comitiva percorreu ruas do município e foi seguida por uma multidão de apoiadores que prestigiaram o lançamento da candidatura de Sidney Leite à reeleição na Câmara.

7 de agosto de 2022

Bolsonaro paga R$ 89 milhões em campanhas que elogiam sua gestão

Três campanhas institucionais são as mais caras pagas pelo Governo Bolsonaro. 60% do valor gasto até o momento é com ênfase nas redes sociais.

7 de agosto de 2022

Campanha de Lula quer Petrobras fora de privatização e ações da Eletrobras

Proposta da campanha de Lula inclui ainda a fusão da Petrobras com a Eletrobras criando uma estatal da energia. Assessores veem erros nas privatizações de Bolsonaro.

7 de agosto de 2022

Ambev pode sair do Amazonas e causar desemprego, alerta senador

Omar Aziz alertou que decretos de redução do IPI de concentrados ameaçam empregos em Maués, pois a Ambev, que compra guaraná do município; pode sair do Amazonas.

7 de agosto de 2022

Michelle Bolsonaro diz em culto que Planalto já foi ‘consagrado a demônios’

Michelle Bolsonaro reforça aspecto evangélico da campanha de Bolsonaro e tenta diminuir rejeição do presidente junto ao eleitorado das mulheres.

7 de agosto de 2022

1º debate com candidatos ao Governo do AM acontece neste domingo

Band Amazonas mantém tradição com debate e com o formato, anunciando o fim do botão de tempo que era administrado pelos próprios candidatos.

7 de agosto de 2022

Mais de 23 milhões de eleitores estão aptos a votar voluntariamente

A Constituição Federal estabelece o voto facultativo, ou seja, opcional, para os jovens de 16 e 17 anos de idade; pessoas com 70 anos ou mais e também para analfabetos.

7 de agosto de 2022