fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Amazonas Energia cobra duas bandeiras tarifárias em conta, diz Sinésio

Presidente da Aleam e deputados pregam acatar decisão da Justiça de suspender a CPI e depois criar uma nova ; mas Sinésio Campos é contrário à saída.

22 de setembro de 2021

Compartilhe

Para Sinésio Campos, a Aleam deveria recorrer da decisão de suspender os trabalhos da CPI da Amazonas Energia. (Foto-Danilo-Mello/Divulgação).

Depois de 15 dias sem conseguir derrubar a decisão que impediu o início dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito da Amazonas Energia, o presidente da comissão, deputado Sinésio Campos (PT), cobrou durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta quarta-feira (22), a instalação do colegiado e revelou que a concessionária cobra duas bandeiras tarifárias na conta de energia elétrica.

Desde o início do mês, o governo Bolsonaro permitiu a cobrança da bandeira tarifária por “escassez hídrica” com custo de R$ 14,20 a cada 100 kWh. A bandeira tarifária vermelha patamar 2, R$ 9,49 por 100 quilowatts/hora, até então a mais cara, foi descontinuada na conta de energia.

No dia 7 de setembro, Uma decisão do desembargador Aírton Luís Corrêa Gentil suspendeu os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Assembleia para apurar a concessionária de energia elétrica.

A decisão foi tomada em um sábado (4), durante plantão judicial. A CPI teria sua primeira sessão realizada no dia 9. Na análise do pedido feito pela concessionária de energia, o desembargador entendeu que o requerimento da CPI era genérico e não tratava sobre “fato certo e determinado”.

Desde então, a Casa afirma que vai recorrer da decisão. O presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade (PV), disse nesta quarta-feira (22) espera uma decisão célere da Justiça. “Acredito que em breve a gente possa retomar os trabalhos da comissão aqui na Casa”.

Sinésio mostrou a foto de uma conta de energia elétrica com a cobrança das duas tarifas. “Chegou em minhas mãos (a cobrança) do adicional da bandeira vermelha R$ 24,34 e o adicional da bandeira escassez hídrica R$ 41,61, isso aí é uma conta”, denunciou.

Cidade chegou a falar em recriar a CPI da Amazonas Energia caso até a próxima semana não tenha uma nova decisão. “Não terei problema algum de arquivar e propor outra CPI”, disse.

O presidente da Comissão rebateu a proposta e defendeu o fato gerador que provocou a instalação da CPI da Amazonas Energia. “Não teria porquê postergar e de buscar a instalação ainda de uma nova CPI. As arguições estão feitas (…) Agora se for o caso, sou capaz de abrir 15 CPIs, são várias, porque são diversos problemas que essa empresa vem prestando”, afirmou.

O deputado Wilker Barreto (Podemos) também endossou a saída proposta por Cidade. Segundo ele, a Aleam recorreu pedindo a apreciação do Tribunal Pleno do TJAM ou derrubar a atual comissão e instalar uma nova.

Texto: Jefferson Ramos

Saiba mais:

Leia mais sobre Política

Reta final da CPI tem definição de indiciados, votação e encaminhamento de Relatório

Como não possui poder de punição, último ato da CPI será o encaminhamento do Relatório Final aprovado aos órgãos responsáveis por apresentarem denúncias.

23 de outubro de 2021

Gilberto Kassab anuncia Rodrigo Pacheco como candidato a presidente

O presidente Nacional do PSD revelou, neste sábado, que o candidato do partido à presidência, no próximo ano, será o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

23 de outubro de 2021

Wilson Lima e David Almeida assinam convênios de mais de meio bilhão

O governador Wilson Lima e o prefeito David Almeida assinarão, amanhã, uma série de convênios que representarão um presente para a cidade que fará 352 anos neste domingo.

23 de outubro de 2021

STF realiza audiência para discutir a criação do juiz de garantias

Juiz de garantias vai atuar fiscalizando a legalidade dos atos praticados pelo juiz da instrução criminal, o que gerou uma dúvida sobre a constitucionalidade desta novidade.

23 de outubro de 2021

Congresso abre prazo para apresentação de emendas a LOA da União

Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo Federal reservou R$ 16,2 bilhões para os parlamentares apresentarem emendas com execução obrigatória no próximo ano.

23 de outubro de 2021

Improbidade administrativa um problema recorrente das prefeituras

Para analista político, irregularidades na prestação de contas pode ser fruto da falta de pessoal, dificuldades dos servidores e até mesmo má fé com a causa pública.

23 de outubro de 2021

“Baixo orçamento é oriundo de Arthur Neto”, culpa Antônio Stroski

Titular da secretaria de meio ambiente disse que política de "encolhimento" de antecessor foi responsável pelo atual orçamento de R$ 17,1 milhões em 2022.

23 de outubro de 2021

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021