fbpx

quinta, 23 de setembro de 2021

Pazuello depõe em inquérito da PF que apura prevaricação de Bolsonaro

O ex-ministro da Saúde começou a depor às 10h e até o momento segue na superintendência da Polícia Federal em Brasília. Pazuello hoje trabalha na cozinha do Planalto.

29 de julho de 2021

Compartilhe

Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro estão unidos para contar a mesma versão sobre os negócios suspeitos de Ricardo Barros. (Foto: Reprodução)

O secretário de Estudos Estratégicos da Presidência da República, general Eduardo Pazuello, depôs, nesta quinta-feira (29), na Polícia Federal no âmbito do inquérito que apura um possível crime de prevaricação cometido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante as negociações para a compra de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin durante o período em que o general foi Ministro da Saúde.

O inquérito foi aberto após o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) e o irmão dele, o diretor de Importação do Ministério da Saúde, Luís Ricardo Miranda, terem dito à Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid que informaram o presidente, em 20 de março, sobre as suspeitas de contrato superfaturado. Na época Bolsonaro prometeu colocar a Polícia Federal para investigar o caso, o que efetivamente ele não fez.

De acordo com os irmãos Miranda, ao ouvir o relato e as suspeitas, Bolsonaro teria dito que o negócio era “coisa de Ricardo Barros”, deputado federal (PP/PR) que é o líder do governo dele na Câmara Federal. Luiz Miranda também relatou uma conversa com Pazuello na qual o ex-ministro lamentava a força de Barros no governo.

“Ele [Pazuello] olhou para a minha cara, com uma cara de descontentamento, e falou assim: ‘Luis, eu não duro mais nem essa semana. É certeza, eu vou ser exonerado. Eu tenho conhecimentos de algumas coisas, tento coibir, e exatamente por eu não compactuar com determinadas situações, eu vou ser exonerado’”, narrou o deputado federal.

Luis Miranda prestou depoimento na PF nessa terça-feira (27). O irmão dele uma semana antes. Agora, chegou a vez de Pazuello.

Texto: Gerson Severo Dantas, com informações do site Metrópoles

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Reforma administrativa: Alberto Neto chama discussão de palhaçada

Capitão Alberto Neto, um dos deputados que integram a Comissão Especial da Reforma Administrativa, perdeu a paciência durante o debate dos colegas parlamentares.

23 de setembro de 2021

David recorre à Justiça e Amom monta nova ação para barrar ‘puxadinho’ da CMM

Vereador anunciou que tanto ele quanto Rodrigo Guedes já estão preparando não apenas as contrarrazões, mas também novas ações na justiça com outros argumentos.

23 de setembro de 2021

Trento, Flávio Bolsonaro e ministro foram a Las Vegas tratar de jogos de azar

Revelação veio a tona nas inquirições feitas pelos senadores Humberto Costa (PT/PE) e o governista Eduardo Girão, que revelou presença do filho do presidente na viagem.

23 de setembro de 2021

TRF-6 em Minas Gerais passa na frente e ‘rouba’ servidores do AM

Enquanto Minas Gerais ficará com o TRF-6, um Tribunal exclusivo, o TRF1, do qual o Amazonas faz parte, ficará responsável por 13 estados, uma matemática totalmente desigual.

23 de setembro de 2021

Fim das coligações: grandes caciques podem ficar sem a fatia do bolo

O fim das coligações partidárias pode dificultar a entrada de muitos políticos já acostumados a serem eleitos mesmo com o número de votos inferior a outros concorrentes.

23 de setembro de 2021

Amazonino e Braga intensificam ‘paternidade’ de obras públicas no AM

Nesse mês de setembro, as equipes de Amazonino e Braga intensificaram postagem sobre obras e projetos criados na gestão dos políticos, que hoje caminham em lados opostos.

23 de setembro de 2021

Wilson libera pagamento de indenizações às famílias que residiam no Igarapé do 40

De 2019 até setembro desse ano, já foram investidos R$ 56,7 milhões para retirar famílias de áreas alagadas e reassentá-las em áreas com infraestrutura e saneamento.

23 de setembro de 2021

TRE cassa mandato de Sandro Maia por abuso de poder econômico

A sentença afirma que o vereador realizou reuniões com usuários da ONG Sandro Maia para angariar votos, de forma ilícita, em seu favor no pleito municipal do ano passado.

23 de setembro de 2021