fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

Paulo Guedes e presidente do Banco Central serão ouvidos no Senado e na Câmara

Documentos revelaram que o Ministro da Economia, Paulo Guedes e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto possuem offshores em paraísos fiscais.

7 de outubro de 2021

Compartilhe

(Foto: Reprodução)

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (5), a convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para que esclareçam informações sobre as empresas mantidas por eles no exterior, em paraísos fiscais.

”Considerando que o sr. Paulo Guedes é o ministro da Economia, o quadro se torna bastante grave, porque, sem a devida supervisão dos órgãos brasileiros, não podemos saber se ele se beneficiou financeiramente de algum dos atos praticados por ele ou por seus subordinados enquanto ministro de Estado”, argumenta Kim Kataguiri (DEM-SP), autor do requerimento.

No Senado, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) também aprovou convites para que o Guedes e Campos Neto prestem esclarecimentos sobre as empresas. A oitiva foi agendada para 19 de outubro. Por ser convite, os dois não são obrigados a comparecer à comissão do Senado.

Caso Pandora Papers

As informações sobre as empresas do ministro da Economia e do presidente do Banco Central foram reveladas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês), que, no domingo (3), divulgou 11,9 milhões de documentos de escritórios administradores de offshores em todo o mundo.

Cerca de 35 atuais e ex-líderes mundiais, bem como mais de 330 políticos e funcionários públicos em todo o mundo são mencionados no relatório. (Sputnik)

Como votou a bancada amazonense

Os oito deputados federais do Amazonas ficaram divididos, três votaram pela convocação de Guedes e Campos: Átila Lins (PP), José Ricardo (PT) e Sidney Leite (PSD). Enquanto, Bosco Saraiva (Solidariedade), Capitão Alberto Neto (Republicanos), Delegado Pablo (PSL) e Silas Câmara (Republicanos) votaram para não convocar o ministro e o presidente do Banco Central. O deputado Marcelo Ramos (PL) presidia a sessão e por isso não teve direito a voto.

Com informações do Portal Estação da Notícia

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Wilson Lima se reúne com agricultores no Ramal do Brasileirinho

Governador conversou com cerca de 1 mil agricultores do ramal do Brasileirinho, na zona rural de Manaus, onde ouviu demandas do setor primário do Estado.

7 de agosto de 2022

Multidão invade ruas de Maués em apoio à comitiva do PSD e aliados

A comitiva percorreu ruas do município e foi seguida por uma multidão de apoiadores que prestigiaram o lançamento da candidatura de Sidney Leite à reeleição na Câmara.

7 de agosto de 2022

Bolsonaro paga R$ 89 milhões em campanhas que elogiam sua gestão

Três campanhas institucionais são as mais caras pagas pelo Governo Bolsonaro. 60% do valor gasto até o momento é com ênfase nas redes sociais.

7 de agosto de 2022

Campanha de Lula quer Petrobras fora de privatização e ações da Eletrobras

Proposta da campanha de Lula inclui ainda a fusão da Petrobras com a Eletrobras criando uma estatal da energia. Assessores veem erros nas privatizações de Bolsonaro.

7 de agosto de 2022

Ambev pode sair do Amazonas e causar desemprego, alerta senador

Omar Aziz alertou que decretos de redução do IPI de concentrados ameaçam empregos em Maués, pois a Ambev, que compra guaraná do município; pode sair do Amazonas.

7 de agosto de 2022

Michelle Bolsonaro diz em culto que Planalto já foi ‘consagrado a demônios’

Michelle Bolsonaro reforça aspecto evangélico da campanha de Bolsonaro e tenta diminuir rejeição do presidente junto ao eleitorado das mulheres.

7 de agosto de 2022

1º debate com candidatos ao Governo do AM acontece neste domingo

Band Amazonas mantém tradição com debate e com o formato, anunciando o fim do botão de tempo que era administrado pelos próprios candidatos.

7 de agosto de 2022

Mais de 23 milhões de eleitores estão aptos a votar voluntariamente

A Constituição Federal estabelece o voto facultativo, ou seja, opcional, para os jovens de 16 e 17 anos de idade; pessoas com 70 anos ou mais e também para analfabetos.

7 de agosto de 2022