fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Evangélicos: base de sustentação de Bolsonaro tem estremecido

Pesquisa PoderData indicou que, enquanto número de evangélicos que considera o trabalho do presidente ótimo/bom caiu de 5%, os que acham ruim/péssimo subiu 3%.

14 de outubro de 2021

Compartilhe

Taxa de evangélicos que o consideram "ótimo" ou "bom" recuou em 2 meses (Foto: Reprodução)

Uma das principais bases de sustentação do Governo Bolsonaro, os eleitores evangélicos têm indicado uma leve decepção com o trabalho do presidente no comando do país, resultando no recuo de 5% daqueles que consideram sua gestão “ótima” ou “boa”.

O números refere-se à pesquisa PoderData realizada entre os dias 11 e 13 de outubro.

No levantamento de agosto da mesma pesquisa, a taxa de evangélicos que consideravam os trabalhos de Jair Bolsonaro (sem partido) “ótimo” ou “bom” era de 50%, hoje, a taxa é de 45%.

A pesquisa indica que as classificações negativas têm crescido. Para 37% dos evangélicos, o trabalho do presidente hoje é “ruim” ou “péssimo” – antes era 34%. Para a avaliação regular, o número saltou de 11 para 16%.

E os católicos?

Já entre os católicos, Bolsonaro é considerado “ruim” ou “péssimo” por 57%, antes 67% em agosto. Mesmo com o refresco, a taxa é maior do que a observada na população geral (de 53%). A base de apoio (“ótimo” + “bom”) entre católicos, no entanto, teve uma oscilação positiva de 5 pontos, ficando em 26% ante 21% há 2 meses e meio.

População geral

Quando considera-se toda a população brasileira, o trabalho pessoal de Bolsonaro tem 53% de “ruim” ou “péssimo”, contra 29% de “ótimo” ou “bom”. O grupo que considera o trabalho do presidente “regular” é de 18%.

Os números mostram uma leve tendência positiva para o Palácio do Planalto nos últimos 30 dias. No fim de setembro, o presidente chegou ao seu maior nível de rejeição já registrado pelo PoderData.

Dados da pesquisa

A pesquisa PoderData ouviu 2.500 pessoas em 469 municípios nas 27 unidades da Federação.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Da Redação, com informações do Poder 360

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021

Ex-ministro Esteves Colnago assumirá Secretaria de Tesouro e Orçamento

A nomeação foi confirmada há pouco pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em declaração conjunta ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

22 de outubro de 2021

Presidência ou Senado? Sérgio Moro confirma filiação ao Podemos

O ex-juiz deve decidir se concorrerá à Presidência ou ao Senado em breve. A expectativa dentro do partido é que Moro concorra ao Palácio do Planalto.

22 de outubro de 2021

Precatórios: mudanças no teto de gastos, vacinas e Auxílio Brasil

O relator, deputado Hugo Motta, destacou que a aprovação é importante para garantir o Auxílio Brasil, com a previsão de R$ 400 para atender 17 milhões de famílias em 2022.

22 de outubro de 2021

Magistrados do TJAM custaram quase 50 mil em 2020, diz CNJ

Relatório Justiça em Números, produzido pelo Conselho Nacional de Justiça, apresenta números detalhados da atividade dos tribunais brasileiros em 2020.

22 de outubro de 2021

Grupo Samel se posiciona sobre estudo com a proxalutamida

Diretoria do grupo Samel explicou, em direito de resposta obtido na Justiça contra o jornal O Globo, qual papel da empresa na pesquisa com medicamento proxalutamida.

22 de outubro de 2021

Senado aprova PL que prevê repasse de R$ 2 bilhões para Santas Casas

As entidades a serem beneficiadas são aquelas que complementam as operações do SUS, recebendo demandas do sistema público. O texto ainda precisa ser votado na Câmara.

22 de outubro de 2021

Governo pede correção na autorização de empréstimo de R$ 452 milhões

Governo alegou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) solicitou garantias mais sólidas para a celebração do contrato entre as partes.

22 de outubro de 2021