fbpx

quarta, 01 de dezembro de 2021

Chega de Petrolão, Mensalão e rachadinha, diz Moro ao se filiar ao Podemos

Ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sérgio Moro assinou ficha de filiação ao Podemos e já se colocou à disposição para disputar a Presidência da República em 2022.

10 de novembro de 2021

Compartilhe

Ex-ministro da Justiça, Sergio Moro em discurso de filiação ao Podemos (Foto: Adriano Machado/Crusoé)

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro oficializou, nesta quarta-feira (10), a filiação dele ao Podemos. Em discurso, Moro se colocou à disposição para concorrer às eleições de 2022, seja como senador ou presidente da República. O ex-juiz resgatou os planos do pacote anticorrupção, defendeu o combate às drogas e o fim do foro privilegiado.

“Esse não é um projeto pessoal de poder, mas sim um projeto de país. Nunca tive ambições políticas, quero apenas ajudar. Se, para tanto, for necessário assumir a liderança nesse projeto, meu nome sempre estará à disposição do povo brasileiro. Não fugirei dessa luta, embora saiba que será difícil”, disse.

O ex-ministro deverá definir sua posição de candidatura nos próximos meses. O discurso, no entanto, foi de presidenciável. Moro falou de questões como combate à pobreza, segurança pública, educação, saúde e, claro, corrupção. Moro também fez críticas aos governos do PT e de Jair Bolsonaro, ao qual serviu. “Chega de corrupção, chega de mensalão, chega de petrolão, chega de rachadinha. Chega de querer levar vantagem em tudo e enganar a população”, discursou.

Moro, que teve sua atuação na Lava Jato contestada, com a anulação de condenações do ex-presidente Lula, fez menção ao petrolão. “A Petrobras foi saqueada, dia e noite, por interesses políticos, como ‘nunca antes na história deste país’. Apartamentos forrados de dinheiro roubado em espécie, e uma persistente recessão provocada pelos mesmos governos que permitiram tudo isso, com as pessoas comuns desempregadas e empobrecendo”, disse.

O ex-juiz disse que entrou para o governo Bolsonaro por acreditar que aquele era um momento de mudança no país. Depois de enaltecer sua participação à frente do Ministério da Justiça, em 2019, Moro disse que foi boicotado pelo governo.

Com informações do Congresso em Foco

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprova PEC dos Precatórios

A PEC do senador Fernando Bezerra, que já passou pela Câmara dos Deputados, libera espaço fiscal em 2022 para o pagamento do programa social Auxílio Brasil.

1 de dezembro de 2021

Prazo para apresentação de emendas impositivas à LOA encerra hoje

O Governo estima o orçamento para o próximo ano fiscal em pouco mais de R$ 24 bilhões. Os deputados podem dispor de 1,2% da receita corrente líquida para emendas individuais.

1 de dezembro de 2021

Comissão de Educação ignora pedidos do Sinteam e frustra educadores

Sindicato que representa a categoria dos profissionais da Educação diz que a comissão não deu retorno de ofícios protocolados ao longo do ano; reajuste é uma das pautas.

1 de dezembro de 2021

STF mantém foro de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas

A investigação que atinge o senador foi desidratada por decisões do STJ, que anulou a maior parte das provas colhidas em primeiro grau por considerar o juízo incompetente.

1 de dezembro de 2021

Deputados debatem prática de empinar moto como atividade desportiva

Deputada diz que o 'grau de moto' têm sido muitas vezes reprimido por agentes da polícia e por isso quer transformar a 'acrobacia' em esporte.

1 de dezembro de 2021

Destacando presença de deputados, Bolsonaro oficializa entrada no PL

Durante o evento, o presidente Jair Bolsonaro destacou que a cerimônia foi uma simples filiação ao partido e que não estava “lançando ninguém a cargo nenhum”.

30 de novembro de 2021

Plínio e Marcelo defendem emendas do relator e transparência na aplicação

Senador Plínio Valério e o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, defenderam o instrumento que possibilita liberação de recursos para o Estado e os municípios.

30 de novembro de 2021

Ministério Público do Amazonas vai investigar garimpagem no rio Madeira

MP-AM instalou inquérito civil público na última sexta-feira (26) para investigar "possíveis irregularidades" das balsas de garimpo que se amontoaram no Rio Madeira.

30 de novembro de 2021