fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

Bolsonaro chega a 1.000 dias com popularidade menor que a de Dilma

Bolsonaro é mais bem avaliado do que Fernando Collor, que foi alvo de impeachment no 1.020 dia na presidência. Presidente completou 1.000 dias de governo neste domingo.

26 de setembro de 2021

Compartilhe

Diante da pandemia de covid-19 e da deterioração de indicadores econômicos, Bolsonaro tem a 2ª menor taxa de popularidade entre os presidentes pós-redemocratização. (Foto: Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) completa neste domingo (26.set.2021) a marca de 1.000 dias como hóspede do Palácio da Alvorada, em Brasília.

Diante da pandemia de covid-19 e da deterioração de indicadores econômicos, Bolsonaro tem a 2ª menor taxa de popularidade entre os presidentes pós-redemocratização ao chegar ao milésimo dia de governo. Só ganha de Fernando Collor de Mello, que deixou o cargo no 1.020º dia de gestão.

O Poder360 compilou os dados de todas as pesquisas de popularidade dos presidentes eleitos de 1992 até 2021. Os levantamentos usados são das empresas Datafolha, Ibope, Ipec e PoderData. Itamar Franco (1992-1995) e Michel Temer (2016-2018) não foram considerados, pois não chegaram a completar 1.000 dias à frente do governo —Itamar teve 732 dias; Temer, 852.

A pesquisa mais recente, do Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria), divulgada na 4ª feira (22.set), mostra que 53% dos entrevistados consideram o governo Jair Bolsonaro “ruim” ou “péssimo”. Para 23%, a atual gestão é “regular”. São 22% os que aprovam o governo. O Ipec é administrado por executivos ligados ao antigo Ibope (que fechou as portas em janeiro de 2021).

Em 27 de setembro de 2013, Dilma Rousseff (PT) era aprovada por 36%, segundo o Datafolha, e por 37%, segundo o Ibope. A presidente enfrentava as maiores manifestações contra o seu governo até então. Atos por todo o país haviam estourado em junho e produziram ecos pelos meses seguintes. No auge dos protestos daquele ano, a petista viu a taxa de aprovação cair 27 pontos percentuais em 1 mês (Datafolha).

O Datafolha, empresa do jornal Folha de S.Paulo, divulgou pesquisa em 16 de setembro que também mostra Bolsonaro aprovado por 22% da população. São 24% os entrevistados que o consideram “regular” e 56% os que o avaliam como “ruim” ou “péssimo”.

Da redação, com informações do Poder 360

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Wilson Lima se reúne com agricultores no Ramal do Brasileirinho

Governador conversou com cerca de 1 mil agricultores do ramal do Brasileirinho, na zona rural de Manaus, onde ouviu demandas do setor primário do Estado.

7 de agosto de 2022

Multidão invade ruas de Maués em apoio à comitiva do PSD e aliados

A comitiva percorreu ruas do município e foi seguida por uma multidão de apoiadores que prestigiaram o lançamento da candidatura de Sidney Leite à reeleição na Câmara.

7 de agosto de 2022

Bolsonaro paga R$ 89 milhões em campanhas que elogiam sua gestão

Três campanhas institucionais são as mais caras pagas pelo Governo Bolsonaro. 60% do valor gasto até o momento é com ênfase nas redes sociais.

7 de agosto de 2022

Campanha de Lula quer Petrobras fora de privatização e ações da Eletrobras

Proposta da campanha de Lula inclui ainda a fusão da Petrobras com a Eletrobras criando uma estatal da energia. Assessores veem erros nas privatizações de Bolsonaro.

7 de agosto de 2022

Ambev pode sair do Amazonas e causar desemprego, alerta senador

Omar Aziz alertou que decretos de redução do IPI de concentrados ameaçam empregos em Maués, pois a Ambev, que compra guaraná do município; pode sair do Amazonas.

7 de agosto de 2022

Michelle Bolsonaro diz em culto que Planalto já foi ‘consagrado a demônios’

Michelle Bolsonaro reforça aspecto evangélico da campanha de Bolsonaro e tenta diminuir rejeição do presidente junto ao eleitorado das mulheres.

7 de agosto de 2022

1º debate com candidatos ao Governo do AM acontece neste domingo

Band Amazonas mantém tradição com debate e com o formato, anunciando o fim do botão de tempo que era administrado pelos próprios candidatos.

7 de agosto de 2022

Mais de 23 milhões de eleitores estão aptos a votar voluntariamente

A Constituição Federal estabelece o voto facultativo, ou seja, opcional, para os jovens de 16 e 17 anos de idade; pessoas com 70 anos ou mais e também para analfabetos.

7 de agosto de 2022