fbpx

domingo, 24 de outubro de 2021

A um ano das eleições, 83 partidos estão na fila de registro do TSE

O TSE analisa em Plenário os pedidos de registro partidário das siglas que reuniram o apoio mínimo para sua criação. Na lista, há o Aliança pelo Brasil, de Jair Bolsonaro.

10 de outubro de 2021

Compartilhe

Siglas devem estar regularizadas até março de 2022 para poder concorrer nas eleições (Foto: Divulgação)

A cerca de um ano do 1º turno das eleições de 2022, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem 83 partidos em formação na fila de registro. Nessa lista, está o Aliança Pelo Brasil, sigla que o presidente Jair Bolsonaro tenta viabilizar.

O União Brasil, legenda da fusão entre DEM-PSL, ainda não está na fila, mas avança nos processos de criação da nova sigla, que será a maior bancada da Câmara, se for registrada.

As agremiações têm até março do ano que vem para estarem legalizadas e poderem concorrer nas eleições de 2022. Em março, é aberta a chamada “janela partidária”, prazo em que políticos podem mudar de partido sem perder o mandato vigente.

De acordo com o TSE, para a criação de um partido é necessário comunicar à Justiça Eleitoral o registro civil em cartório da agremiação. Esse é o caso das 83 organizações na fila, que já fizeram esse processo. Até março, as siglas têm de demonstrar que conseguiram apoio mínimo de eleitores (cerca de 500 mil apoiamentos) para a sua efetivação.

Depois de cumpridas essas exigências, o partido em formação deve apresentar ao TSE o pedido de registro de seu estatuto. O pedido de registro partidário é analisado no Plenário do TSE, em sessão administrativa.

Se o requerimento for aprovado, a agremiação passará a existir de fato, e seus filiados poderão disputar eleições junto dos outros 77 partidos políticos já existentes no país.

Além de um estatuto registrado até seis meses antes da eleição, também é preciso ter um órgão de direção constituído até a data da convenção.

Na lista de partidos em formação, estão, além do Aliança, siglas de esquerda e conservadoras, bem como agremiações voltados para causas específicas como a indígena. A lista inclui: Partido Nacional Indígena, Partido do Esporte, Partido dos Defensores da Ecologia, Partido da Frente Favela Brasil e Partido Conservadores.

Bolsonaro

Desde novembro de 2019, o presidente Jair Bolsonaro está sem uma sigla.

As movimentações políticas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a fusão de PSL e DEM pressionaram o presidente a acelerar sua busca por um novo partido.

O mais cotado no momento é o PP, ao qual Bolsonaro já foi filiado por 11 anos. Integrantes da sigla dão como certo o embarque do presidente, mas aliados do presidente estão divididos quanto ao seu futuro político.

PTB e PL ainda estão no radar do presidente.

Com informações do Poder 360

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Reta final da CPI tem definição de indiciados, votação e encaminhamento de Relatório

Como não possui poder de punição, último ato da CPI será o encaminhamento do Relatório Final aprovado aos órgãos responsáveis por apresentarem denúncias.

23 de outubro de 2021

Gilberto Kassab anuncia Rodrigo Pacheco como candidato a presidente

O presidente Nacional do PSD revelou, neste sábado, que o candidato do partido à presidência, no próximo ano, será o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

23 de outubro de 2021

Wilson Lima e David Almeida assinam convênios de mais de meio bilhão

O governador Wilson Lima e o prefeito David Almeida assinarão, amanhã, uma série de convênios que representarão um presente para a cidade que fará 352 anos neste domingo.

23 de outubro de 2021

STF realiza audiência para discutir a criação do juiz de garantias

Juiz de garantias vai atuar fiscalizando a legalidade dos atos praticados pelo juiz da instrução criminal, o que gerou uma dúvida sobre a constitucionalidade desta novidade.

23 de outubro de 2021

Congresso abre prazo para apresentação de emendas a LOA da União

Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo Federal reservou R$ 16,2 bilhões para os parlamentares apresentarem emendas com execução obrigatória no próximo ano.

23 de outubro de 2021

Improbidade administrativa um problema recorrente das prefeituras

Para analista político, irregularidades na prestação de contas pode ser fruto da falta de pessoal, dificuldades dos servidores e até mesmo má fé com a causa pública.

23 de outubro de 2021

“Baixo orçamento é oriundo de Arthur Neto”, culpa Antônio Stroski

Titular da secretaria de meio ambiente disse que política de "encolhimento" de antecessor foi responsável pelo atual orçamento de R$ 17,1 milhões em 2022.

23 de outubro de 2021

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021