fbpx

terça, 07 de dezembro de 2021

5 de dezembro: coarienses definirão quem vai controlar 2º maior orçamento do AM

Eleição suplementar em Coari vai escolher quem comandará o segundo maior orçamento do estado. Adail Filho aposta no nome do primo para sua sucessão.

21 de outubro de 2021

Compartilhe

Adail Filho sinalizou que pretende lançar o primo que foi seu vice-prefeito nas eleições suplementares (Foto: Reprodução)

As eleições suplementares em Coari que vão decidir o novo prefeito do município serão no dia 5 de dezembro. O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) definiu a data nesta quinta-feira (21). O escolhido pela população coariense terá um orçamento de quase R$ 300 milhões para administrar.

No dia 7 de outubro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o o registro de candidatura do, agora, ex-prefeito Adail Filho (Progressistas). Pelo entendimento do relator e dos demais ministros que votaram a favor da cassação, a vitória de Adail Filho em 2019 para uma nova gestão na Prefeitura de Coari configurou um terceiro mandato consecutivo da família Pinheiro.

Adail Filho sinalizou que pretende lançar o primo Keitton Pinheiro, que foi seu vice, nas eleições suplementares.

Orçamento de encher os olhos

Coari tem um orçamento de R$ 287,097 milhões para este ano.

O RealTime1 mostrou ontem que Coari recebeu, de janeiro a agosto deste ano, R$ 74,5 milhões em royalties da Petrobras, que faz a exploração de petróleo e gás na Província Petrolífera de Urucu, localizada no município.

O valor é R$ 30,9 milhões superior ao recebido no mesmo período do ano passado, quando o repasse foi de R$ 43,5 milhões. O aumento de 71% decorre da explosão dos preços dos combustíveis no Brasil.

Entre 2018 e agosto de 2021 o total de royalties recebidos pela prefeitura do município foi de R$ 359,3 milhões.

Texto: Jefferson Ramos

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Omar critica liberação de garimpo em áreas indígenas no Amazonas

Decisão de liberar projetos de mineração em São Gabriel da Cachoeira foi tomada pelo chefe do GSI, Augusto Heleno, e alvo de críticas do senador Omar Aziz.

6 de dezembro de 2021

Cadastro Nacional vai reunir informações de pessoas condenadas por pedofilia

Os dados serão levantados pelo Conselho Nacional de Justiça. Entre os crimes estão estupro de vulnerável; corrupção de menores; exploração sexual de criança ou adolescentes.

6 de dezembro de 2021

Após tramitação relâmpago, vereadores aprovam Secretaria de Segurança

A criação de 68 cargos para o funcionamento da Segurança Pública gerou críticas dos vereadores Amom Mandel e Rodrigo Guedes. Governistas defenderam a criação dos cargos.

6 de dezembro de 2021

Vitória de Keitton em Coari aumenta poder de fogo dos Pinheiros em 2022

Eleição de Keitton Pinheiro ajuda a 'turbinar' as candidaturas de Adail Pinheiro Filho para deputado federal e de Mayara Pinheiro para permanência da sua vaga na Assembleia.

6 de dezembro de 2021

Absorventes e fundão eleitoral: Congresso analisa vetos de Bolsonaro

Congresso Nacional analisa, nesta terça-feira (7), os vetos do presidente ao fundão eleitoral de R$ 5 bilhões e a distribuição de absorventes para estudantes de baixa renda.

6 de dezembro de 2021

Em novo pacote de projetos de lei, Governo garante pagamento de datas-bases

A reestruturação da Lei 3.510 era esperada há décadas. Com ela, é possível a atualização salarial de vencimento e gratificações. A correção era esperada por 1987 servidores.

6 de dezembro de 2021

Bolsonaro quer Governo Federal decidindo sobre passaporte da vacina

Uma MP assinada por Bolsonaro teria o poder de alterar imediatamente essa lei, interferindo na autonomia de Estados e municípios, mas poderia ser rejeitada pelo Congresso.

6 de dezembro de 2021

General Heleno autoriza avanço de garimpo em áreas preservadas da Amazônia

Ministro Augusto Heleno do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) permitiu sete projetos de pesquisa de ouro em região na fronteira, ato inédito nos últimos dez anos.

6 de dezembro de 2021