sexta-feira, 12 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Negócios de fornecimento de marmitas crescem 40% no Amazonas

Levantamento do Sebrae aponta tendência do segmento do ramo de alimentação na comparação ao período pré-pandêmico.
COMPARTILHE
Marmitas

Em 2022, foram abertos 930 pequenos negócios de fornecimento de marmitas no Amazonas. O número é inferior aos dois anos anteriores, marcados pelas restrições da pandemia, mas supera 2019 e aponta para o aumento de interessados no ramo.

De acordo com dados da Receita Federal em levantamento do Sebrae, a alta de empreendimentos no setor representou 40% se comparado ao período pré-pandêmico.

Em todas as 27 unidades da federação o movimento é semelhante: aumento no número de novas empresas fornecedoras de marmitas durante os primeiros anos de pandemia de Covid-19, seguido de queda em 2022.

No entanto, essa redução não foi inferior aos números de 2019 em 24 estados, o que mostra uma tendência nacional. Em todo o Brasil foram quase 80 mil negócios abertos em 2022, frente aos menos de 74 mil em 2019.

O analista de negócios do Sebrae Amazonas, Ricardo Sampaio, explica que o período de quarentena contribuiu para a mudança no nível de exigência do consumidor.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

“As pessoas estavam acostumadas a comer aquilo que se dispunha e não iam atrás de coisas com maior qualidade funcional. Com a pandemia, elas passaram a pensar mais em qualidade de vida”, analisou.

Nesse cenário, as empresas que optaram pela diversificação perceberam um aumento na clientela. Foi o caso da Casa da Vovó Manu, delivery de marmitas, sopas e sucos veganos.

“A gastronomia vegana é um setor que está subindo bastante, até porque a maioria dos meus clientes não são veganos”, observou a proprietária do empreendimento, Manuela Genício. “Eles buscam a saúde acima de tudo, mudando de hábitos”.

Capacitação

Os empreendedores que pretendem investir no segmento de alimentação encontram no Sebrae as orientações e capacitações necessárias para a gestão, marketing e vendas.

Ricardo Sampaio reforça que há mercado no setor para quem se especializa.


“Quanto mais especializados forem os fornecedores, mais eles farão inovações no processo, na logística e na própria composição do alimento”, destaca.

Uma das ações oferecidas para desenvolvimento de um produto especializado é o Sebraetec, programa do Sebrae subsidiado em até 70% do custo que oferece acesso a serviços tecnológicos e de inovação, visando à melhoria de processos e produtos.

Leia mais:

COMPARTILHE