fbpx

quinta, 30 de junho de 2022

Sefaz resume projeto que unifica ICMS em 17%: ‘catastrófico’

Secretário da Sefaz afirma que caso projeto de unificação do ICMS em 17% seja sancionado, arrecadação estadual terá perda de R$ 1 bilhão ao ano, afetando serviços à população

8 de junho de 2022

Compartilhe

Sefaz afirma que unificação do ICMS resultará em perda de R$ 1 bi na arrecadação (Foto: Reprodução)

O titular da Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz-AM), Alex Del Giglio, definiu como ‘catastrófico‘ o projeto de lei que prevê a unificação da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis, energia, telecomunicações e transportes coletivos, em 17% para todos os estados. Segundo o secretário, a medida, caso sancionada, representará perda anual estimada em R$ 1 bilhão aos cofres estaduais.

“O projeto que está tramitando no Congresso vai comprometer a prestação de serviços dos estados à população. A mudança gerará uma perda entre R$ 70 bilhões e R$ 100 bilhões por ano em receitas, de acordo com cálculos do Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz)”, informou Del Giglio.

Conforme a Sefaz, o recolhimento do ICMS representa 90% do total da arrecadação tributária estadual.

A Lei Complementar Nº19/1997 institui o código tributário estadual. Conforme a legislação, as alíquotas de ICMS sobre os combustíveis são: de 25% sobre a gasolina, 25% sobre o preço do etanol e 18% sobre o valor do diesel.

Projeto propõe compensação

O Projeto de Lei Complementar 211/2021 visa reduzir os preços dos produtos considerados essenciais como gasolina, diesel e conta de luz, que impulsionaram a inflação do país nos últimos meses. Em paralelo, as mudanças também reduzirão a arrecadação estadual.

De acordo com o projeto, o governo federal compensará integralmente os estados pela perda de arrecadação do ICMS por meio de descontos em parcelas de dívidas com a União, até o dia 31 de dezembro.

Texto: Priscila Caldas

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Concurso da Agência de Fomento do AM abre inscrições no dia 18 de julho

São ofertadas 30 vagas para nível superior neste certame, onde os salários chegam até R$ 6,5 mil. O edital já pode ser consultado hoje no site da comissão organizadora.

30 de junho de 2022

Conheça o Empresa Fácil, sistema que facilita abertura de empresas em Manaus

O Empresa Fácil coleta os dados necessários para o funcionamento da empresa pelo preenchimento de formulário eletrônico único, disponível na internet, pelo site da Jucea.

29 de junho de 2022

“Porta-voz da ZFM”, Daniella Consentino deverá presidir a Caixa

Braço direito de Paulo Guedes, Consetino deixa a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade pouco mais de quatro meses após assumir a predidência.

29 de junho de 2022

PIM fecha primeiro quadrimestre com alta de 8,96% no faturamento

Entre janeiro e abril, o faturamento total do Polo Industrial de Manaus ficou em R$ 52,68 bilhões, o que representa alta de 8,96% em relação ao mesmo período de 2021.

29 de junho de 2022

Amazonas melhora índice e obtém nota A em transparência fiscal

O Amazonas está entre os Estados que tiraram nota A juntamente com Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina e Tocantins.

28 de junho de 2022

Programa de capacitação em tecnologia para mulheres tem inscrições abertas

Programa Santander Code Girls 2022, uma iniciativa do Santander Universidades, atende a mulheres que têm interesse na área de Tecnologia e desejam trabalhar com programação.

28 de junho de 2022

Postos já recebem gasolina com desconto de impostos federais

Desconto ainda é gradual, já que o repasse depende dos estoques das distribuidoras, mas o governo negocia com o setor uma alternativa para agilizar os cortes nos preços.

28 de junho de 2022

Estados fazem propostas no STF sobre o ICMS dos combustíveis

Governadores, secretários de fazenda e representantes da União participaram de audiência de conciliação marcada por Gilmar Mendes do STF para tratar dos combustíveis.

28 de junho de 2022