fbpx

sexta, 28 de janeiro de 2022

Eleições devem impulsionar setor imobiliário do Amazonas em 2022

Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas estima que período eleitoral alavanque setor de obras públicas, gerando crescimento ao setor; este ano, subiu 15%.

23 de dezembro de 2021

Compartilhe

Ademi prevê que eleições impulsionem construção e ‘segurem’ o setor (Foto: Divulgação)

As eleições de 2022 poderão impulsionar a ocorrência de obras públicas e impactar, positivamente, os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil, do estado, no próximo ano. A previsão é do presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas (Ademi-AM), Albano Máximo.

A projeção otimista é baseada nos índices positivos registrados pelo setor imobiliário em 2021, com faturamento de R$1,1 bilhão e crescimento de 15% em relação a 2020. O presidente enfatiza que ainda que as vendas no setor de construção reduzam, nos próximos meses, o setor de obras públicas deverá despontar em execuções, contribuindo para o avanço do segmento.

“Talvez as vendas no setor de construção diminuam, mas teremos um setor de obras públicas muito atuante graças à eleição. Muitas obras serão feitas em 2022, gerando emprego e impactando na construção civil. Esse cenário dará estabilidade ao PIB de 2022”, comentou.

Crescimento após pandemia

O presidente destaca que o segmento imobiliário, no estado, reagiu e conseguiu superar os impactos negativos decorrentes da pandemia da Covid-19. Outro entrave enfrentado pelo setor que também foi vencido foi a interrupção nas análises e aprovações de processos por parte dos órgãos públicos de meio ambiente. Máximo afirma que a situação foi normalizada.

“Hoje, conseguimos alavancar vários lançamentos na cidade. Devido a pandemia, um trimestre foi praticamente perdido. Com tudo isso o segmento reagiu e conseguiu superar o nível nacional”.

Mudanças nas taxas de juros

A taxa básica de juros, a Selic, chegou ao piso histórico de 2% em agosto de 2020 devido à crise gerada pela Covid-19, barateando os juros dos financiamentos. Porém, desde março de 2021 o Banco Central promove uma série de altas na Selic, que atualmente está em 9,25%.

Máximo afirma que a situação preocupa o segmento. A alta dos juros eleva o preço final do imóvel e das prestações.

“Bancos e agentes financeiros querem recompor as margens. Estamos atentos”.

Texto: Priscila Caldas

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Defensoria Pública abre processo seletivo de estágio em Direito

As inscrições no Cadastro de Reserva da Defensoria Pública do Estado do Amazonas estão abertas para candidatos ao Estágio de Direito com bolsa de R$987 e auxílio transporte.

27 de janeiro de 2022

Secretários de Fazenda aprovam congelamento de ICMS dos combustíveis

Congelamento do preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF), base para cálculo do ICMS, tinha validade até 31 de janeiro. Com a decisão, valerá por mais 60 dias.

27 de janeiro de 2022

Jovem aprendiz colabora em média com 30% da renda das famílias, diz fórum

Fórum lançado nesta quinta, busca soluções para ampliar estágio e primeiro emprego no Brasil por meio de ações alinhadas com Estados e Municípios e ao Novo Ensino Médio.

27 de janeiro de 2022

Empresas podem acionar Justiça para liberar mercadorias na Receita

Mais empresas podem seguir a Moto Honda e acionar a Justiça para desembaraçar mercadorias fiscalizadas no operação padrão dos auditores fiscais, diz a Fieam.

27 de janeiro de 2022

Setor imobiliário deve frear reação devido Inflação e juros altos, em 2022

Conjuntura de 2022 com inflação e juros altos tem diferença em relação ao ano passado quando o mercado imobiliário reagiu bem apesar da pandemia, dizem especialistas.

27 de janeiro de 2022

Faturamento do PIM cresce 32% até novembro de 2021 e bate recorde

De acordo com dados da Suframa, o faturamento do Polo Industrial de Manaus acumulado de janeiro a novembro de 2021 atingiu volume recorde de quase R$ 145,59 bilhões.

27 de janeiro de 2022

5 milhões de m³/dia: consumo de gás natural atinge volume inédito no AM

Volume demandado em 2021 alcançou média de 5,2 milhões de m³/dia, alta de 5,5 % em comparação com o ano de 2020, segundo cálculos da Cigás.

27 de janeiro de 2022

Confiança da indústria registra sexta queda consecutiva, informa FGV

Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 1,7 ponto em janeiro, para 98,4 pontos, o menor nível desde julho de 2020, quando o índice atingiu 89,8 pontos.

27 de janeiro de 2022