quinta-feira, 25 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Aliados de Lula são favoritos ao Senado em sete estados, e de Bolsonaro, em quatro

No Amazonas, apesar de não estar na liderança isolada, o senador Omar Aziz tenta a reeleição colando a sua imagem a de Lula, que pediu voto para ele em comício em Manaus.
COMPARTILHE
Omar e Lula

A um mês das eleições, candidatos apoiados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lideram a disputa ao Senado em sete estados, enquanto nomes ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) aparecem à frente em quatro.

Levantamento do GLOBO com base nas últimas pesquisas de intenções de voto do Ipec mostra ainda que nos demais estados há empate na liderança ou preferência por candidatos de partidos que não se alinharam à polarização nacional.

Desde a pré-campanha, o Senado é visto como prioridade tanto por Lula quanto por Bolsonaro em uma futura gestão.

O presidente, que conseguiu formar uma maioria mais consolidada na Câmara, principalmente depois de apoiar a eleição de Arthur Lira (PP-AL), teve no Senado seu calcanhar de Aquiles na relação com o Congresso.

Em alguns estados, Lula tem um aliado em condições competitivas, ainda que não seja o primeiro colocado isolado. É o caso do Amazonas, onde Omar Aziz (PSD) tenta se reeleger fazendo campanha colado à imagem do presidente.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Ele está em empate técnico com Arthur Virgílio (PSDB), que tem fugido da nacionalização apostando em temas locais. Em terceiro lugar está o candidato de Bolsonaro, Coronel Menezes (PL).

Há ainda estados em situação de confronto direto, com cenário de equilíbrio nas pesquisas entre lulistas e bolsonaristas.

Em Minas Gerais, Cleitinho Azevedo (PSC), apoiado pelo presidente da República, marcou 15%, em empate técnico na margem de erro com Alexandre Silveira (PSD), da coligação de Lula no estado. Em Sergipe, estão tecnicamente empatados o candidato de Lula, Valadares Filho (PSB), com 20%, e o candidato de Bolsonaro, Eduardo Amorim (18%).

Da Redação, com informações do jornal O GLOBO

Leia mais:

COMPARTILHE