quinta-feira, 25 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Wilson tem 17% dos votos bolsonaristas, Braga tem 15% entre lulistas

Transferência de votos dos candidatos à presidente para os candidatos ao Governo é avaliada por Durango Duarte e Wilson Lima tem o maior fidelidade dos bolsonaristas.
COMPARTILHE
Wilson e Braga

Wilson Lima (UB), governador do Amazonas e candidato à reeleição, tem a maior fidelidade entre os eleitores do presidente Jair Bolsonaro do PL (17%), enquanto Eduardo Braga (MDB) é a escolha de 15% dos eleitores do petista Luiz Inácio Lula da Silva.

A transferência de votos dos candidatos à Presidência para os candidatos ao Governo foi avaliada pelo empresário Durango Duarte, da Perspectiva Mercado e Opinião , em live transmitida ao vivo na manhã desta quarta-feira (21).

O empresário leva em consideração a pesquisa estimulada para o Governo (quando os nomes de todos os candidatos são listados), divulgada nesta quarta-feira (21).

De acordo com Durango Duarte, 11% dos eleitores de Lula votam em Wilson Lima e 4% dos que querem a reeleição de Bolsonaro vão de Braga no dia 2 de outubro.

Amazonino Mendes (Cidadania) é a escolha de 11% dos eleitores de Lula e de 8% dos eleitores de Bolsonaro.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Entre os apoiadores de Ciro Gomes (PDT), 2% apoiam Wilso Lima, 1% Braga e 1% Amazonino. Esses dados se repetem em relação aos eleitores de Simone Tebet (MDB), no Amazonas.

Na segunda pesquisa de setembro da Perspectiva, Lula abriu 8% de vantagem sobre Bolsonaro e Wilson Lima 10% sobre Amazonino. Lula cravou 44,2% de intenção de votos e Bolsonaro, 36,9%. Já Wilson é a escolha de 33,4% e Amazonino Mendes chega a 23,1%.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número AM-08091/2022, ouvindo um universo de 1,5 mil entrevistados em Manaus e nos 24 maiores colégios eleitorais do Estado entre os dias 18 e 20 de setembro. A margem de erro é de 2,5% para mais ou para menos com nível de confiança de 95%.

Texto: Emerson Medina

Leia Mais:

COMPARTILHE