sexta-feira, 12 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

FLORESTA EM PÉ

Sebrae destaca potencial do bioma Amazônico brasileiro durante reunião do G20

O diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, destacou como é possível transformar o potencial do bioma Amazônico brasileiro, com a floresta de pé, em desenvolvimento socioeconômico sustentável e inclusivo.
COMPARTILHE
Sebrae destaca potencial do bioma Amazônico brasileiro durante reunião do G20
Bruno Quick, diretor técnico do Sebrae Nacional e Lamisse Said, diretora técnica do Sebrae Amazonas

A contribuição dos pequenos negócios para o desenvolvimento econômico sustentável ganhou destaque na 3ª Reunião da Iniciativa de Bioeconomia (GIB) do G20 realizada em Manaus (AM). Na presença de representantes dos países-membros do fórum, de organismos internacionais e autoridades nacionais, o diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, destacou como é possível transformar o potencial do bioma Amazônico brasileiro, com a floresta de pé, em desenvolvimento socioeconômico sustentável e inclusivo.

Nós temos, hoje, somente no sistema tributário simplificado, 23 milhões de pequenos empreendimentos que emitem, geram resíduos, consomem produtos e matérias primas, desenvolvem relações com pessoas e servem à sociedade. Sem dúvida, são fundamentais para uma mudança que envolve a bioeconomia e a sustentabilidade.

Bruno Quick, diretor técnico do Sebrae Nacional

Quick destacou que a região da Amazônia Legal reúne 28 milhões de pessoas, sendo que 79% vivem nas cidades e que um dos desafios é incorporar a sustentabilidade no dia a dia de milhares de pequenos negócios no país e reforçou o papel do Sebrae como indutor de políticas públicas em prol do fomento e fortalecimento do empreendedorismo brasileiro ao aproximar o poder público local dos pequenos negócios e ao realizar parcerias estratégicas.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Ele explicou que a atuação do Sebrae abrange negócios tradicionais que impactam o meio ambiente, como também negócios tradicionais relacionados com a bioeconomia e ainda, com negócios inovadores ou startups. 

Entre as iniciativas da entidade, ele citou a atuação dos Agentes Locais de Inovação (ALI), o Catalisa ICT, Polo Sebrae de Bioeconomia, Inova Amazônia, Sebraetec, Indicações Geográficas, entre outras.

De acordo com ele, o Inova Amazônia acelerou 409 negócios até o momento com investimentos em torno de R$ 7,3 milhões e R$ 23 milhões em bolsas de estudo. “São investimentos que geram uma verdadeira revolução. Qualquer negócio desses que der certo, recupera esse investimento todo. Um exemplo é a startup AeroRiver, criada há pouco mais de dois anos que já recebeu manifestação de interesse com valor aproximadamente do total desses investimentos”, comentou Quick.

Agência Sebrae de Notícias

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMPARTILHE