fbpx

sexta, 28 de janeiro de 2022

Silas Câmara: primeira ‘prova de fogo’ de André Mendonça no STF

André Mendonça, ministro recém-empossado para uma vaga no STF, terá que julgar, no ano que vem, um processo envolvendo o deputado Silas Câmara, a quem chamou de 'ombro amigo'

20 de dezembro de 2021

Compartilhe

O deputado Silas Câmara enalteceu a aprovação de André Mendonça para o vaga do STF, que foi indicado pelo presidente Bolsonaro por ser "terrivelmente evangélico". (Foto: Reprodução)

A primeira ”prova de fogo” do recém-empossado ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça já tem data para acontecer: 17 de fevereiro de 2022 e justamente com um grande aliado, o deputado federal pelo Amazonas, Silas Câmara (Republicanos). No último dia 13, enquanto pregava na Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (Ieadam), comandada pelos irmãos Câmara, o ministro recém-aprovado disse que o apoio de Silas foi essencial para confirmação do nome dele para o STF.

”O pastor e deputado federal Silas Câmara foi um ombro amigo que Deus enviou através de vocês para que eu pudesse chegar onde eu cheguei. Então, meu muito obrigado ao deputado, pastor Silas Câmara”, disse André Mendonça.

No dia primeiro deste mês, quando André foi aprovado após passar pela sabatina no Senado, Silas comemorou em suas redes sociais dizendo ”São vitórias como essas fazem do Brasil um lugar melhor para todos”, escreveu em redes sociais.

A data do julgamento do processo contra Silas foi marcada pelo ministro Luiz Roberto Barroso, relator do processo que trata das acusações de ”rachadinha” no gabinete de Silas por supostamente desviar para benefício próprio, verbas destinadas ao pagamento dos salários de seus funcionários. A prática configura crime de peculato e vem tramitando nos tribunais superiores desde 2013.

De acordo com a Procuradoria Geral da República (PGR), Câmara nomeou 18 servidores em cargos comissionados para atuar em seu escritório de representação estadual e no gabinete na Câmara dos Deputados. O processo também contou com o depoimento de ex-funcionários do parlamentar que confirmaram ter ocorrido repasse de parte de salários a ele.

Em tramitação no STF há mais de oito anos, o processo começou a ser julgado apenas em 2020. O relator do caso, o ministro Luis Roberto Barroso, votou à favor da condenação do parlamentar, com pena de cinco anos e três meses de prisão, além de perda de mandato. Ele foi acompanhado pelo ministro Edson Fachin.

Conforme Barroso, as provas demonstraram que Silas, utilizando de seu cargo de deputado federal, desviou recursos públicos destinados ao pagamento de assessores parlamentares.

”O acusado não simplesmente desviou valores a que teve acesso em razão de sua condição funcional. Ele montou um esquema de desvio de dinheiro público destinado ao pagamento dos salários dos servidores do seu gabinete, vários dos quais pessoas simples, com pouca instrução, que acabavam ficando com quantias irrisórias ao fim de cada mês”, disse o relator.

O Real Time1 procurou o parlamentar para que ele comentasse o assunto, mas até o fechamento desta reportagem ele não respondeu.

Da Redação

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Pré-candidato a deputado federal, Saullo Vianna caminha com Wilson e David

À TV RealTime1, o deputado revelou os planos dele para disputar uma vaga na Câmara Federal, bastidores da política local e quem está na frente na corrida presidencial no AM.

28 de janeiro de 2022

Bolsonaro avalia com AGU se vai ou não prestar depoimento à PF

O ministro da AGU, Bruno Bianco, está analisando os precedentes que podem ser aplicados a Bolsonaro para tentar minimizar o desgaste que poderia sofrer ao prestar depoimento.

28 de janeiro de 2022

Justiça do Distrito Federal arquiva caso do tríplex contra Lula

O MPF afirma que os crimes imputados ao ex-presidente Lula prescreveram. O petista tem 76 anos e, mesmo se condenado, a pena estaria prescrita até que pudesse ser cumprida.

28 de janeiro de 2022

MPAM investiga licitação de fornecimento de gás ao Hospital de Coari

Para o MPAM, valor da compra do gás de cozinha (GLP), de R$ 71 mil ultrapassa o limite máximo de dispensa de licitação que, no ano de 2019, era de R$ 17,6 mil.

28 de janeiro de 2022

Trabalho em regime híbrido é prorrogado até o dia 7 de fevereiro no TCE

A decisão também prorroga, automaticamente, até o dia 7 de fevereiro o regime de home office para todos os servidores acima dos 60 anos de idade e imunossuprimidos.

28 de janeiro de 2022

David Reis libera mais de R$ 2,5 milhões em cinco licitações da CMM

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador David Reis, tem surpreendido com licitações bastante específicas, sem se preocupar com as críticas da opinião pública.

28 de janeiro de 2022

TSE e WhatsApp discutem medidas para enfrentamento da desinformação

Parceria prevê auxílio do aplicativo de mensagens na comunicação com os eleitores, além de facilitar o acesso a serviços da Justiça Eleitoral.

28 de janeiro de 2022

STF manda Bolsonaro depor presencialmente na Polícia Federal hoje

A PF intimou Bolsonaro a depor no ano passado, mas a Advocacia-Geral da União pediu prorrogação, e o STF concedeu mais 60 dias de prazo — que vence nesta sexta (28).

28 de janeiro de 2022