fbpx

domingo, 05 de dezembro de 2021

Servidores que atuam nos cemitérios de Manaus podem ser priorizados

A Procuradoria Geral do Município (PMG), vai ingressar junto à Justiça Federal ação para exigir que a União inclua 292 servidores que atuam no cemitério na vacinação.

23 de janeiro de 2021

Compartilhe

O procurador-geral do Município, Marco Aurélio Choy, informou que a definição das prioridades do Programa Nacional de Vacina (PNI) é estipulada pelo governo federal. (Foto:Divulgação)

Por determinação do prefeito David Almeida, a Procuradoria Geral do Município (PMG), vai ingressar junto à Justiça Federal ação para exigir que a União inclua 102 servidores que atuam no SOS Funeral e outros 190 coveiros que estão diretamente trabalhando nos cemitérios na lista de prioridade da vacinação. 

Em entrevista coletiva, na última quinta-feira (21) o prefeito destacou que esses profissionais não foram lembrados pelo Ministério da Saúde, quando houve a definição da lista de prioridades para a vacinação.

Ele ressaltou ainda que os servidores estão diariamente expostos à contaminação pelo novo coronavírus, porque lidam com corpos de vítimas da doença. 

“Mesmo com toda a proteção que nossa equipe de saúde promove nos corpos das vítimas da Covid-19, ainda assim, esses profissionais que estão no SOS Funeral e nos cemitérios estão diretamente expostos à contaminação.”, afirmou David.

Ação

O procurador-geral do Município, Marco Aurélio Choy, informou que a definição das prioridades do Programa Nacional de Vacina (PNI) é estipulada pelo governo federal.

Por causa da escassez de vacinas, foi definido que, nesta primeira fase, só devem receber as doses, idosos que vivem em asilos, indígenas aldeados e profissionais de saúde, que trabalham na linha de frente contra o novo coronavírus.

“O governo federal estipula as prioridades. A pedido do prefeito David Almeida, vamos tentar incluir esses profissionais, além dos funcionários da Semasc, que trabalham com o SOS Funeral, no grupo de prioridade da vacina”, informou Choy.

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Eleição: com segurança reforçada, Coari registra ocorrências pontuais

Como ocorreu durante toda a campanha, iniciada no início do mês de novembro, houve trocas de acusações entre os candidatos favoritos, Keiton Pinheiro e Robson Tiradentes Jr.

5 de dezembro de 2021

Gasto de R$ 1,2 milhões na Aleam: Saullo, Joana e Nicolau ficam no pódio

Quinze dos 24 deputados estaduais do Amazonas gastaram um valor acima da cota parlamentar de R$ 44.114,74; fretamento de aeronaves está entre os maiores gastos.

5 de dezembro de 2021

Comissão vota, na segunda-feira, relatório preliminar do Orçamento

Deputado Hugo Leal estabeleceu, neste relatório preliminar, as 20 áreas de interesse do governo que poderão receber as chamadas emendas do orçamento secreto.

5 de dezembro de 2021

Alienação parental: Câmara vota prioridade em processos judiciais

A Alienação Parental é um transtorno imposto a um filho ou a uma filha por um dos genitores com o objetivo de afastá-los do outro genitor. A prática é crime no Brasil.

5 de dezembro de 2021

Ministério Público debate improbidade no dia de combate a corrupção

Um seminário virtual marcará o Dia de Combate a Corrupção, na próxima quinta-feira, numa ação do Ministério Público Federal para criticar alterações na lei de improbidade.

5 de dezembro de 2021

Marcelo pode perder vice-presidência da Câmara se deixar o PL

Vice-presidente da Casa, Marcelo Ramos negocia uma saída amigável do partido desde a entrada do presidente Jair Bolsonaro e o grupo bolsonarista do Amazonas.

5 de dezembro de 2021

Futuro de Coari é decidido hoje; saiba quem disputa a prefeitura

Keitton Pinheiro, Robson Tiradentes, Zé Henrique e Mil Mitouso disputam preferência do eleitorado da segunda cidade mais rica do AM, com orçamento anual de R$ 300 milhões.

5 de dezembro de 2021

Obrigatoriedade de filmagem para entrar em domicílio de suspeitos é anulada

A decisão se deu em favor de um homem, suspeito de tráfico de drogas, com o entendimento de que a entrada dos policiais em sua casa foi ilegítima.

4 de dezembro de 2021