fbpx

domingo, 05 de dezembro de 2021

Contratos realizados pela ManausCult são questionados por vereador

A dispensa de licitação envolve três empresas. Órgãos de controle e fiscalização foram acionados para investigar contratos da gestão de Alonso Oliveira na ManausCult.

22 de outubro de 2021

Compartilhe

Alonso Oliveira assumiu a ManausCult na gestão de David Almeida (Foto: Reprodução/Instagram)

Nesta quinta-feira (21), o RealTime1 questionou a Prefeitura de Manaus sobre processos licitatórios da Fundação Municipal de Cultura Turismo e Eventos (Manauscult) expostos na última terça-feira (19), pelo vereador Elissandro Bessa (Solidariedade), na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

O parlamentar diz que a denúncia, feita por alguns artistas de Manaus que foram até o seu gabinete, relata que a pasta estaria usando o decreto de calamidade pública, em virtude da pandemia de Covid-19, para fazer compras diretas, dispensando processo licitatório para contratação de serviços.

Contratos somam quase R$ 2 milhões

Conforme denúncia apresentada pelo parlamentar, os contratos somam aproximadamente R$ 2 milhões e envolvem três empresas: a UP Fest Organização de Eventos Ltda; a MF Produções Artísticas e Eventos Ltda ME e a Barra de Som Sistemas de Áudio Ltda – EPP, todas, segundo o vereador, realizadas de forma eletrônica.

Procurada pelo RealTime1, a Prefeitura de Manaus diz que a dispensa de licitação busca “tão somente atender a situação emergencial em que se encontra a ManausCult, com contratação que terá vigência por apenas 90 (noventa) dias, até que os processos licitatórios, que estão em fase de licitação desde julho/2021, estejam concluídos e homologados”.

Vereador solicitou cópias dos contratos

Bessa conta que, ao tomar conhecimento do ato, encaminhou imediatamente ofício à ManausCult solicitando cópias de todos os processos envolvidos na denúncia.

Segundo o parlamentar, são denúncias fortes contra o diretor-presidente da ManausCult, Alonso Oliveira, que assumiu a pasta na gestão do prefeito David Almeida (Avante) após não ter sido reconduzido à CMM nas eleições de 2020.

Ainda segundo Bessa, também há indagações quanto às licitações lançadas, concluídas e que posteriormente foram canceladas pela Manauscult para realização de novos contratos de forma direta.

Ao RealTime1, a Prefeitura de Manaus destacou que “todos os requisitos exigidos pela Lei 8.666/93 estão sendo atendidos pela ManausCult nos processos de contratação no período de calamidade pública”.

Prefeitura garante não haver irregularidades

A pasta ressaltou, por meio de nota enviada ao RealTime1, que “a situação emergencial, considerando o volume grande de demanda de estrutura que atende não só eventos, como também as inúmeras ações realizadas pela Prefeitura como um todo, demanda estrutura como: tendas, palco, som, etc…”.

Por esse motivo, o poder público municipal destaca que “a urgência de atendimento, encontra-se atendida devido às necessidade de apoio direto da Manauscult nas ações da Prefeitura como um todo”.

A Prefeitura salienta, ainda, que a dispensa de licitação deve ser realizada somente para atender às necessidades emergenciais, no prazo máximo de 180 (cento e oitenta) dias. Nesse sentido, a Prefeitura informa que a “contratação possui prazo de execução de 90 (noventa) dias a contar do recebimento da Nota de Empenho, ou seja, dentro do prazo legal”.

Vereador pede atuação dos órgãos de controle e fiscalização

Bessa foi ao Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público de Contas (MPC) e encaminhou oficialmente documento solicitando que os órgãos realizem investigação referente à denúncia relatada pelos artistas.

“Agora vou aguardar os órgãos fiscalizadores se manifestarem e ficarei atento a todos os contratos celebrados pela Manauscult”, informou o vereador.

Texto: Isac Sharlon

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Obrigatoriedade de filmagem para entrar em domicílio de suspeitos é anulada

A decisão se deu em favor de um homem, suspeito de tráfico de drogas, com o entendimento de que a entrada dos policiais em sua casa foi ilegítima.

4 de dezembro de 2021

Prefeito David Almeida cancela festas de Réveillon em Manaus

Temendo aumento de casos de Covid-19, o prefeito de Manaus, David Almeida, anunciou neste sábado o cancelamento das festas de Réveillon.

4 de dezembro de 2021

Empresa deverá pagar a entregador com Covid-19 ajuda financeira

Câmara aprova medidas de proteção a entregadores de aplicativo durante pandemia. A ajuda é equivalente à média dos três últimos pagamentos mensais recebidos pelo entregador.

4 de dezembro de 2021

CAE do Senado discute como barrar aumentos dos combustíveis

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal vai analisar projeto que modifica a política de preços dos combustíveis adotada pela estatal Petrobras.

4 de dezembro de 2021

‘Lei Seca’ entrará em vigor a partir das 18h deste sábado em Coari

Eleição suplementar que acontece neste domingo escolherá o novo prefeito do município de Coari, o segundo mais rico do Estado e que tem um orçamento de R$ 300 milhões.

4 de dezembro de 2021

Braga propõe comissão mista para acompanhar escalada dos precatórios

Acordo que viabilizou a aprovação da PEC dos Precatórios no Senado determina a criação de uma comissão mista para fiscalizar políticas públicas geradoras de dívidas.

4 de dezembro de 2021

Evangélicos querem vaga de vice-presidente de Bolsonaro em 2022

Para não ser derrotado na disputa de 2022, Bolsonaro precisa agora selar um novo pacto, mas com a cúpula das igrejas e dos templos, e não com o Progressistas de Lira.

4 de dezembro de 2021

SSP-AM reforça suporte à operação Eleição 2021, em Coari

A eleição suplementar para a escolha do novo prefeito de Coari acontece neste domingo (5). A Lei Seca no município entrará em vigor a partir das 18h deste sábado.

4 de dezembro de 2021