fbpx

quinta, 06 de maio de 2021

Orçamento para 2022 não inclui dados sobre impactos da pandemia

O plano não apresenta cálculos sobre como a pandemia pode influenciar as contas públicas. No Brasil, a pandemia deve se estender até 2023, conforme previsão do Butantan.

27 de abril de 2021

Compartilhe

Essa não é a 1ª peça orçamentária contestada por não levar em conta a pandemia de Covid-19 (Foto: Poder 360)

As diretrizes, metas e prioridades do governo Jair Bolsonaro para o Orçamento de 2022 não incluem os possíveis impactos da Covid-19 na economia brasileira. O plano não apresenta cálculos sobre como a pandemia pode influenciar as contas públicas.

O Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) foi enviado ao Congresso em 15 de abril. A peça é o primeiro passo para a formulação do Orçamento de 2022. O texto ainda será editado pelo próprio governo, que tem até agosto para fazer mudanças.

Técnicos das comissões de Orçamento do Congresso lançaram uma nota sobre o projeto e afirmaram que é preciso considerar os possíveis impactos da Covid-19. “Diferentemente do PLDO 2021, o PLDO 2022 não aborda, de forma separada, os riscos que podem afetar receitas, despesas e dívida pública em função dos efeitos da Covid-19″.

Os técnicos afirmam ainda que o governo tem expectativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este e para o próximo ano, mas que o cenário é de incerteza. “A pandemia continua se alastrando em 2021, aumentando as incertezas sobre o cenário das finanças públicas em 2022“, diz a nota.

Um estudo da Universidade Harvard mostra que medidas restritivas de distanciamento social podem ser necessárias até 2022. Essa seria a forma de evitar novas ondas de infecções e mortes por Covid-19.

No Brasil, a pandemia deve se estender até 2023. A previsão foi feita pelo diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, Ricardo Palácios.

Essa não é a primeira peça orçamentária contestada por não levar em conta a pandemia de Covid-19. Um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), divulgado em 20 de abril pelo portal UOL, mostra que o governo federal não reservou dinheiro para o enfrentamento da pandemia em 2021.

Com informações do Poder 360

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Tribunal de Justiça escolhe dois novos desembargadores na terça-feira

O Pleno do TJAM vai escolher entre 15 juízes. Na pauta, também está prevista a remoção de magistrados entre comarcas do interior do Amazonas.

6 de maio de 2021

TCE suspende contrato de R$ 3 mi para locação de carros de luxo em Coari

O contrato previa pagamento superior a R$ 3 milhões. por ano, à empresa Adminsitradora de Bens Good LTDA, que alugaria carros blindados para serem usados na prefeitura.

6 de maio de 2021

Pazuello recebe Onyx após pedir mudança na data para depor na CPI da Covid

O encontro entre os dois não consta na agenda oficial do ministro da Secretaria-Geral da Presidência que, no horário, indicava outra reunião no Palácio do Planalto.

6 de maio de 2021

Tasso quer ouvir Abin sobre guerra química citada pelo presidente

Senador pelo Ceará solicitou a presença de um representante da Agência Nacional de Inteligência para falar sobre guerra química empreendida pela China, segundo o presidente

6 de maio de 2021

PT não chega a acordo sobre ‘embarque’ no governo Wilson Lima

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

6 de maio de 2021

Estado vai pagar R$ 300 às famílias afetadas pela enchente no AM

Cartão Auxílio Estadual vai garantir benefício provisório no valor de R$ 300, em parcela única, a aproximadamente 100 mil famílias atingidas pela cheia dos rios no Amazonas.

6 de maio de 2021

Corrupção colaborou para o caos no sistema de saúde, diz Queiroga

O ministro, Marcelo Queiroga, disse que o desvio de recursos federais para estados e municípios pode ter colaborado para o colapso, mas MS não tem investigações.

6 de maio de 2021

‘Presidente foi irresponsável ao prescrever cloroquina’, diz senador

O senador Otto Alencar, que também é médico, afirmou que a 'ciência não pode se render aos leigos' e espera que o ministro Marcelo Queiroga tenha autonomia.

6 de maio de 2021