fbpx

terça, 07 de dezembro de 2021

Omar desconfia de choro ‘escondido no banheiro’ revelado por Bolsonaro

Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz defendeu que o presidente conduziu o combate a pandemia com uma série de erros que causaram a morte de muitos brasileiros.

15 de outubro de 2021

Compartilhe

Bolsonaro revelou que chora escondido da esposa por causa das responsabilidades que a presidência exige (Foto: Reprodução)

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD), disse, na manhã desta sexta-feira (15), esperar que o choro escondido no banheiro revelado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) seja “um choro de autocrítica”.

“Tem pessoas que choram de alegria, choram de tristeza (…) Eu espero que o presidente faça um choro de autocrítica”, disse Omar, atribuindo ao presidente a responsabilização pela condução errada no combate à pandemia da Covid-19 no país.

Jair Bolsonaro revelou, em evento com evangélicos nesta quinta-feira, que chora escondido no banheiro sem o conhecimento da primeira-dama, Michele Bolsonaro, diante de tantas responsabilidades que a presidência lhe demanda.

“Minha esposa não sabe, mas eu choro, pois uma decisão errada minha mexe com a bolsa, com os preços, com os combustíveis…”, lamentou o presidente.

Sobre o relatório final da CPI, Omar Aziz revelou que não está convencido de que Bolsonaro deva ser acusado de genocídio no relatório final elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB/AL).

“Tem crime sanitário, tem crime contra humanidade, mas eu preciso ser convencido deste outro, pois genocídio é algo contra uma etnia específica”, ponderou Omar.

O presidente da comissão também afirmou que o relatório será apresentado a cada senador membro e não-membro da CPI após a sessão deliberativa virtual desta sexta-feira para que todos possam contribuir ou criticar partes do documento.

Omar Aziz confirmou que a leitura do relatório de Renan será feita na terça-feira (19), votado na quarta-feira (20) e entregue ao procurador-geral da República, Augusto Aras, já na quinta-feira (21).

Texto: Gerson Severo Dantas

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Omar critica liberação de garimpo em áreas indígenas no Amazonas

Decisão de liberar projetos de mineração em São Gabriel da Cachoeira foi tomada pelo chefe do GSI, Augusto Heleno, e alvo de críticas do senador Omar Aziz.

6 de dezembro de 2021

Cadastro Nacional vai reunir informações de pessoas condenadas por pedofilia

Os dados serão levantados pelo Conselho Nacional de Justiça. Entre os crimes estão estupro de vulnerável; corrupção de menores; exploração sexual de criança ou adolescentes.

6 de dezembro de 2021

Após tramitação relâmpago, vereadores aprovam Secretaria de Segurança

A criação de 68 cargos para o funcionamento da Segurança Pública gerou críticas dos vereadores Amom Mandel e Rodrigo Guedes. Governistas defenderam a criação dos cargos.

6 de dezembro de 2021

Vitória de Keitton em Coari aumenta poder de fogo dos Pinheiros em 2022

Eleição de Keitton Pinheiro ajuda a 'turbinar' as candidaturas de Adail Pinheiro Filho para deputado federal e de Mayara Pinheiro para permanência da sua vaga na Assembleia.

6 de dezembro de 2021

Absorventes e fundão eleitoral: Congresso analisa vetos de Bolsonaro

Congresso Nacional analisa, nesta terça-feira (7), os vetos do presidente ao fundão eleitoral de R$ 5 bilhões e a distribuição de absorventes para estudantes de baixa renda.

6 de dezembro de 2021

Em novo pacote de projetos de lei, Governo garante pagamento de datas-bases

A reestruturação da Lei 3.510 era esperada há décadas. Com ela, é possível a atualização salarial de vencimento e gratificações. A correção era esperada por 1987 servidores.

6 de dezembro de 2021

Bolsonaro quer Governo Federal decidindo sobre passaporte da vacina

Uma MP assinada por Bolsonaro teria o poder de alterar imediatamente essa lei, interferindo na autonomia de Estados e municípios, mas poderia ser rejeitada pelo Congresso.

6 de dezembro de 2021

General Heleno autoriza avanço de garimpo em áreas preservadas da Amazônia

Ministro Augusto Heleno do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) permitiu sete projetos de pesquisa de ouro em região na fronteira, ato inédito nos últimos dez anos.

6 de dezembro de 2021