fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

Na contramão dos EUA, reforma tributária de Guedes prejudica ZFM

Projeto de reforma apoiado pelo ministro da Economia começa a tramitar na segunda-feira quando relator entregará texto para apreciação da Câmara Federal

30 de abril de 2021

Compartilhe

Ministro da Economia defende uma reforma que acabe com incentivos fiscais, como os que estão na base do modelo ZFM

No tradicional “Discurso à Nação”, feito na última quarta-feira (28), diante do Congresso dos Estados Unidos, o presidente Joe Biden apresentou uma proposta de reforma no sistema de impostos do País, que passará a ter foco na renda e no patrimônio dos mais ricos, aliviando o peso do tributo pago pelos mais pobres. “Os ricos precisam pagar sua parte justa”, disse Biden.

É exatamente a contramão do que se faz o Brasil, analisa o deputado Serafim Corrêa (PSB), em conversa com o Realtime1, comentando os projetos de reforma tributária que tramitam no Câmara Federal e entrarão em votação na próxima semana. “Das reformas que estão colocadas ai, todas são um desastre para a Zona Franca de Manaus porque dizem não aos incentivos ficais”, garante o deputado. Essa característica dos projetos tem o dedo do Ministério da Economia, cujo titular, Paulo Guedes, é um notório adversários de sistemas de incentivos fiscais, que estão na base do modelo Zona Franca.

Segundo Serafim Corrêa, hoje o Brasil penaliza quem ganha menos e beneficia quem ganha mais. Lembra que até o presidente Biden faz o contrário e Brasil segue com o erro de origem (quando tratamos de reforma tributária). “A grande reforma seria tributar renda e patrimônio ao invés de consumo porque os que ganham menos destinam praticamente toda sua renda para o consumo e ai pagam mais impostos do que aqueles que tem renda alta e grande patrimônio”, explica Serafim, que é economista e auditor aposentado da Receita Federal.

Na avaliação dele, a reforma tributária é importante, deve ser contínua e em vários campos do sistema, portanto não pode se limitar a juntar letrinhas, como a proposta de unificar os impostos PIS e Cofins. É preciso, segue o deputado, definir o quê tributar (renda e patrimônio ou consumo?). Em seguida simplificar o sistema de cobrança. ” O sistema complicado é o que temos (são mais de sessenta diferentes tipos de impostos existente no atual sistema). O simples tem uma resistência enorme de todos os setores porque todo mundo acha que vai perder, quando não é isso. Se simplificasse, melhoraria para todos nós”.

Na próxima segunda-feira, o relator da Reforma Tributária, Aguinaldo Ribeiro (PP/PB), vai entregar o texto final para votação em plenário. A proposta dele acaba com três tributos federais: IPI, PIS e Cofins. Extingue também o ICMS, que é estadual, e o ISS, municipal. Todos eles incidem sobre o consumo. Esse texto é apoiado por Paulo Guedes.

No lugar deles, é criado o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), de competência de municípios, estados e União, além de um outro imposto, sobre bens e serviços específicos, esse de competência apenas federal.

Texto: Gerson Severo Dantas, com informações da Agência Câmara

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Codajás recebe quase R$ 400 mil em projetos de crédito rural do Governo

Os valores foram destinados para pesca artesanal (R$301.656,85) e agricultura familiar (R$96.288,00), sendo financiados pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam).

7 de maio de 2021

Pacheco escreve a embaixador chinês e fala em ‘relação construtiva’

O presidente do Senado finaliza a carta convidando Yang Wanming para uma visita à Casa Legislativa assim que as condições pandêmicas tornarem o encontro favorável.

7 de maio de 2021

Auxílio Enchente começa a ser pago em Anamã pelo governador Wilson Lima

Operação Enchente leva ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, de saúde e de fomento aos municípios em Situação de Emergência.

7 de maio de 2021

Gasolina do Cotão dos 24 deputados estaduais enche 300 tanques

No período em que a presença física nas sessões é facultativa, dois dos 24 deputados consumiram gasolina suficiente para ir e voltar sete vezes a Boca do Acre.

7 de maio de 2021

Carlos Almeida não deve ser ouvido pela CPI da Covid no Senado

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

7 de maio de 2021

Vereadores gastam R$ 272 mil com assessoria e divulgação

O vereador campeão nesse gasto foi Ivo Neto (Patriota), que utilizou R$ 19.800 nessas atividades. No entanto, assessoria não evitou que ele apresentasse um projeto repetido.

7 de maio de 2021

Não vai ter ‘pizza’: para 38% dos brasileiros, CPI atingirá objetivos

Segundo levantamento EXAME/IDEIA, 38% acreditam que a CPI vai apontar culpados pelas falhas no combate à pandemia, aumentar o ritmo da vacinação e a elevar valor do auxílio.

7 de maio de 2021

Mourão diz que Pazuello foi ‘risco’ à Saúde e o quer em ‘traje civil’ na CPI

Para o vice-presidente, decisão em colocar o general Pazuello à frente do Ministério foi um risco e que ser general 'da ativa ou reserva' não o impede de ir ao Senado depor.

7 de maio de 2021