fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Jonathas Câmara cobra que fiéis votem em candidatos da Assembleia

Presidente da Assembleia de Deus no Amazonas, reforçou durante pregação na Rede Boas Novas, que "irmão vota em irmão" e "crente vota em crente".

6 de outubro de 2021

Compartilhe

Segundo Câmara, não é aconselhável seguir a sugestão de candidatos de amigos ou de familiares, porque conforme ele, "são estranhos à fé". (Foto: Divulgação)

A menos de um ano das eleições de 2022, o presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (Ieadam), Jonathas Câmara, reforçou o recado eleitoral da instituição e disse que é hora de “dar preferência aos nossos irmãos de fé da igreja”, em referência ao processo eleitoral que se avizinha.

Durante o programa “Conversando com a Palavra”, desta terça-feira (6), nas Rede Boas Novas, o religioso adicionou ainda que “irmão vota em irmão” e “crente vota em crente”. “Somente mesmo a influência do diabo que faz um crente, um homem honesto, uma mulher honesta, um servo fiel, uma pessoa que tem princípios éticos e morais, preferir derrotar nossos irmãos de fé e eleger estranhos rebeldes”, advertiu o pastor da Assembleia de Deus, ao ler versículos bíblicos.

Segundo Câmara, não é aconselhável seguir a sugestão de candidatos de amigos ou de familiares, porque conforme ele, “são estranhos à fé”. Ele afirma que os candidatos que a Assembleia apoia são escolhidos dentro de um “processo de unidade” interno.

“Quem ama Deus e pratica os ensinamentos bíblicos exerce a cidadania e exerce a santidade, vota em pessoas santas, vota em pessoas que amam, pessoa de família, de igreja, pessoas cristãs. Votar em Deus através de seus filhos, nosso irmãos. A lógica é essa”, complementou o pastor que criticou o socialismo na sua pregação.

Apesar da atual crítica ferrenha a candidatos socialistas ou comunistas, o próprio Jonathas e sua esposa, a também pastora Ana Lúcia Câmara, estiveram em palanque da candidatura da ex-senadora comunista Vanessa Grazzition (PCdoB) à Prefeitura de Manaus em 2012 e apoiaram candidatos de esquerda sem restrição.

Abuso de poder religioso não avança no TSE

No ano passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) discutiu a possibilidade de punição do poder religioso, com a cassação do mandato dos candidatos eleitos com ajuda de igrejas e templos religiosos. O entendimento era que esse tipo de abuso era parecido com os abusos de poder econômico e político, que já existem e podem levar à cassação de mandatos.

No entanto, em agosto do ano passado, a Corte Eleitoral rejeitou instituir abuso de poder religioso em ações que podem levar à cassação. Na época, o ex-vereador Amauri Colares (Republicanos) que tem base política oriunda da Assembleia de Deus se exaltou e disse que o debate que não chegou a tipificar o abuso de poder religioso pretendia perseguir “o povo cristão”.

“Nós estamos voltando ao tempo de Roma quando Nero mandou perseguir o povo cristão e mandou sacrificar a todos porque tinham ali a expressão livre de sua fé. Não estamos mais na época da Roma passada onde Nero mandou soltar os leões para devorar o povo cristão, mas é isso que nós começamos a ver hoje. O ministro Fachin, do STF é o Nero, hoje”, discursou Colares em tom exagerado.

Em 2018, a Assembleia de Deus apoiou o atual senador Omar Aziz (PSD) ao governo do Estado, Eduardo Braga a primeira vaga do Senado e Alfredo Nascimento para a outra vaga de senador, além do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Texto: Jefferson Ramos

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021

Ex-ministro Esteves Colnago assumirá Secretaria de Tesouro e Orçamento

A nomeação foi confirmada há pouco pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em declaração conjunta ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

22 de outubro de 2021

Presidência ou Senado? Sérgio Moro confirma filiação ao Podemos

O ex-juiz deve decidir se concorrerá à Presidência ou ao Senado em breve. A expectativa dentro do partido é que Moro concorra ao Palácio do Planalto.

22 de outubro de 2021

Precatórios: mudanças no teto de gastos, vacinas e Auxílio Brasil

O relator, deputado Hugo Motta, destacou que a aprovação é importante para garantir o Auxílio Brasil, com a previsão de R$ 400 para atender 17 milhões de famílias em 2022.

22 de outubro de 2021

Magistrados do TJAM custaram quase 50 mil em 2020, diz CNJ

Relatório Justiça em Números, produzido pelo Conselho Nacional de Justiça, apresenta números detalhados da atividade dos tribunais brasileiros em 2020.

22 de outubro de 2021

Grupo Samel se posiciona sobre estudo com a proxalutamida

Diretoria do grupo Samel explicou, em direito de resposta obtido na Justiça contra o jornal O Globo, qual papel da empresa na pesquisa com medicamento proxalutamida.

22 de outubro de 2021

Senado aprova PL que prevê repasse de R$ 2 bilhões para Santas Casas

As entidades a serem beneficiadas são aquelas que complementam as operações do SUS, recebendo demandas do sistema público. O texto ainda precisa ser votado na Câmara.

22 de outubro de 2021

Governo pede correção na autorização de empréstimo de R$ 452 milhões

Governo alegou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) solicitou garantias mais sólidas para a celebração do contrato entre as partes.

22 de outubro de 2021