fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Ex-assessor de Pazuello é acusado de estupro de vulnerável em Roraima

Airton Cascavel, que tem família em Manaus, é acusado pela mãe de uma adolescente integrante da família dele, mas laudo pericial foi inconclusivo sobre o caso.

24 de setembro de 2021

Compartilhe

Airton Cascavel foi o número 2 do Ministério da Saúde durante a gestão do general Eduardo Pazuello (Foto: Reprodução)

A Justiça de Roraima aceitou denúncia contra o empresário Airton Cascavel, ex-deputado federal e ex-assessor de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, por suposto estupro de vulnerável. A acusação indica que o crime foi cometido contra uma criança da própria família. Cascavel é muito ligado ao Amazonas, pois parte da família dele mora em Manaus.

No boletim de ocorrência, registrado pela mãe da criança em 14 de setembro no Núcleo de Proteção à Criança e Adolescente (NPCA) de Boa Vista, consta que a criança foi visitar Cascavel nos dias 11 e 12 de setembro e teria voltado para casa “reclamando de dores nas partes íntimas”. A informação foi publicada pelo G1 e pela Rede Amazônica.

A vítima passou por exame de corpo de delito, cujo laudo não comprovou se houve ou não o abuso. “Não é possível negar ou afirmar que a menor foi vítima de ato libidinoso”, diz o documento obtido pela Rede Amazônica.

A defesa de Cascavel afirmou que o empresário é uma “pessoa sem histórico de violência nos quase 40 anos de vida no Estado” e que sempre “dedicou carinho e atenção especial” aos familiares. Para os advogados, a denúncia é caluniosa e foi feita com o propósito de atingir a ele e aos familiares.

Airton Cascavel ocupou o cargo de deputado federal de 1999 a 2003 e, durante a gestão Pazzuelo, foi alçado a “número dois” no Ministério da Saúde. O nome ganhou projeção após ser convocado para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid do Senado Federal, em agosto deste ano, dentro das apurações sobre irregularidades na aquisição de vacinas contra o coronavírus e omissões do governo no combate à pandemia.

Texto: Gerson Severo Dantas, com informações do portal Congresso em Foco

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Gilberto Kassab anuncia Rodrigo Pacheco como candidato a presidente

O presidente Nacional do PSD revelou, neste sábado, que o candidato do partido à presidência, no próximo ano, será o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

23 de outubro de 2021

Wilson Lima e David Almeida assinam convênios de mais de meio bilhão

O governador Wilson Lima e o prefeito David Almeida assinarão, amanhã, uma série de convênios que representarão um presente para a cidade que fará 352 anos neste domingo.

23 de outubro de 2021

STF realiza audiência para discutir a criação do juiz de garantias

Juiz de garantias vai atuar fiscalizando a legalidade dos atos praticados pelo juiz da instrução criminal, o que gerou uma dúvida sobre a constitucionalidade desta novidade.

23 de outubro de 2021

Congresso abre prazo para apresentação de emendas a LOA da União

Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo Federal reservou R$ 16,2 bilhões para os parlamentares apresentarem emendas com execução obrigatória no próximo ano.

23 de outubro de 2021

Improbidade administrativa um problema recorrente das prefeituras

Para analista político, irregularidades na prestação de contas pode ser fruto da falta de pessoal, dificuldades dos servidores e até mesmo má fé com a causa pública.

23 de outubro de 2021

“Baixo orçamento é oriundo de Arthur Neto”, culpa Antônio Stroski

Titular da secretaria de meio ambiente disse que política de "encolhimento" de antecessor foi responsável pelo atual orçamento de R$ 17,1 milhões em 2022.

23 de outubro de 2021

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021

Ex-ministro Esteves Colnago assumirá Secretaria de Tesouro e Orçamento

A nomeação foi confirmada há pouco pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em declaração conjunta ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

22 de outubro de 2021