fbpx

sexta, 01 de julho de 2022

Empresa de app que banir motorista pode ter que pagar multa de R$ 2,8 mil

Projeto de Lei em tramitação na CMM busca resguardar os direitos dos motoristas cadastrados nas empresas de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano.

26 de novembro de 2021

Compartilhe

Associação estima que no Amazonas há 70 mil motoristas trabalhando em aplicativos(Foto: Divulgação)

Um Projeto de Lei (PL) em tramitação na Câmara Municipal de Manaus estipula multa de 25 Unidades Fiscais do Município (UFMs), equivalente a R$ 2.865,25, a empresas de aplicativos de transporte de passageiros que banir motoristas em Manaus.

O vereador Marcel Alexandre, autor da proposta, justifica que o PL de nº 634/2021 tem como objetivo resguardar os direitos dos motoristas cadastrados nas empresas de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano.

“Trata-se de um esforço de reconhecimento da importância desta categoria”, diz Marcel.

“Não é possível que os motoristas cadastrados nessas empresas sejam punidos com suspensão e até mesmo exclusão da plataforma, sem justificativa e conhecimento do que causou a punição”, avalia o parlamentar.

Pelo PL, os motoristas cadastrados nas empresas poderão apresentar pedido de revisão após o recebimento da comunicação de descadastramento, suspensão ou exclusão.

No AM, 10 mil motoristas já foram banidos de todas as plataformas em quatro anos

Ao RealTime1, o presidente da Associação dos Motoristas e Entregadores por Aplicativo do Estado do Amazonas, Alexandre Matias, explicou que hoje há cerca de 70 mil motoristas atuando nós três principais aplicativos de transporte de passageiros no Estado (Uber, 99Pop e Indrive). Desse total, Matias diz que, nos últimos quatro anos, houve o banimento de aproximadamente 15 mil motoristas parceiros.

Ele conta que os banimentos foram de alguma plataforma, seja Indrive, 99Pop e Uber. A associação revela que o número de motoristas que foram banidos de todas as três empresas chega a 10 mil em todo o Amazonas nos últimos quatro anos.

Motivo do banimento nunca é revelado, denuncia associação

Alexandre diz que o motivo do banimento nunca é revelado aos motoristas, e que muitos precisam recorrer a meios jurídicos para reaver o direito de voltar a trabalhar nas plataformas de transporte de passageiros por meio de solicitações em aplicativos de mobilidade urbana.

Atualmente, a associação possui cerca de 6 mil motoristas parceiros, e desse total Alexandre revela que há um percentual muito bom de reintegração de motoristas que haviam sido banidos das plataformas.

Motorista consegue voltar por meio de ação na justiça trabalhista

No entanto, levando em consideração os aproximadamente 70 mil motoristas em todo o Estado, acaba sendo muito pouco devido ao alto índice de banimento de motoristas sem ter o direito de defesa.

“A única saída que nós, motoristas de app, temos é ingressar com ações trabalhistas contra as empresas, solicitando na ação o direito aos honorários advocatícios, horas trabalhadas, denunciando constrangimento ilegal, entre outros. As empresas imediatamente negociam com o motorista o direito de voltar a trabalhar na plataforma e o próprio motorista, muitas vezes, acaba pedindo o cancelamento da ação da justiça”, confessa o presidente da associação.

Matias diz que há vários tipos de banimento, seja por não aceitação de corridas, por cancelamento de solicitações e outros. No caso de cancelamentos, ele revela que as punições podem ser de minutos, horas, dias, meses e até definitiva.

“Eu mesmo já fui banido de plataforma. Conversando com os próprios diretores das plataformas eu consegui voltar, mas nunca soube o real motivo do banimento. O mundo dos aplicativos é totalmente escuro. Nós, motoristas, ficamos sem o principal direito que a nossa Constituição Federal nos dá, que é o direito de defesa”, conclui o representante da categoria.

Uber revela que baniu 1,6 mil motoristas em setembro

Em setembro deste ano, a empresa de transportes de passageiros por aplicativo, Uber, baniu 1.600 motoristas em todo o Brasil.

Na ocasião, a empresa emitiu um comunicado informando que foram cortados da plataforma os motoristas com altas taxas de cancelamento de corridas.

Texto: Isac Sharlon

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Cidade recebe honraria e diz que homenagem o motiva a trabalhar mais

O presidente da Aleam destacou que a homenagem – realizada pela CMM – é um dos momentos mais emocionantes de sua vida e ressaltou que busca fazer política do bem.

1 de julho de 2022

Shádia e Tadeu lideram preferência de David para compor vice de Wilson

Como forma de recompensar o amigo Sabá Reis, o prefeito estaria planejando turbinar a campanha do filho de Sabá, David Reis, à Câmara Federal.

1 de julho de 2022

Com Chico na disputa ao Senado, Menezes perde força entre bolsonaristas

O Avante marcou para a segunda (4) a confirmação do nome de Chico Preto na disputa pelo Senado. A decisão enfraquece o sonho de Menezes de brigar por uma vaga no Senado.

1 de julho de 2022

Pragmatismo pesa mais que ideologia nas alianças para as eleições de 2022

Diferente de 2018, quando houve candidaturas com peso maior da ideologia, as alianças no Amazonas são marcadas pela praticidade e divergem em alguns casos das federações.

1 de julho de 2022

Amazonas nunca elegeu candidato assumidamente LGBTQIA+

Para o cientista político Carlos Santiago, a sociedade brasileira ainda não está representada de forma adequada nos parlamentos e nos governos brasileiros.

1 de julho de 2022

Wilson e David anunciam construção do complexo viário da Bola do Produtor

O prefeito disse que apesar de o Governo estar proibido de entregar obras a partir de amanhã, vai lembrar por onde passar da parceria com o Estado.

1 de julho de 2022

Em federações, cada partido deverá cumprir cota feminina separadamente

Determinação do TSE veio após questionamento feito pela federação PT, PCdoB e PV sobre a possibilidade de o percentual mínimo de 30% ser cumprido pela federação como um todo.

1 de julho de 2022

Entenda como os minions viraram apelido para os apoiadores de Bolsonaro

Personagens amarelos da franquia "Meu Malvado Favorito", eles obedecem cegamente às ordens do supervilão da vez, tendo servido desde um tiranossauro, até Napoleão e Drácula.

1 de julho de 2022