fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

Contrário a título, Serafim classifica Bolsonaro como ‘inimigo do Amazonas’

Apesar do voto contrário de Serafim Corrêa, a concessão do título de Cidadão Amazonense a Bolsonaro foi aprovado com votos favoráveis de 19 dos 24 deputados estaduais.

21 de abril de 2021

Compartilhe

Entrega do título deve acontecer ainda nesta semana, durante visita do presidente Bolsonaro a Manaus (Foto: Reprodução)

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) classificou o presidente Bolsonaro (sem partido) como ‘inimigo da Amazônia, do Amazonas e de Manaus‘. A declaração foi dada durante sessão virtual da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta terça-feira (20).

Único deputado a votar contra o Projeto de Lei, de autoria do deputado Delegado Péricles (PSL), que concede a Bolsonaro o título de Cidadão Amazonense, o ex-prefeito de Manaus justificou seu posicionamento lembrando da omissão do governo federal com relação ao combate à pandemia no estado.

“O presidente Bolsonaro não tem sido amigo da Amazônia, do Amazonas e de Manaus. Ele subestimou a pandemia, ele não comprou vacinas quando era para comprar, o seu ministro negligenciou o nosso estado na crise do oxigênio, tudo isso tem trazido sofrimentos para o nosso povo”, disse.

Cara de paisagem

Além do caos na saúde, Serafim Corrêa lembrou também sobre os frequentes ataques contra a Zona Franca de Manaus (ZFM) que foram orquestrados diretamente der Brasília, por quem deveria ser o guardião do modelo: o ministro da Economia Paulo Guedes.

 “A Zona Franca vive sendo atacada e o seu ministro da Economia, Paulo Guedes, faz cara de paisagem. Portanto, não voto a favor deste projeto e com todo carinho, respeito que tenho pelos demais colegas que entendam diferente, repito, voto contra”, disse o deputado.

Apesar do voto contrário de Serafim Corrêa, a concessão do título de Cidadão Amazonense a Bolsonaro foi aprovado com votos favoráveis de 19 dos 24 deputados estaduais do Amazonas. O PL 187/2021 foi votado em regime de urgência.

A cerimônia de entrega do título deve acontecer ainda nesta semana, durante visita do presidente Bolsonaro a Manaus, em data ainda a ser confirmada pela Mesa Diretora da Aleam.

Reportagem: Lucas Raposo

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Codajás recebe quase R$ 400 mil em projetos de crédito rural do Governo

Os valores foram destinados para pesca artesanal (R$301.656,85) e agricultura familiar (R$96.288,00), sendo financiados pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam).

7 de maio de 2021

Pacheco escreve a embaixador chinês e fala em ‘relação construtiva’

O presidente do Senado finaliza a carta convidando Yang Wanming para uma visita à Casa Legislativa assim que as condições pandêmicas tornarem o encontro favorável.

7 de maio de 2021

Auxílio Enchente começa a ser pago em Anamã pelo governador Wilson Lima

Operação Enchente leva ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, de saúde e de fomento aos municípios em Situação de Emergência.

7 de maio de 2021

Gasolina do Cotão dos 24 deputados estaduais enche 300 tanques

No período em que a presença física nas sessões é facultativa, dois dos 24 deputados consumiram gasolina suficiente para ir e voltar sete vezes a Boca do Acre.

7 de maio de 2021

Carlos Almeida não deve ser ouvido pela CPI da Covid no Senado

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

7 de maio de 2021

Vereadores gastam R$ 272 mil com assessoria e divulgação

O vereador campeão nesse gasto foi Ivo Neto (Patriota), que utilizou R$ 19.800 nessas atividades. No entanto, assessoria não evitou que ele apresentasse um projeto repetido.

7 de maio de 2021

Não vai ter ‘pizza’: para 38% dos brasileiros, CPI atingirá objetivos

Segundo levantamento EXAME/IDEIA, 38% acreditam que a CPI vai apontar culpados pelas falhas no combate à pandemia, aumentar o ritmo da vacinação e a elevar valor do auxílio.

7 de maio de 2021

Mourão diz que Pazuello foi ‘risco’ à Saúde e o quer em ‘traje civil’ na CPI

Para o vice-presidente, decisão em colocar o general Pazuello à frente do Ministério foi um risco e que ser general 'da ativa ou reserva' não o impede de ir ao Senado depor.

7 de maio de 2021