fbpx

domingo, 16 de maio de 2021

Cem dias é pouco para avaliar gestão de David Almeida, dizem vereadores

Sem opositores diretos na Câmara Municipal, atuação de David Almeida (Avante) é elogiada por vereadores, apesar dos embaraços no primeiro trimestre de gestão.

10 de abril de 2021

Compartilhe

David Almeida não possui opositores diretos na Câmara Municipal (Foto: Robervaldo Rocha/CMM)

Para os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), sem opositores diretos ao governo, o período de cem dias foi pouco para avaliar a gestão de David Almeida (Avante), ante aos problemas deixados por Arthur Virgílio Neto (PSDB) durante seus 8 anos à frente do município.

O vereador William Alemão (Cidadania), durante suas visitas aos bairros da capital, diz que o abandono às localidades periféricas é visível, mas a prefeitura tem buscado diálogo com essa faixa da população.

 “Estive na Zona Norte, encontrei com os subsecretários por lá, descobri que o prefeito tinha ido dois dias antes, coisas que a gente não via na administração anterior. Ainda assim, eu acho cedo para a gente fazer uma avaliação. Mas, ao meu ver, ele está saindo. Espero que não perca o fôlego e continue fazendo o trabalho que tem que ser feito, que Manaus precisa e merece”, declarou Alemão.

Já Márcio Tavares (PRB) afirma que a administração de David Almeida não é “paliativa ou pontual”, mas busca resultados a longo prazo. “Vejo uma administração com visão estratégica e com um planejamento eficaz. O chefe do Executivo municipal não está apenas reestruturando a cidade, mas sim preparando Manaus para o futuro, abrindo possibilidades da nossa cidade ser ainda maior”, disse.

Além da herança de Arthur, Marcel Alexandre (Podemos), lembrou ainda que David chegou ao comando do município no período mais crítico da pandemia, em período chuvoso na região amazônica. Entretanto, na visão do parlamentar, o prefeito tem buscado superar os desafios no dia a dia.

 “Todas as medidas adotadas pelo prefeito David Almeida, nesses 100 dias de mandato, emergenciais ou não, apresentam resultados importantes, como Manaus ser considerada uma das cidades mais limpas do país. Vejo que a cidade vem sendo considerada como uma das mais resilientes”, destaca Alexandre.

Texto: Giovanna Marinho

Leia mais:

Leia mais sobre Política

PSDB-AM lamenta morte de Bruno Covas: ‘é exemplo a ser seguido’

Arthur Neto e Luiz Alberto Carijó falaram dos ideais de Covas e destacaram que ele é um exemplo a ser seguido pela militância partidária.

16 de maio de 2021

Omar destaca erro na condução da pandemia e desinteresse por vacinas

O senador Omar Aziz preside a CPI da Covid e fez estas afirmações durante entrevista à GloboNews; Aziz diz que todos sabem que houve 'erro' na condução da pandemia.

16 de maio de 2021

Inspirado na Netflix, grupo lança ‘Bolsoflix’; assista a um dos vídeos

Desde a última sexta (14), um site foi ao ar, reunindo uma série de vídeos do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados do Governo Federal; confira o trailer.

16 de maio de 2021

Sem máscara, Bolsonaro pede aprovação do voto impresso e ataca Lula

O presidente Jair Bolsonaro compareceu hoje a atos pró-governo. Com queda na aprovação de seu governo, ele disse aos manifestates que mudanças não são imediatas.

15 de maio de 2021

Empate: população está dividida sobre impeachement de Bolsonaro

A pesquisa DataFolha divulgada hoje (15) indica um empate técnico entre as pessoas que aprovariam, ou não, um processo de impeachement ao presidente Jair Bolsonaro.

15 de maio de 2021

Bancada reage à permissão para Pazzuello ficar calado na CPI

Interrogado na próxima quarta-feira (19) o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazzuello, assegurou no Supremo Tribunal Federal uma liminar que garante o direito de ficar calado.

15 de maio de 2021

Fachin nega pedido da Polícia Federal e não vai investigar Dias Toffoli

Fachin determinou que é preciso aguardar o plenário da Corte se manifestar sobre o tema. O ministro enviou o processo para o plenário virtual do STF.

15 de maio de 2021

Saúde não teve mais recursos pois Governo não contava com segunda onda

Em ofício, o Ministério da Economia indicou que não destinou mais recursos para Saúde na LOA em 2021, pois o ministério não contava com o recrucidamento da pandemia.

15 de maio de 2021