fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

Carrate critica BBB e silencia sobre ‘dança sensual’ de Alemão

A vereadora Glória Carratte, que preside a Comissão de Ética da Câmara, não poupou críticas ao reallity. Mas silenciou sobre a atitude do colega que gerou má repercussão.

26 de abril de 2021

Compartilhe

Vereadora é presidente da Comissão de Ética da Câmara (Foto: Reprodução)

Sempre ávida no que diz respeito a tudo que “fere a família tradicional”, mais uma vez a Câmara Municipal de Manaus (CMM), na pessoa da vereadora Glória Carratte (PL), criticou em plenário o beijo de dois participantes, um hétero e outro homossexual, no reality Big Brother Brasil.

Por outro lado, a parlamentar silenciou sobre a atitude do colega vereador, William Alemão (Cidadania) que publicou em redes sociais um vídeo com uma “dança sensual” direto do seu gabinete.

A má repercussão do vídeo publicado levou o vice-presidente da comissão de Ética, Diego Afonso (PSL), a informar que iriam apurar a conduta do parlamentar.

Nesta segunda-feira (26), o vereador William Alemão (Cidadania) pediu desculpas no plenário e afirmou que não tinha intenção de causar constrangimento à Câmara de Manaus.

Em nota, em suas redes sociais, a vereadora Glória Carrate afirmou que não fez juízo de valor quanto à inclinação sexual dos participantes.

A Vereadora Glória Carratte esclarece alguns pontos em relação ao discurso proferido hoje, na Câmara Municipal de Manaus, acerca dos fatos ocorridos no programa da Rede Globo, Big Brother Brasil.

O repúdio feito pela parlamentar foi referente aos dois participantes terem ficado nus, e, de conseguinte, beijarem-se. O beijo entre duas pessoas nuas, num programa de tal magnitude, não se pode permitir. Seja entre homem e mulher, dois homens ou entre duas mulheres.

A vereadora não fez juízo de valor quanto à inclinação sexual dos participantes. Até porque, ainda que ambos sejam homossexuais ou não, Glória não possui discriminação. Inclusive, no passado, já até foi madrinha da marcha LGBT, em Manaus.

Desse modo, quaisquer fatos distorcidos divulgados em perfis de redes sociais, sites ou blogs, não são de responsabilidade da vereadora.

Texto: Milena Soares

*Matéria atualizada às 14h33 para inserir a nota da vereadora

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Codajás recebe quase R$ 400 mil em projetos de crédito rural do Governo

Os valores foram destinados para pesca artesanal (R$301.656,85) e agricultura familiar (R$96.288,00), sendo financiados pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam).

7 de maio de 2021

Pacheco escreve a embaixador chinês e fala em ‘relação construtiva’

O presidente do Senado finaliza a carta convidando Yang Wanming para uma visita à Casa Legislativa assim que as condições pandêmicas tornarem o encontro favorável.

7 de maio de 2021

Auxílio Enchente começa a ser pago em Anamã pelo governador Wilson Lima

Operação Enchente leva ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, de saúde e de fomento aos municípios em Situação de Emergência.

7 de maio de 2021

Gasolina do Cotão dos 24 deputados estaduais enche 300 tanques

No período em que a presença física nas sessões é facultativa, dois dos 24 deputados consumiram gasolina suficiente para ir e voltar sete vezes a Boca do Acre.

7 de maio de 2021

Carlos Almeida não deve ser ouvido pela CPI da Covid no Senado

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

7 de maio de 2021

Vereadores gastam R$ 272 mil com assessoria e divulgação

O vereador campeão nesse gasto foi Ivo Neto (Patriota), que utilizou R$ 19.800 nessas atividades. No entanto, assessoria não evitou que ele apresentasse um projeto repetido.

7 de maio de 2021

Não vai ter ‘pizza’: para 38% dos brasileiros, CPI atingirá objetivos

Segundo levantamento EXAME/IDEIA, 38% acreditam que a CPI vai apontar culpados pelas falhas no combate à pandemia, aumentar o ritmo da vacinação e a elevar valor do auxílio.

7 de maio de 2021

Mourão diz que Pazuello foi ‘risco’ à Saúde e o quer em ‘traje civil’ na CPI

Para o vice-presidente, decisão em colocar o general Pazuello à frente do Ministério foi um risco e que ser general 'da ativa ou reserva' não o impede de ir ao Senado depor.

7 de maio de 2021