fbpx

quinta, 23 de setembro de 2021

Bolsonaro tem ‘orçamento paralelo’ para aliados do Congresso

Segundo o 'Estadão', em um primeiro momento nenhum dos parlamentares reconheceu participar do esquema. Após serem confrontados com os ofícios, reconheceram os pedidos.

10 de maio de 2021

Compartilhe

Presidente foi denunciado por uma reportagem do Estadão (Foto: Reprodução)

O governo de Jair Bolsonaro seria o responsável por liberar verbas para emendas parlamentares a aliados no Congresso Nacional, em um esquema de ‘Orçamento paralelo’ que teria movimentado R$ 3 bilhões desde o final do ano passado. As afirmações são do jornal ‘O Estado de S. Paulo .

Segundo o jornal, por meio de ofícios encaminhados principalmente ao Ministério do Desenvolvimento Regional, os parlamentares indicavam à pasta onde gostariam de alocar valores, em montantes muito superiores aos R$ 8 milhões que tem direito anualmente em emendas parlamentares.

O ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), teria direito a R$ 277 milhões, 34 vezes o seu valor anual, segundo reportagem. Também são citados os nomes dos deputados Vicentino Junior (PL-TO), Otávio Nascimento (SD-RR), Bosco Saraiva (SD-AM), Lúcio Mosquini (MDB-RO) e da ex-deputada Flávia Arruda (PL-TO), hoje ministra-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, responsável justamente pela articulação com o Congresso.

Os ofícios mostram que deputados e senadores aliados do governo tinham como proposta preferencial alocar recursos em locais como a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), para que a estatal liberasse, com mais facilidade, valores para a conclusão de obras e para a aquisição de máquinas como tratores, caminhões-pipa e escavadeiras. Nem sempre os valores iam para seus redutos eleitorais . Em alguns casos, aponta a reportagem, tratores eram adquiridos por valores 259% acima do valor de mercado.

Tais pedidos mostrariam um controle maior que o imaginado de parlamentares do Centrão sobre o orçamento da União, uma vez que caberia apenas ao ministro da pasta, Rogério Marinho, organizar a destinação dos recursos.

Segundo o ‘Estadão’, em um primeiro momento nenhum dos parlamentares reconheceu participar do esquema. Após serem confrontados com os ofícios, reconheceram os pedidos.

Fonte: Congresso em Foco

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Senado aprova mudanças na regra eleitoral e na posse presidencial; entenda!

Volta das coligações, defendida pelos deputados, foi barrada no Senado Federal durante votação nesta quarta-feira (22); parte das mudanças vale a partir de 2022.

22 de setembro de 2021

Omar Aziz critica Câmara por abrir processo contra Luís Miranda

Deputado que, ao lado do irmão Luís Ricardo, revelou o caso Covaxin terá de responder a processo de cassação na Comissão de Ética da Câmara Federal.

22 de setembro de 2021

Ministério usou dados da Prevent sem autorização, diz executivo

Em ao menos dois casos, Pedro Benedito Batista Júnior negou que dados usados pelo Ministério da Saúde tenham sido autorizados pela empresa Prevent Senior.

22 de setembro de 2021

Depois de se esquivar sobre o ‘puxadinho’ da CMM, Carpê cobra holofotes

Depois de ter visto a repercussão negativa sobre o 'puxadinho', o vereador resolveu se posicionar e passou a criticar a postura dos demais colegas que aprovam a obra.

22 de setembro de 2021

Amazonas Energia cobra duas bandeiras tarifárias em conta, diz Sinésio

Presidente da Aleam e deputados pregam acatar decisão da Justiça de suspender a CPI e depois criar uma nova ; mas Sinésio Campos é contrário à saída.

22 de setembro de 2021

Executivo da Prevent Senior passa a ser investigado pela CPI da Covid

Os senadores apresentaram provas, encaminhadas à comissão com denúncias de médicos e pacientes, comprovando a prescrição do chamado tratamento precoce na Prevent.

22 de setembro de 2021

Prevent falsificava dados sobre mortes de pacientes por Covid-19

O senador Humberto Costa (PT/PE), que e médico, foi quem revelou documentos mostrando que a Prevent adotava este procedimento para mascarar os dados de mortes por Covid.

22 de setembro de 2021

Bolsonaro cancela agenda após Anvisa recomendar quarentena

Agência determinou que o presidente e os integrantes da comitiva que tiveram contato com o ministro Marcelo Queiroga, que está com Covid, fiquem em isolamento.

22 de setembro de 2021