fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Bolsonaro autoriza SUS a receitar medicamento sem aval da Anvisa

A indicação de uso diferente só vale se for recomendada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS e demonstradas evidências científicas sobre eficácia.

22 de março de 2022

Compartilhe

A indicação de uso diferente só vale se for recomendada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS e demonstradas evidências científicas sobre eficácia, efetividade e segurança (Foto: Renato Araújo/Agência Brasília)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou nesta terça-feira (22) a mudança na lei que permite ao Sistema Único de Saúde (SUS) receitar e aplicar medicamento que tenha uso distinto daquele aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A medida vale desde que seja recomendado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec), pasta vinculada ao Ministério da Saúde. A mudança foi assinada pelo presidente e pelo secretário-executivo do pasta, Rodrigo Otávio Moreira da Cruz, e publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Conforme o texto, devem ficar demonstradas evidências científicas sobre eficácia, efetividade e segurança do medicamento para o novo uso, com padronização em protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

A outra modificação na Lei Orgânica da Saúde também libera o uso de “medicamento e produto recomendados pela Conitec e adquiridos por intermédio de organismos multilaterais internacionais, para uso em programas de saúde pública do Ministério da Saúde e suas entidades vinculadas”.

Na Câmara, o texto-base foi aprovado pelos deputados em dezembro. Em fevereiro deste ano, a Casa concluiu a votação.

A adoção do medicamento ou do procedimento pelo SUS depende de avaliação econômica. Por fim, o texto prevê ainda que as metodologias empregadas devem ser amplamente divulgadas, incluindo os parâmetros de custo-efetividade.

Da Redação, com informações do Correio Braziliense

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Edson Fachin diz que acatar resultado da eleições é inegociável

Em várias ocasiões, o presidente Jair Bolsonaro deu a entender que não aceitará outro resultado que não seja a sua vitória em outubro deste ano.

27 de maio de 2022

Terra Yanomami demarcada há 30 anos vê crescimento de garimpo

Bolsonaro é um defensor da mineração em terras indígenas, apesar da visível destruição e dos problemas que o garimpo ilegal leva para essas áreas socioambientais protegidas.

27 de maio de 2022

Radicalização explica revés de Bolsonaro no Datafolha, diz Lira

Pesquisa Datafolha divulgada nessa quinta-feira (26) mostra que Lula lidera a disputa presidencial com 48% das intenções de voto no primeiro turno, ante 27% de Bolsonaro.

27 de maio de 2022

Ex-militante defende que esquerda deve apostar na rebeldia de jovens

O advogado George Tasso avalia que hoje "falta formação política nas bases da educação e do trabalho para a esquerda avançar pelas ruas de Manaus e reconquistar espaço".

27 de maio de 2022

Como em 2018, vereadores querem fazer CMM de trampolim este ano

Nas eleições de 2018, oito vereadores da legislatura 2016-2020 foram eleitos deputados estaduais e um para o Senado. Políticos aproveitam a visibilidade do cargo.

27 de maio de 2022

Livre de acusação por crise de oxigênio, Pazuello visita obras em Manaus

Na manhã desta sexta-feira (27), Pazuello acompanhou o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) e o governador Wilson Lima (UB) que visitaram obras de asfaltamento.

27 de maio de 2022

Projeto que limita ICMS deve ter tramitação lenta, avaliam senadores

Senadores avaliam que a proposta que fixa o ICMS de combustívveis e energia em 17%, aprovada pela Câmara dos Deputados, deverá deixar um grande rombo nos cofres regionais.

27 de maio de 2022

Petrobras e Minas e Energia devem explicar alta dos combustíveis na Câmara

Sidney Leite propôs audiência para discutir as constantes subidas nos preços dos combustíveis e a inflação com o presidente da Petrobras e o ministro de Minas e Energia.

27 de maio de 2022