fbpx

sábado, 22 de janeiro de 2022

Ativista social diz que temática LGBTQIA+ terá protagonismo no debate eleitoral

Presidente Jair Bolsonaro trabalha com pauta conservadora que exclui movimentos sociais e temas de interesses de populações LGBTQIA+, diz ativista Gabriel Mota.

11 de janeiro de 2022

Compartilhe

Gabriel Mota é secretário de Movimentos Sociais do PCdoB e defendeu, em entrevista a TV RealTime1, a união de movimentos sociais para contrapor pauta conservadora do presidente (Foto: RealTime1)

Um dos temas que estará no centro dos debates da eleição presidencial de outubro certamente é a situação da população LGBTQIA+, cujos direitos derreteram nos três anos da administração do presidente Jair Bolsonaro (PL), que nesta segunda-feira (10) voltou a atacá-la.

Ativista dos direitos humanos e secretário de movimentos sociais do PCdoB, o professor Gabriel Mota concedeu entrevista a TV RealTime1 e mostrou as preocupações dessa população em relação à luta política que será travada na eleição deste ano

O professor avalia que a gestão de Bolsonaro foi caracterizada até o momento pelo ataque aos vários segmentos “minoritários” da sociedade brasileira, mas principalmente a comunidade LGBTQIA+.

“As pessoas percebem a falta de sensibilidade quando se trata dessa comunidade. E a eleição será marcada por essa temática”, avalia Gabriel, neto do ex-senador (fevereiro de 1979 a maio de 1979) e ex-vice-governador do Amazonas (1975-1979) João Bosco Ramos de Lima .

Encarregado no partido de organizar os debates sobre os temas de interesse dos movimentos sociais, Gabriel Mota defende que os movimento despertem o mais rápido possível e mostre que o Governo Federal foi maléfico para grupamentos sociais, como LGBTQIA+, indígenas e mulheres.

“Queremos passar uma liga nos vários movimentos para que possamos mostrar que é preciso apoiar uma pauta progressista de governo”, defendeu, lembrando que a Secretaria Nacional que cuidava dos interesses e das lutas deste segmento hoje está resumida a uma pessoa trabalhando no Ministério da Família.

Entre as pautas que deverão ser colocadas para confrontar o viés conservador do atual presidente está a da união civil entre pessoas do mesmo sexo, um direito já reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal, mas que o Legislativo empurra com a barriga o dever de inserir este tema no ordenamento jurídico nacional.

“Queremos mostrar que pagamos impostos e temos direitos humanos a união civil, a ter uma habitação digna. O que nos impede? Nós pagamos impostos e a nossa pauta é para ter os mesmos direitos que os demais segmentos sociais”, afirmou.

Confira a entrevista na íntegra:

Texto: Gerson Severo Dantas

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Prefeito de Manaus, David Almeida, testa positivo para Covid-19

Esta é a segunda vez que David Almeida (Avante) foi diagnosticado com Covid-19. A primeira foi em setembro de 2020, durante a pré-campanha para prefeito de Manaus.

22 de janeiro de 2022

Governo vai enviar doses pediátricas para estados com baixos estoques

Remessa emergencial de vacinas para crianças será enviada a estados com estoques abaixo das 40 mil doses. Segundo o Ministério da Saúde, doze estados estão nessa situação.

22 de janeiro de 2022

‘De novo’: Bolsonaro minimiza números de mortes de crianças por Covid

Bolsonaro voltou a citar remédios sem eficácia comprovada contra o coronavírus e disse que o número de mortes de crianças pela doença foram insignificantes.

22 de janeiro de 2022

Ministério da Saúde prorroga contrato do Programa Mais Médicos em Manaus

O contrato seria encerrado no final deste mês, mas foi prorrogado a pedido da Prefeitura por conta do aumento dos atendimentos por Covid-19 e outras síndromes respiratórias.

22 de janeiro de 2022

Em Manaus, Queiroga defende vacinação mas critica passaporte vacinal

Marcelo Queiroga pediu esforço dos estados para aumentar os níveis de vacinação, mas criticou a adoção do passaporte vacinal ao dizer que o documento não ampliaria os números

22 de janeiro de 2022

Ciro diz que falhas do PT são responsáveis pela vitória de Bolsonaro

Na sua avaliação, os presidentes do PT não diferem de Bolsonaro em suas agendas econômicas, criticadas por não estabelecer políticas de tributação de grandes fortunas.

22 de janeiro de 2022

Enchente 2022: Governo do Estado institui Grupo de Ações Coordenadas

As 27 instituições integrantes do Grupo de Ações Coordenadas utilizarão seus recursos e infraestrutura já existentes para atuação integrada aos demais membros.

22 de janeiro de 2022

Eduardo Bolsonaro e Mário Frias atacam publicamente os irmãos Weintraub

Eduardo Bolsonaro e Mário Frias trocaram farpas nas redes sociais com os irmãos Weintraub, agora ex-aliados do presidente Jair Bolsonaro e que estão de volta ao País.

22 de janeiro de 2022