fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

AM reúne com Embaixada da Noruega e Governo Federal sobre a COP26

Durante reuniões em Brasília, Amazonas apresentou perspectivas para a redução de emissão de carbono na Amazônia e pautas para a COP26.

14 de outubro de 2021

Compartilhe

Governo do AM discute estratégias para COP26 com Embaixada da Noruega e Ministério do Meio Ambiente (Foto: Divulgação/Sema)

O secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, representou o  Governo do Amazonas no cumprimento de agenda de reuniões em Brasília, nesta quarta-feira (13). O titular da pasta de Meio Ambiente no Estado esteve com o novo embaixador da Noruega no Brasil, Odd Magne Ruud, e o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, para abordar temas estratégicos pré-Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática de 2021, a COP26, que acontece em novembro, em Glasgow, Escócia.

Com o embaixador da Noruega, Odd Magne Ruud, o secretário e presidente do comitê diretivo da Força Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas (GCFTF), abordou a agenda de desenvolvimento de baixas emissões para a Amazônia.

“A embaixada da Noruega tem um papel importante no financiamento da agenda climática na Amazônia. Por isso, fomos apresentar ao novo embaixador os esforços que o Governo do Estado do Amazonas tem feito em relação às questões relacionadas à redução de emissões. Também apontamos desafios para o financiamento de novos mecanismos de desenvolvimento para nossa região, mais compatíveis com a nossa realidade”, disse Eduardo Taveira.

Na reunião, o secretário compartilhou informações e visões, sobre a participação dos estados do bioma na COP26, os desafios da transição para a bioeconomia, oportunidades do mercado voluntário de carbono de REDD+ (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal), os principais elementos do Plano de Ação de Manaus e o anúncio da realização da Reunião Anual da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force) em Manaus, em fevereiro de 2022.

Também participaram desta reunião o secretário de Estado de Relações Federativas e Internacionais do Amazonas (Serfi), Adriano Mendonça, e o secretário executivo do GCFTF no Brasil, Carlos Aragon.

Mercado de carbono

Na reunião com o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, o secretário Eduardo Taveira buscou alinhamento e posicionamento sobre temas como o REDD+, o  Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o reconhecimento de posse pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em terras do sul do Amazonas. O encontro proporcionou ainda um alinhamento dos titulares de Meio Ambiente sobre temas da COP26.

“Com o ministro Joaquim Leite, tratamos da agenda da COP, em especial do posicionamento do Brasil sobre o REDD+. O REDD+ é um mecanismo extremamente importante que pode alavancar a comercialização de créditos de carbono e é importante que a gente tenha um alinhamento com o Governo Federal para a defesa dessa estratégia, para que a Amazônia seja beneficiada”, disse o secretário.

No dia 6 de outubro, o Amazonas recebeu a confirmação de que está apto a participar da coalizão para receber apoio financeiro pela redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Proposta selecionada

O Estado teve sua proposta selecionada com base em sua capacidade para atender aos requisitos do ART-TREES – programa autônomo e independente que desenvolve e administra procedimentos padronizados para creditar reduções e remoções de emissões de grandes programas nacionais ou subnacionais de REDD +. O ART-TREES pode garantir a captação de até 10 dólares por tonelada de carbono que deixa de ser emitida.

De acordo com Eduardo Taveira, o maior desafio do Amazonas é conciliar a pauta ambiental com a redução da pobreza. “Esse alinhamento é fundamental para que a Amazônia seja a principal beneficiada com a conservação da floresta por meio de mecanismos como o REDD+”, afirmou.

Essa é uma das principais preocupações do governador Wilson Lima para a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). “Nosso desafio é encontrar esses caminhos para conservação ambiental que sejam também mecanismos de redução de pobreza. É isso que a gente tem feito e é o encaminhamento que a gente tem das agendas que foram feitas agora em Brasília”, acrescentou.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021

Ex-ministro Esteves Colnago assumirá Secretaria de Tesouro e Orçamento

A nomeação foi confirmada há pouco pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em declaração conjunta ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

22 de outubro de 2021

Presidência ou Senado? Sérgio Moro confirma filiação ao Podemos

O ex-juiz deve decidir se concorrerá à Presidência ou ao Senado em breve. A expectativa dentro do partido é que Moro concorra ao Palácio do Planalto.

22 de outubro de 2021

Precatórios: mudanças no teto de gastos, vacinas e Auxílio Brasil

O relator, deputado Hugo Motta, destacou que a aprovação é importante para garantir o Auxílio Brasil, com a previsão de R$ 400 para atender 17 milhões de famílias em 2022.

22 de outubro de 2021

Magistrados do TJAM custaram quase 50 mil em 2020, diz CNJ

Relatório Justiça em Números, produzido pelo Conselho Nacional de Justiça, apresenta números detalhados da atividade dos tribunais brasileiros em 2020.

22 de outubro de 2021

Grupo Samel se posiciona sobre estudo com a proxalutamida

Diretoria do grupo Samel explicou, em direito de resposta obtido na Justiça contra o jornal O Globo, qual papel da empresa na pesquisa com medicamento proxalutamida.

22 de outubro de 2021

Senado aprova PL que prevê repasse de R$ 2 bilhões para Santas Casas

As entidades a serem beneficiadas são aquelas que complementam as operações do SUS, recebendo demandas do sistema público. O texto ainda precisa ser votado na Câmara.

22 de outubro de 2021

Governo pede correção na autorização de empréstimo de R$ 452 milhões

Governo alegou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) solicitou garantias mais sólidas para a celebração do contrato entre as partes.

22 de outubro de 2021