segunda-feira, 15 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Municípios afetados pelas enchentes recebem frascos de hipoclorito

Ação tem a finalidade de minimizar os impactos provenientes de doenças de veiculação hídrica ocasionados pelo período de enchentes.
COMPARTILHE
enchentes

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), por meio do Comitê de Vigilância em Saúde para Desastres (CVSD), enviou 185.148 frascos de hipoclorito de sódio para 20 municípios do Amazonas que se encontram em situação de emergência, devido às inundações graduais registradas no inverno amazônico, entre janeiro e abril.

Os municípios que receberam os hipocloritos de sódio são Carauari, Envira, Guajará, Ipixuna e Itamarati, na calha do Juruá; Beruri, Boca do Acre, Canutama, Lábrea, Pauini e Tapauá, na calha do Purus; e Alvarães, Amaturá, Atalaia do Norte, Benjamim Fernandes, Fonte Boa, Jutaí, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tonantins, na calha do Alto Solimões.

O diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, ressalta que o perfil epidemiológico dos casos de doenças que se destacam no período de chuvas e elevação dos níveis das águas no Amazonas inclui as doenças diarreicas agudas (DDA) e a leptospirose, além do aumento de acidentes por animais peçonhentos.

“A FVS-AM alerta as secretarias municipais de saúde para o período da cheia com a finalidade de elaborar estratégias para reduzir os impactos da emergência em saúde pública do estado, atuando na redução de risco e prevenção”, comentou Cristiano.

Segundo o coordenador do CVSD-FVS, Renato Souza, essa ação tem a finalidade de minimizar os impactos provenientes de doenças de veiculação hídrica ocasionados pelo período de enchentes.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

“O comitê Vigidesastres é composto por técnicos que trabalham para direcionar as ações de apoio aos municípios no enfrentamento e também para diminuir os riscos relacionados aos desastres naturais que podem comprometer a saúde da população’’, avaliou Renato.

Com informações da assessoria

COMPARTILHE