quarta-feira, 17 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Inadimplência: mais de 1,5 mi de amazonenses devem R$ 6,6 bi

Em julho, houve redução no número de devedores no País em possível efeito do Desenrola Brasil
COMPARTILHE
Inadimplência
Estima-se que essa renegociação beneficie mais de 30 milhões de pessoas. (Foto: Divulgação)

O Mapa da Inadimplência da Serasa, divulgado nesta sexta-feira (18), mostra que em julho mais de 1,5 milhão de amazonenses estavam devendo na praça, o que correspondia a 51,72% da população economicamente ativa do Estado. Esse valor está acima da média nacional, que é de 43,72%.

Conforme a Serasa, os mais de 1,5 milhão de amazonenses inadimplentes têm uma dívida que, juntos, soma R$ 6,6 bilhões, com média de R$ 4,3 mil para cada um devedor.

O estudo, divulgado mensalmente, não captou totalmente os efeitos do programa Desenrola Brasil, do Governo Federal, que visa tirar mais de 70 milhões de brasileiros da lista de devedores.

O economista Sérgio Gonçalves lembra que essa média está exatamente dentro do escopo do Desenrola Brasil, cuja dívida máxima para negociação intermediada pelo Governo Federal é de até R$ 5 mil. “Teoricamente, todos estes devedores são público alvo do Desenrola”, diz o economista.

Ainda segundo o Mapa da Inadimplência, as dívidas dos amazonenses estão concentradas em três setores:

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

  • Varejo (27,06%);
  • Bancos e Cartões de crédito (25,51%);
  • Utilities (17,83%), que são contas de gás, água e luz.

Entre as faixas etárias, os maiores inadimplentes do Amazonas têm entre 26 e 40 anos (35,9%), seguidos pela população entre 41 e 60 anos (35%) e por pessoas com mais de 60 anos (14,9%).

Inadimplência nacional em baixa

Conforme analistas da Serasa, o mês de julho trouxe a segunda retração consecutiva em inadimplentes no Brasil. Ao atingir um total de 71,41 milhões de brasileiros, foi registrada uma redução de 34.495 mil pessoas na comparação com o mês anterior.

“Foi a primeira vez, desde junho de 2021, em que ocorre duas quedas consecutivas nos levantamentos mensais da Serasa”, informam os técnicos no Mapa.

Um dos fatores que impactou o movimento foi o total de débitos com bancos e cartões de crédito, que registrou uma redução de 1,60 ponto percentual, passando de 31,13% para 29,53% entre os últimos dois meses. Essa queda pode estar ligada aos primeiros impactos do Programa Desenrola Brasil, do Governo Federal, que, desde 17 de julho, estimula a negociação de dívidas com as instituições financeiras.

A Serasa, inclusive, conta com uma série de programas que tem o intuito de contribuir com a queda da inadimplência e melhorar os dados. Em julho, mais de 188 mil acordos foram fechados pelos canais do Serasa Limpa Nome. O número de ofertas disponíveis, no entanto, batia 23,1 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMPARTILHE