quinta-feira, 25 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

FPFtech patenteia projeto de acessibilidade para deficientes

A utilização dessa tecnologia possibilita a melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência física nos membros superiores, paralisia e até Esclerose Lateral.
COMPARTILHE
tech

O centro de tecnologia e inovação FPFtech obteve do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), em março, a patente do projeto de tecnologia assistiva ActiveIris. O sistema permite que pessoas com deficiências motoras graves dos membros superiores tenham mais autonomia para realizar atividades cotidianas, como utilizar o computador e interagir no ambiente.

Segundo o INPI, a patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade concedido pelo Estado aos inventores ou empresas detentoras dos direitos sobre a criação.

Com isso, somente o detentor pode produzir, usar, vender ou importar produto objeto de sua patente.

O Gerente de Projetos da FPFtech, Rogério Caetano, explicou que o ActiveIris é uma suíte de acessibilidade que, por meio de uma webcam comum em um computador ou notebook, capta os movimentos do rosto do usuário para integrar diversas funcionalidades, como acesso a redes sociais, celular e navegação na internet, além de permitir comandos para ativar eletroeletrônicos dentro de casa, como televisão, ventiladores e ar-condicionado.

“O ActiveIris é o aperfeiçoamento de um projeto mais antigo, conhecido como Mouse Ocular, só que menos intrusivo. As pesquisas começaram em 2010 e a patente foi solicitada em 2014, ou seja, há quase 10 anos. Esse processo é muito demorado no Brasil e, durante esse tempo a tecnologia já avançou, então iremos fazer uma nova avaliação de melhoria do projeto”, contou.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

O projeto contou com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública brasileira de fomento à ciência, tecnologia e inovação, e a pesquisa e desenvolvimento gerou pelo menos duas publicações: uma em relação à movimentação dos olhos e outra sobre o teclado desenvolvido que otimizava a criação de textos.

Como funciona

O ActiveIris é um software instalado no computador ou notebook que processa as imagens do rosto do usuário capturadas pela webcam, como movimentação da cabeça, piscar de olhos e abertura de boca, e transforma em cliques do cursor do mouse na tela.

A utilização dessa tecnologia possibilita a melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência física nos membros superiores, paralisia e até Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), dando a elas mais autonomia e inclusão social.

“Com o uso ActiveIris, os usuários podem, por exemplo, voltar a estudar, interagir com outras pessoas por meio do computador, com o ambiente ao seu redor e até mesmo melhorar a autoestima por permitir essa autonomia”, finalizou o Gerente de Projetos da FPFtech, Rogério Caetano.

Leia Mais:

COMPARTILHE