terça-feira, 23 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Escolas privadas anunciam medidas para reforçar segurança em Manaus

Além dos detectores de metais, escolas particulares prometem protocolo mais rigoroso de segurança, além de programas de combate à violência e aos bullying.
COMPARTILHE
escolas segurança

O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas (Sinepe) recomendou um pacote de medidas de segurança que deverão ser adotadas por escolas particulares de Manaus, nos próximos dias.

Além dos detectores de metais, o que foi decidido pela Justiça do Amazonas, as escolas deverão cobrar documentação e implementar programas de prevenção à violência.

As informações são da presidente do Sinepe, Laura Cristina Andrade, em entrevista ao RealTime1.

Ela defende a necessidade de que as unidades utilizem detectores de metal nos portões de entrada, exijam documentos de identificação de alunos ou terceiros que queiram adentram as dependências das escolas, e promovam, de maneira contínua, palestras e programas anti-bullying, para estudantes, pais e professores.

“Recomendamos que os familiares estejam atentos aos filhos, que compareçam às reuniões escolares e participem de rodas de conversa oferecidas aos estudantes. Pais, responsáveis e professores também precisam mostrar que medidas estão sendo tomadas e que a segurança está sendo reforçada, para tranquilizar a população.”

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Outra sugestão do Sindicato é a criação de uma canal de comunicação direto com pais para relatos de denúncias e atitudes suspeitas.

Ontem, o Tribunal de Justiça do Amazonas determinou a instalação de detectores de metais em escolas da capital amazonense e que o Procon proceda com as fiscalizações sobre as medidas de segurança em escolas particulares.

Em dois dias de investigações, o núcleo de inteligência criado pelo Governo do Estado, envolvendo as polícias e a Secretaria de Estado de Educação, resultou na identificação de 49 adolescentes envolvidos em atos de ameaças às escolas, além de apreensão de objetos como facas e fotos de cunho nazista.

Da Redação

Leia Mais:

COMPARTILHE