terça-feira, 23 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Eirunepé anuncia parto humanizado e entrega de duas Unidades de Saúde

Em entrevista ao RealTime1, a secretária de saúde Thayana Oliveira falou sobre os avanços no sistema de saúde de Eirunepé e destacou as principais metas até 2024.
COMPARTILHE
Eirunepé Saúde Semsa

Conforme os indicadores do Previne Brasil, o município de Eirunepé tem avançando na saúde, principalmente, na atenção primária, por conta de investimentos em estrutura, equipamentos e capacitação profissional.

Ainda este ano, a Prefeitura pretende entregar duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) na zona urbana; uma ala revitalizada na maternidade do hospital regional e o Centro de Controle à Zoonoses, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Atualmente, o município possui a UBS padre Antônio Cremer, UBS José Barroso, UBS Ponce de Leão, UBS Genésio de Albuquerque; a UBS Fluvial Expedito Barroso de Alencar; um Centro de Atenção Psicossocial (CAPs); o Hospital Regional Vinicius Conrado e uma Farmácia cia Popular.

Eirunepé Saúde Semsa

Parto Humanizado

Em maio deste ano, a Semsa programa a entrega da ala revitalizada da maternidade do Hospital Regional Vinicius Conrado, com toda estrutura e equipamentos para o parto humanizado.

Já no segundo semestre de 2023, a Prefeitura irá entregar duas UBS’s na cidade, no bairro de São José e Santo Antônio. E até meados de outubro será implantado do Centro de Controle à Zoonoses

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Para 2024, a Prefeitura prevê a implantação do laboratório municipal.

Atendimento à zona rural

Eirunepé Saúde Semsa
UBS Fluvial Expedito Barroso de Alencar. (Foto: Divulgação)

De acordo com a secretária de saúde do município, Thayana Oliveira, o município conta com três equipes de saúde da família ribeirinha para atender a população rural.

“As equipes se deslocam na UBSF para atendimentos nos rios mais distante, e a equipe itinerante viaja em lanchas de pequeno porte para atendimentos diários e semanais às comunidades ribeirinhas próximas da sede. Temos também a equipe da gerência de endemias que entra nas comunidades ribeirinhas realizando ações contra a malária de forma mensal, nos rios com incidência da doença”, disse ao RealTime1.

Thayana destacou, ainda, que mais de dois mil atendimentos foram realizados nas comunidades rurais, só no mês de março.

Eirunepé Saúde Semsa
Equipe se deslocando para fazer o atendimento diário às comunidades. (Foto: Divulgação)

Desafios enfrentados

A secretária falou, ainda, sobre o desafio que a Semsa enfrenta para transportar materiais para a saúde, por ser distante da capital amazonense. O município fica a 1.160 quilômetros de distância.

“O maior desafio é a logística para chegada de material, levando em consideração a distância da capital. O transporte leva, em média, 15 dias na cheia e 20 na seca dos rios, para chegar. Por consequência disso o gestor do município precisa fretar aviões para chegar medicamentos, vacinas e insumos básicos para a saúde”, contou.

Otávio Vislley, do RealTime1

Leia mais:

COMPARTILHE