fbpx

domingo, 16 de janeiro de 2022

Região Norte apresenta maior média no preço do diesel em 2021

Todas as Regiões tiveram queda ou estabilidade no valor do diesel comum ou do S-10, com exceção do Norte, com acréscimos de 0,03% e de 0,05%, respectivamente.

30 de dezembro de 2021

Compartilhe

O diesel comum que registrou o maior aumento (2,04%) foi o de Roraima (Foto: Reprodução)

Todas as Regiões brasileiras registraram alguma queda ou estabilidade no valor do diesel comum ou do S-10, com exceção do Norte do País, que apresentou a maior média para o comum (R$ 5,836) e para o S-10 (R$ 5,892), com acréscimos de 0,03% e de 0,05% respectivamente. É o que aponta o último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL).

O Sul do país teve resultado inverso, sendo a Região com a menor média no valor do diesel comum (R$ 5,197) e do diesel S-10 (R$ 5,247) e declínios de 0,29% e 0,23% nos valores, respectivamente.

Na análise por Estado, o Acre comercializou o diesel comum pela maior média nacional, a R$ 6,337, e para o diesel S-10 (R$ 6,279). Já as menores médias foram encontradas no Paraná: R$ 5,108 para o diesel comum e R$ 5,162 para o S-10.

O ano termina com o preço médio do combustível em estabilidade nos postos brasileiros (R$ 5,612), baixa de 0,08% em relação a novembro. Porém, considerando o valor cobrado em dezembro do ano passado, em que a média chegava a R$ 3,841, houve um acréscimo de 46,1% no preço,

O diesel S-10 também fechou com o valor estável, a R$ 5,676, baixa de 0,08% em relação a novembro, 46,6% mais caro se comparado a dezembro do ano passado.

O diesel comum que registrou o maior aumento (2,04%) foi o de Roraima, passando de R$5,945 para R$6,066, enquanto o de maior redução no valor comercializado foi o do Amapá, que passou de R$5,856 para R$5,730, queda de 2,15%. O S10 com maior aumento no preço médio (0,99%) foi o de Roraima, que passou de R$5,964 para R$6,023. Já o S-10 com a redução mais expressiva, de 1,44%, foi encontrado em Goiás, e o valor que antes era R$5,692 passou para R$5,610.

“Apesar do indicativo de estabilidade no preço do diesel, de acordo com o levantamento da Ticket Log, e respiro em relação às altas consecutivas que vimos nos últimos meses, as médias de valor do combustível estão altas e o brasileiro ainda sente no bolso, principalmente se comparado aos valores de um ano atrás”, destaca Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Diesel mais caro neste Natal

Nos dias 24, 25 e 26 de dezembro deste ano, feriado de Natal, o Índice de Preços Ticket Log (IPTL) também apontou que os postos de combustíveis comercializaram o diesel comum 45,3% mais caro se comparado ao mesmo período do ano passado, enquanto o diesel S-10 apresentou alta de 44,36%. No Natal de 2020, esses combustíveis custavam em média R$ 3,838 e R$ 3,917 e no feriado deste ano subiu para R$ 5,566 e R$ 5,654, respectivamente.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo.

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Parceria busca soluções para desenvolvimento sustentável da Amazônia

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação e Rede Rhisa querem integrar por meio de soluções tecnológicas ao menos duas mil comunidades rurais.

16 de janeiro de 2022

Sine Manaus oferece 79 vagas de empregos novas nesta segunda-feira

Serviço Nacional de Emprego da prefeitura de Manaus tem vagas novas e remanescentes para diversos profissionais, que devem agendar o atendimento por meio da internet.

16 de janeiro de 2022

Burnout, a ‘nova’ síndrome que vai impactar o mundo do trabalho

Organização Mundial do Trabalho reconhece a Síndrome de Burnout como uma doença ocupacional ligada a atividade do trabalhador. Advogada relata o drama após ser diagnosticada.

16 de janeiro de 2022

Pix é a modalidade de pagamento preferida dos ‘pequenos’

Ao menos 86% dos pequenos negócios realizados no País estão utilizando o Pix como forma preferencial de pagamento. Essa modalidade foi desenvolvida pelo Banco Central.

15 de janeiro de 2022

Pandemia afetou mais empreendedores negros, diz pesquisa do Sebrae

A 13ª Pesquisa de Impacto do Coronavírus nos Pequenos Negócios, feita pelo Sebrae, apontou que 72% dos empresários negros estão faturando menos que brancos.

15 de janeiro de 2022

Supremo Tribunal recebe nova ação contra a PEC dos Precatórios

Ação apresentada ao Supremo Tribunal Federal pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil questiona vários pontos da emenda aprovada no Congresso.

15 de janeiro de 2022

Governo Bolsonaro implodiu mesa de negociação e pode encarar greves

Presidente do Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado prevê que a falta de diálogo com categorias do serviço público causará sucessivas paralisações e greves.

15 de janeiro de 2022

Pagamento pela internet conquistou a preferência dos brasileiros

Levantamento feito por empresa especializada em novas tecnologias mostrou que em 2021 mais da metade dos brasileiros optaram por realizar pagamentos via internet.

15 de janeiro de 2022