fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

Ipea reduz de 4,8% para 4,5% previsão de aumento do PIB em 2021

Para o próximo ano, a projeção do Ipea para o crescimento do PIB foi revista de 1,8% na divulgação anterior para 1,1%. A alteração foi influenciada pela alta da inflação.

22 de dezembro de 2021

Compartilhe

Estimativa para 2022 caiu de 1,8% para 1,1% (Foto: Reprodução)

A projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todas as riquezas produzidas no país, foi revista para baixo pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Os dados divulgados nesta quarta-feira (22) passam a estimativa de PIB de 4,8%, no trimestre terminado em setembro, para 4,5%. Em 2020, o PIB do Brasil caiu 4,1%.

De acordo com a análise trimestral da economia brasileira, feita no documento Visão Geral da Conjuntura, a redução levou em conta os indicadores de atividade econômica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do terceiro trimestre e de outubro, que foram abaixo do esperado.

Os impactos negativos de outubro devem ser atenuados pelos indicadores mensais de novembro. A expectativa do Ipea é que os dados consolidados do mês passado apresentem crescimento de 0,6% na produção industrial; de 0,4% no faturamento real dos serviços; e de 0,3% nas vendas do comércio varejista. Já as vendas do comércio no conceito ampliado, incluindo veículos e materiais de construção, devem ter queda de 0,7% no mês.

Os três principais setores da economia tiveram o crescimento revisto pelo Ipea. A indústria deve crescer 4,9% em 2021 e os serviços 4,5%. Já a agropecuária teve a projeção de crescimento de 1,2% revista para uma queda de 1,2% este ano, justificada pelos problemas climáticos que afetaram a safra e pela piora do desempenho na produção de bovinos, além da forte revisão do crescimento do setor em 2020 nos dados das Contas Nacionais do IBGE.

Cenário para 2022

Para o próximo ano, a projeção do Ipea para o crescimento do PIB foi revista de 1,8% na divulgação anterior para 1,1%. A alteração foi influenciada pela alta da inflação, que impactou o poder de compra das famílias, além do aperto na política monetária decorrente da inflação e da alta dos juros no mercado de crédito, o que pode gerar consequências negativas para a atividade econômica em 2022.

Por outro lado, o instituto indicou que o Auxílio Brasil e a recuperação na população ocupada podem influenciar positivamente a demanda, além de um esperado aumento dos investimentos em infraestrutura. Em 2022 deve ocorrer uma recuperação da agropecuária, com previsão de crescimento de 2,8%, e os serviços estão com alta prevista de 1,3%.

Porém, o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, José Ronaldo de Castro Souza Júnior, alertou que ainda há muita incerteza com relação à pandemia de covid-19, que influencia a economia.

“Estamos prevendo que a economia vai crescer no ano que vem, porém, o grau de incerteza aumentou significativamente em função de fatores como a rápida disseminação mundial da nova variante da covid-19 e as possíveis mudanças de política monetária nos países desenvolvidos”, justificou.

O Ipea destaca, ainda, que a inflação têm caracterizado a economia mundial, com os fortes aumentos nos preços de commodities refletindo nos preços ao consumidor de diversos países.

Inflação

O Ipea também reviu as previsões para a inflação. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2021 passou de 9,8% em novembro para 10,0% em dezembro. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve aumento na taxa projetada de 10,1% para 10,2%.

Para o próximo ano, as projeções do Ipea foram mantidas em 4,9% para o IPCA e em 4,6% para o INPC, baseadas na estimativa de acomodação dos preços do petróleo e das demais commodities, além da menor probabilidade de efeitos climáticos intensos e da projeção de um aumento da safra.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Caminhoneiros recebem benefício emergencial a partir desta terça

O Benefício Caminhoneiro-TAC do Governo Bolsonaro tem validade até 31 de dezembro de 2022 e será pago em seis parcelas mensais, no valor de R$ 1 mil.

7 de agosto de 2022

Pequenos negócios geram 72% das vagas de emprego no 1º semestre

Na divisão por setores da economia, os pequenos negócios apresentaram saldo positivo na criação de empregos em todos os segmentos no acumulado do ano.

7 de agosto de 2022

Ataques de hackers fazem ANP adiar divulgação de preços da gasolina

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis informou que os sistemas foram retirados do ar para avaliação dos riscos à segurança cibernética da agência.

6 de agosto de 2022

Bancada do AM continua luta para sustar decreto de Bolsonaro contra a ZFM

Novo decreto tenta burlar a decisão do STF que preservou os produtos da Zona Franca que são submetidos a PPB. Petição será encaminhada ao ministro Alexandre de Moraes.

5 de agosto de 2022

Santander destina R$ 2 milhões para projetos de emprego e renda no País

Dez instituições de todo o País serão contempladas com recursos para projetos de emprego e renda voltados para jovens e adultos com proposta de inclusão produtiva.

5 de agosto de 2022

Suframa promove debate sobre cenários da Bioeconomia até 2040

Inscrições para o “Fórum de Bioeconomia” estão abertas. Objetivo é alinhar diretrizes e ações efetivas de caráter estratégico com reflexos no desenvolvimento da região.

5 de agosto de 2022

Ronaldo ‘Fenômeno’ detalha criação da SAF em evento da Expert XP 2022

Ex jogador da Seleção Brasileira e de times nacionais e internacionais, Ronaldo "Fenômeno" detalhou como opera a primeira SAF do futebol do País.

4 de agosto de 2022

Fieam completa 62 anos e cobra cumprimento de liminar em favor da ZFM

Decreto presidencial publicado no fim de semana contraria decisão liminar do ministro do STF Alexandre de Moraes e determina nova redução do IPI para itens produzidos na ZFM.

3 de agosto de 2022