fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Frustrada, indústria prega mudar atitude para defender ZFM do IPI reduzido

Presidente do Cieam, Wilson Périco, diz que o momento é de "mudança de atitude" com o Governo Federal para que a ZFM seja preservada na redução do IPI.

1 de abril de 2022

Compartilhe

Presidente do Cieam, Wilson Périco alerta que solução para indústria tem (Foto: Reprodução)

“Frustração” foi o sentimento manifestado pelo presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, com a confirmação de que a Zona Franca de Manaus (ZFM) não foi preservada na revisão da redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), pelo Decreto nº11.021/2022 do Governo Federal publicado na noite desta quinta-feira (31).

O novo Decreto deveria retirar os produtos que têm Processo Produtivo Básico (PPB) a serem cumpridos na ZFM, da redução de 25% do IPI para outros Estados, conforme acordo anunciado entre o Governo do Amazonas e o Governo Federal. Mas o texto publicado por volta das 23 horas da noite de quinta-feira não contemplava o que havia sido acordado.

Para Wilson Périco, é preciso haver agora uma “mudança de atitude” na maneira de conduzir as reivindicações ao Governo Federal para a preservação dos incentivos e dos empregos no Amazonas. “Não somente a bancada do Amazonas, mas também o Governo do Amazonas, pois foi com ele que o Governo Federal confirmou que iria preservar a Zona Franca”, destacou.

O Cieam defende ainda levar uma força-tarefa para fazer uma pressão diária em Brasília e tentar reverter nos próximos 30 dias os efeitos do IPI reduzido em todo o País para o Polo Industrial de Manaus (PIM).

Na manhã desta sexta-feira (1º), em agenda no município de Rio Preto da Eva (distante 57 quilmetros a nordeste de Manaus), o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), reforçou que as conversas com o Ministério da Economia continuam acontecendo.

“Eu conversei ainda pouco com a Daniela Consentini, secretária de Competitividade e Trabalho. Ela falou que as discussões continuam acontecendo (…) temos mais um mês. O decreto não vale nesses próximos 30 dias e é preciso entender que precisamos agir com serenidade nessas discussões”, disse.

Texto por: Emerson Medina

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Com R$ 195 bilhões, Receita bate recorde de arrecadação em abril

No quadrimestre (de janeiro a abril de 2022), a arrecadação da Receita Federal alcançou o valor de R$ 743,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 11,05% pelo IPCA.

26 de maio de 2022

Redução do ICMS: Bolsonaro sinaliza veto a compensação para estados

Bolsonaro disse que compensação, prevista em projeto aprovado na Câmara que limita ICMS da energia e de combustíveis, "não tem cabimento" e que poderá vetar o dispositivo.

26 de maio de 2022

Criticado até por bolsonarista, salário mínimo de R$ 1.212 é aprovado

Valor já está em vigor desde o primeiro dia do ano, quando Bolsonaro editou a medida provisória. A proposta, no entanto, precisava ser confirmada pelo Congresso Nacional.

26 de maio de 2022

Wilson Lima anuncia investimentos de quase R$ 25 milhões para CT&I

Por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapeam), os recursos serão aplicados em sete editais, sendo seis inéditos, de programas de apoio a pesquisas científicas.

26 de maio de 2022

Para economistas, ICMS em 17% terá pouco impacto na redução de preços

Economistas acreditam que projeto que estipula teto de 17% na cobrança de ICMS não resultará em redução expressiva no preço do combustível, com queda de até 5% nos preços.

26 de maio de 2022

Novamed anuncia expansão no PIM com investimento de R$ 50 milhões

Empresa pretende aumentar a produção de 1 bilhão e 100 milhões de comprimidos/mês para 1 bilhão e 400 milhões/mês, além da garantia de cerca de 900 postos de trabalho.

26 de maio de 2022

Indígenas Tikuna participam de oficina de artesanato em Benjamin Constant

O Workshop, promovido em parceria com o Sebrae Amazonas, contou com a presença de consultores de artesanato do Ceará, do Espírito Santo, Colômbia e Brasília.

26 de maio de 2022

Caixa amplia em até 21,4% subsídio do programa Casa Verde Amarela

Percentuais vão variar de 12,5% a 21,4%. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, acréscimo varia conforme região, renda familiar e população do município.

26 de maio de 2022