fbpx

terça, 24 de maio de 2022

Conta de luz deve ter bandeira verde até o fim do ano, diz diretor-geral do ONS

Diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, disse que novas mudanças nos valores da conta de luz não são esperadas até o fim deste ano.

11 de abril de 2022

Compartilhe

Diretor-geral do órgão citou volume dos reservatórios (Foto: Reprodução)

Cinco dias após o presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciar o fim de bandeira de escassez hídrica na conta de luz e a entrada em vigor da bandeira verde a partir de 16 de abril, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que ela deve vir pra ficar. Novas mudanças não são esperadas até o fim de ano. Isso significa que provavelmente as tarifas não voltarão a sofrer acréscimos em 2022.

“Essa é a expectativa”, disse nesta segunda-feira (11) Luiz Carlos Ciocchi, diretor-geral do ONS. A entidade é responsável por coordenar e controlar as operações de geração e transmissão de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN).

O sistema de bandeiras tarifárias é o que define o real custo da energia. Quando as condições de geração de energia não são favoráveis, é preciso acionar as usinas termelétricas, elevando os custos. Assim, cobranças adicionais têm por objetivo cobrir a diferença e também funcionam para frear o consumo.

Quando vigora a bandeira verde, não há acréscimos na conta de luz. Já na bandeira amarela, o consumidor paga um adicional de R$ 0,01874 para cada quilowatt-hora (kWh). A bandeira vermelha é dividida: no patamar 1, o acréscimo é de R$ 0,03971 e no patamar 2 é de R$ 0,09492.

Bandeira de escassez hídrica

No ano passado, foi criada a bandeira de escassez hídrica, que fixa um acréscimo de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos. Ela estava vigente há sete meses, desde setembro. Segundo o governo federal, a medida era necessária para compensar os custos da geração de energia, que ficaram mais caros em consequência do período seco em 2021, apontado como o pior em 91 anos.

Ciocchi afirmou que, com o volume de chuvas registrado desde o fim do ano passado, a atual situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas permitirá ao país atravessar o restante do ano de forma mais tranquila e segura do que em 2021. “Sudeste e Centro-Oeste terminam o período de chuvas no melhor nível desde 2012”, observou.

Segundo o diretor-geral da ONS, a geração térmica deverá se limitar às usinas inflexíveis, que são aquelas que não podem parar e que possuem uma capacidade em torno de 4 mil MW (megawatts). Nos piores momentos da crise hídrica de 2021, as térmicas respondiam por mais de 20 mil MW.

Atualmente, as hidrelétricas são responsáveis por cerca de 65% da geração de energia no país. A matriz brasileira vem sendo modificada nos últimos anos com o crescimento de novas fontes renováveis, como eólica, que já representa aproximadamente 9% do total.

Apesar da recuperação das usinas hidrelétricas, Ciocchi considera ter sido acertada a decisão do governo de contratar térmicas emergenciais no ano passado. Elas deverão garantir, até dezembro de 2025, a reserva de energia que era considerada necessária para uma recuperação de longo prazo. “Na hora que tomamos a decisão, existia uma incerteza muito grande. Tínhamos duas escolhas: o arrependimento de contratar e o arrependimento de não contratar”, pontuou.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Procon volta a multar Claro/Net em R$ 3,6 mi por apagão de internet no AM

O apagão de internet ocorreu no dia 12 de fevereiro deste ano, em Manaus. O Procon-AM já havia multado a empresa, com o mesmo valor, por outro apagão também em fevereiro.

24 de maio de 2022

Governo do AM beneficia colônia de pescadores de Maués

Governo assinou dois termos de doação onerosa com a Colônia de Pescadores Z-16. Por meio da ação, pescadores foram contemplados com um kit feira e uma fábrica de gelo.

24 de maio de 2022

Lira determina instalação de comissão para analisar reforma tributária

A proposta prevê que estados e municípios criem seus impostos sobre renda e patrimônio na forma de um adicional do imposto federal, delegando sua cobrança ao fisco federal.

24 de maio de 2022

Em reunião emergencial, governadores discutem ICMS dos combustíveis

Fórum dos Governadores vai discutir nesta terça-feira como enfrentar a votação, marcada para esta tarde na Câmara dos Deputados, doprojeto de lei que limita em 17% o ICMS.

24 de maio de 2022

Câmara deve votar hoje PL que limita impostos sobre energia e combustíveis

Projeto considera essenciais bens e serviços relativos a combustíveis, energia elétrica, impedindo a aplicação de alíquotas de tributos iguais às de produtos supérfluos.

24 de maio de 2022

Sebrae acelera pequenos negócios da bioeconomia da Amazônia

Iniciativa faz parte do programa Inova Amazônia. Entre as soluções apoiadas estão a produção de fármaco para tratamento de dependência química e produção de cosméticos.

24 de maio de 2022

Intenção de Consumo das Famílias cresce pelo quinto mês seguido

Índice atingiu 79,5 pontos em uma escala de zero a 200 pontos, maior patamar desde maio de 2020 (81,7 pontos). Na comparação com maio de 2021, crescimento chega a 17,7%.

24 de maio de 2022

BNDES lança edital de seleção de startups de impacto socioambiental

No estágio de criação, programa irá selecionar até 20 empreendedores ou startups de impacto e, no tração, até 25 startups de impacto com faturamento inferior a R$ 16 milhões.

24 de maio de 2022